Imagem de um monitor onde se vê o programa Conversas sem Preço com a entrevista a João Cepeda, presidente do Time Out Market
ícone do formato do post video
Carreira e Negócios

Time Out Market: “A internacionalização surge pela atenção que despertámos”

João Cepeda, presidente e diretor criativo da Time Out Market, conta como é que este projeto se tornou internacional e como tornaram este modelo de mercado português em algo único.

No último Conversas sem Preço, que teve como convidado João Cepeda, o presidente e diretor criativo da Time Out Market explicou como surgiu a ideia de internacionalizar a Time Out Market Portugal. "Teve a ver com o sucesso que teve e a atenção que despertou lá fora", assume.

Por terem apostado neste novo formato diferente de mercado, João Cepeda afirma que o projeto "foi um sucesso imediato entre locais, com histórias incríveis de pessoas a voltar ao mercado quatro vezes na mesma semana". "Inventámos o nosso próprio modelo, que foi copiado alarvemente pelo mundo inteiro”, acrescenta.

A ideia de internacionalizar a Time Out Market Portugal surgiu do "próprio fundo, o grupo que tinha comprado a Time Out há pouco tempo", que fez uma "proposta de adquirir o conceito todo”, conta João Cepeda. Após isso, o diretor criativo passou mais de um ano a "tentar fazer mercados pela Europa fora", mas sem sucesso. Por ser uma "realidade muito mais pragmática", decidiram apostar nos Estados Unidos da América, e foi assim que, do outro lado do Atlântico, em 2019, abriram cinco mercados: Miami, Nova Iorque, Boston, Chicago e Montreal.

Time Out Market: “Gostamos de ver que é um projeto português lá fora”

Atualmente, são já sete os mercados internacionais e João Cepeda refere que aquilo que tentam fazer é, em cada cidade onde esteja o projeto, que a mesma "esteja completamente representada”. O mais recente foi aberto no Dubai, e foi todo preparado em cenário pandémico.

Ao abrir um mercado no estrangeiro, João Cepeda diz que o objetivo não é levar de Portugal "os pastéis de nata, o bacalhau, nem nada do género". "Levo o conceito que depois é preenchido com os conteúdos de cada cidade específica”, sustenta.

A missão da equipa passa por gostarem "de ver que é um projeto português lá fora a correr bem", revela João Cepeda. As mobílias são todas feitas em Portugal e os projetos todos desenhados no mercado da Ribeira. "O primeiro prazer vem daí. Diverte-nos fazer isto”.

Veja ou reveja o episódio na íntegra: Conversas sem Preço com João Cepeda

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.