Crédito

Comprar a primeira casa. O que vai pagar além da prestação? 

Se vai comprar a primeira casa conte para além da prestação mensal com os impostos, seguros e outras despesas.

Crédito

Comprar a primeira casa. O que vai pagar além da prestação? 

Se vai comprar a primeira casa conte para além da prestação mensal com os impostos, seguros e outras despesas.

Comprar a primeira casa é um desafio e um sonho para muitos jovens. Ter um espaço só seu onde podem receber os amigos, fazer jantares para a família, acordar às horas que querem sem incomodar ninguém, ou ficar a ver séries pela noite dentro sentado no sofá sem se preocupar com as horas. Ou, simplesmente, comprar a primeira casa para começar a aventura de viver a dois.

Contudo, na vida, nem tudo são facilidades e, na compra da primeira casa, também podem existir imprevistos. Mas ultrapassá-los para que tudo acabe bem e tenha na mão a chave da sua casa é simples: estar o mais bem informado possível e saber com o que pode contar.

Faça contas

A primeira coisa que deve fazer é fazer contas. Quer ter uma casa, mas tem de saber o que poderá ter de gastar na compra casa e depois o que vai gastar quando estiver a viver nela. Estar prevenido é a melhor estratégia para que tudo corra bem e possa disfrutar tranquilamente da casa nova.

E, claro, o seu orçamento mensal tem de ser suficiente para cobrir todos os custos mensais. Não compre uma casa pensando nos seus rendimentos futuros, compre a contar apenas com os atuais. Se os seus rendimentos aumentarem pode sempre vender essa casa e comprar outra. Seja prudente.

Compra da primeira casa: o que vou gastar se pedir crédito habitação

Se vai recorrer a crédito habitação tem de contar não só com a prestação mensal do empréstimo, mas também com outros encargos como comissões bancárias, seguros e impostos.

Comissão de avaliação de imóvel

Se está a pensar pedir crédito habitação conte já com o custo da avaliação do imóvel.

Ao pedir crédito habitação junto de uma instituição financeira, esta vai fazer uma avaliação ao imóvel, sendo sobre esse valor que lhe empresta o dinheiro para comprar a casa. Note, não lhe empresta a totalidade do valor da avaliação.

A avaliação será feita por um perito indicado pelo banco, mas o custo da mesma será seu. E mesmo que o crédito não lhe seja concedido, ou desista dele. É um valor que terá de pagar (ronda os 200 euros).

Mas se comprar um imóvel que esteja a ser vendido pelo banco não paga esta comissão.

Comissão de estudo do processo

Esta comissão é cobrada por alguns bancos pela análise e decisão do seu pedido de crédito. E terá de a pagar mesmo que o crédito seja recusado. Antes de pedir o financiamento consulte o preçário do banco e veja se lhe pode ser cobrada.

Comissão de formalização

A generalidade do bancos cobra esta comissão se o financiamento se concretizar, sendo que o seu valor varia de banco para banco. Veja se a mesma consta no preçário do banco.

Entrada inicial

Este é mais um valor que tem de ter ao avançar para a compra de uma casa. Como referimos, os bancos não emprestam a totalidade do valor da avaliação do imóvel, apenas emprestam no máximo 90% do seu valor se a habitação se destinar a habitação própria ou permanente (sendo de 80% no caso de ser segunda habitação), comprimindo uma das regras prudenciais do Banco de Portugal.

Assim, o valor remanescente, fica a seu cargo (a denominada entrada inicial) e é mais um valor que tem de entrar nas suas contas.

Mas há uma exceção: se comprar uma casa que esteja na carteira do banco então este poderá financiar os seu valor na totalidade. Tratam-se de imóveis cujos anteriores proprietários deixaram de pagar o empréstimo, tendo o banco executado a hipoteca que o garantia. Ficaram assim com o imóvel como reembolso do valor emprestado, e claro, como o negócio do banco não são imóveis quererá vendê-lo o mais depressa possível como forma de reaver o dinheiro emprestado.

