Bem-estar

Mobbing: O que é, como denunciar e defender-se?

O mobbing, ou seja o bullying no local de trabalho é uma realidade em crescendo. Saiba de que forma pode denunciar e, sobretudo, defender-se

Bem-estar

Mobbing: O que é, como denunciar e defender-se?

O mobbing, ou seja o bullying no local de trabalho é uma realidade em crescendo. Saiba de que forma pode denunciar e, sobretudo, defender-se

O mobbing tem vindo a crescer nos últimos anos, mas é um tema ignorado por muitos. Importa, por isso, colocar o assunto em debate na sociedade.

Numa altura em que muito se fala em bullying, verifica-se que apenas se tem centrado o tema nas escolas e nos jovens. Mas há toda uma outra realidade, não menos grave que tem sido ignorada e que tem impactos graves na saúde mental das vítimas – o bullying no local de trabalho, ou seja o mobbing.

O que é o mobbing?  

O mobbing é o bullying praticado no local de trabalho. Trata-se de uma forma de pressão psicológica ou moral onde intervêm o agressor (o mobber), os seus cúmplices (os seus colegas de trabalho) contra a vítima. Note que o agressor tanto pode ser um colega como um superior hierárquico.

O mobbing pode revestir-se de diversas formas e ter vários objetivos diferentes, mas a consequência é sempre a mesma: a vítima sente-se isolada, destabilizada, pondo em causa a sua autoestima. Pode levar a depressões, o que leva a vítima a meter baixa (prolongada, em muitos casos) ou até mesmo à tomada de decisão de se demitir.

Contudo, para além das consequências imediatas, o mobbing tem consequências na saúde mental das vítimas de forma duradoura.

Leia ainda: Vai entregar a carta de demissão? Atenção ao prazo e conteúdo

Tipos de mobbing

O mobbing engloba um conjunto de ações deliberadas que têm como objetivo a tortura psicológica. Visam isolar e humilhar alguém, até que atinja o seu limite e coloquem em causa a sua ligação com o local de trabalho.

Existem dois tipos de mobbing mais vulgares nas empresas:

Predatório

Tem a ver com a cultura da empresa sendo inerente ao exercício da liderança. Liderar com mão firme transforma-se muitas vezes em assédio moral, sendo agravado por, ao ser cultura da empresa, não existirem políticas de prevenção e punição deste tipo de comportamento.

Note que este tipo de mobbing, é normalmente exercido por chefias ´com competências técnicas inferiores às pessoas que coordenam e por isso se têm de impor pela “força”

Competitivo

Este tipo de mobbing é o mais vulgar entre colegas de trabalho, principalmente se a vítima tiver um lugar que o agressor pretende, ou se houver uma promoção à vista. Neste caso, pode haver ajuda de colegas no pacto de agressão.

Táticas de mobbing

Existem várias táticas de mobbing, todas elas com o mesmo objetivo: reduzir a autoestima da vítima levando-a a extremos de desgaste emocional.

1. Agressão verbal

O agressor pode apenas falar em tom brusco ou desagradável com a vítima. Pode ainda fazer, sozinho ou em grupo comentários sarcásticos sobre a vítima ou em último caso proferir insultos.

2. Stonewall

Colegas de trabalho e chefias ignoram constantemente todas as sugestões, projetos e iniciativas da vítima. Do mesmo modo, pedidos de feedback, pontos de situação de temas e projetos que tenham em mãos, ficam sem resposta ou são totalmente desvalorizados.

3. Exclusão

As vítimas são excluídas e até isoladas no local de trabalho. O que pode passar por ter a sua secretária longe do resto da equipa, ficar de fora de uma cadeia de e-mails de trabalho ou não o avisarem de reuniões importantes. O objetivo é sempre o mesmo: destruir autoestima do visado.

4. Calúnia

Os mobbers podem lançar boatos maliciosos sobre a vítima que nada têm que ver com a competência profissional da vítima, mas apenas destinados a humilhar.

Leia também: O mercado de trabalho e os cuidados a ter com as redes sociais

É vítima de um destes comportamentos?

Está deprimido no seu local de trabalho e sente-se constantemente desvalorizado? Atenção, pode estar a ser vítima de mobbing.

A vítima assume que a culpa da situação é sua. Sente-se incapaz e cada vez mais incompetente e, por isso, não equaciona sequer a hipótese de estar a ser vítima de mobbing.

Reflita e analise se alguma vez tiveram consigo um destes comportamentos:

  • A sua chefia atribui-lhe regularmente metas e objetivos impossíveis de atingir ou estabelece prazos impraticáveis;
  • São lhe pedidos com urgência trabalhos com prazos apertados mas que depois ficam meses na gaveta;
  • Foram-lhe atribuídas funções desajustadas ou desadequadas à sua categoria profissional e competências técnicas;
  • As suas ideias, propostas e projetos são sistematicamente assumidas por outro colega ou pela chefia (o agressor), mas sem lhe ser dado qualquer crédito
  • É alvo de brincadeiras com conteúdo ofensivo referentes ao sexo, raça, orientação sexual ou religiosa, deficiências físicas, problemas de saúde ou outros temas relacionados;
  • É sistematicamente desprezado e ignorado por colegas e chefias:
  • Tem conhecimento de rumores e comentários depreciativos sobre si, sendo muitas vezes insinuado que tem problemas mentais ou familiares;
  • A chefia ou colegas falam-lhe sistematicamente aos gritos de forma a o intimidar;
  • Criam-lhe diariamente situações objetivas de stress, para assim lhe provocar intencionalmente o seu descontrolo;
  • O seu material de trabalho aparece destruído ou a sua secretária é desarrumada de propósito;
  • Ignoram-no, sendo alvo do “tratamento de silêncio”, quando fala com o agressor mesmo que seja apenas por motivos profissionais.
burnout jovem cansada

Consequências do mobbing para a vítima

Quando se levanta, ou quando entra no seu local de trabalho já vai a chorar, ou a pensar no que pode acontecer nesse dia? Pense, pode estar a ser vítima de assédio moral e as consequências podem ser devastadoras e duradouras.

Entre as mais habituais contam-se:

  • stress crónico;
  • ansiedade;
  • depressão;
  • perturbações do sono;
  • baixa autoestima;
  • falta de motivação

Este último, em conjunto com o desinteresse pelo trabalho que habitualmente o acompanha, levam a que se sinta cada vez mais incompetente e, por isso, merecedor do que lhe tem vindo a acontecer no emprego. Atenção, esse é o objetivo do agressor, que em última instância quer que se demita.

Mobbing é punido por lei

O mobbing é punido por lei.  De acordo com o artigo 29.º do Código do Trabalho, o assédio moral no local de trabalho é punido e considerado contraordenação muito grave, conferindo à vítima o direito a uma indemnização.

Nos termos da lei, assédio moral é todo “o comportamento indesejado, nomeadamente o baseado em fator de discriminação, praticado aquando do acesso ao emprego ou no próprio emprego, trabalho ou formação profissional, com o objetivo ou o efeito de perturbar ou constranger a pessoa, afetar a sua dignidade, ou de lhe criar um ambiente intimidativo, hostil, degradante, humilhante ou desestabilizador.”

O que deve fazer e como pode denunciar

O mobbing é punido por lei, logo, deve denunciá-lo. Porém, as vítimas tendem a estar numa relação de poder desigual com os agressores e, por isso, é difícil de agir. Muitas vezes, têm receio de represálias, mas também existem casos em nem tem consciência que estão a ser alvo de assédio moral.

Se está a ser vítima dos comportamentos já elencados, sugerimos que:

Sobretudo, saiba que não está sozinho. Peça ajuda e denuncie.

Leia ainda: Está à procura de emprego depois dos 40? 8 dicas que podem ajudar

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.