Prestação mensal

Pelo valor que vai pedir emprestado ao banco vai pagar uma prestação mensal durante o prazo acordado para o empréstimo. Note que o Banco de Portugal recomenda que o prazo máximo não ultrapasse os 70 anos de idade do mutuário mais novo.

Pode optar por contrair o crédito à taxa fixa ou a taxa indexada à Euribor. No primeiro caso, fica "imune" a alterações das taxas de juros, mas na segunda a sua prestação subirá ou baixará de acordo com as alterações que ocorrerem na Euribor. Caso opter por uma taxa variável terá ainda de pagar o spread, ou seja, à taxa de juro acresce uma percentagem que é a margem de lucro do banco. No caso da taxa fixa esta já estará incluída na taxa que lhe propuserem.

Note, a entidade financeira tem de lhe entregar uma Ficha de informação Normalizada Europeia (FINE) onde constará não só a taxa de juros, mas também os ouros encargos e custos de seguros propostos. Atenção, estes não fazem parte da prestação, acrescem à mesma.

Peça várias propostas a entidades diferentes (ou recorra a um intermediário financeiro que fará o trabalho por si sem custos).

Leia ainda: Simulador da Euribor: O impacto da subida dos juros no crédito habitação

Comparar propostas

Nas propostas, deve ter em atenção, não a Taxa Anual Nominal (ou seja, a TAN) porque representa só os juros que vai pagar, mas sim a Taxa Anual Efetiva Global (TAEG) porque esta engloba todos os encargos que tem de suportar ao longo do empréstimo. Representa o custo global do crédito.

Como é apresentada em percentagem talvez o mais simples, para ter uma maior noção do que vai gastar com o seu empréstimo até ao final no mesmo, será olhar para outro valor que consta na FINE, o Montante Total Imputado ao Crédito (MTIC) que representa em euros quanto gastará com o seu empréstimo.

Leia ainda: TAN e TAEG: Saiba que diferenças separam estas duas taxas

Seguro de Vida

Ao contratar um crédito habitação tem também de contratar um seguro de vida, cujo capital seguro é o valor que a entidade financeira lhe emprestar e o beneficiário do mesmo é a própria entidade financeira. A razão é simples, em caso de lhe acontecer alguma fatalidade, o seguro é acionado e paga à entidade financeira o valor ainda em dívida. Ou seja, o empréstimo ficará pago. E os seus herdeiros ficam com a casa livre de dívidas.

A entidade onde vai contratar o crédito vai propor que contrate com ela o seguro, por vezes até oferecem uma redução do spread se o fazer, mas não tem de aceitar. Poderá fazê-lo em qualquer seguradora respeitando o valor do capital e nomeando como beneficiário o banco. E como os preços variam muito de seguradora para seguradora, convém pedir propostas, compará-las e escolher a mais ajustada a si. Mas, atenção, só pode comparar se tiverem as mesmas coberturas.

Seguro multirriscos

Este é outro seguro que a entidade onde contratar o empréstimo o obriga a fazer. A razão é, mais uma vez, o facto de o banco querer garantir que o imóvel manterá o seu valor. Assim em caso de incêndio será a seguradora a cobrir os custos da reparação ou reconstrução do imóvel.

Imposto do Selo sobre comissões bancárias e montante do crédito

Conte também com impostos sobre as comissões que paga ao banco, sobre os juros e sobre o montante que lhe emprestarem.

Podemos dizer que o valor do imposto do selo sobre as comissões é marginal, já que terá de pagar 4% sobre o valor das mesmas. Sobre os juros também incide o imposto do selo de 4% (estará na prestação mensal).

Já o imposto do selo sobre o montante que lhe emprestaram é de 0,6% sobre esse valor, logo, pode ser significativo.

jovem casal, abraçados felizes, acompanhados por uma agente imobiliária que segura as chaves da casa de sonho que vão comprar

O que vai gastar no ato de comprar a casa

Ao comprar a sua primeira casa vai ter de fazer a respetiva escritura e pagar os impostos correspondentes à transação que está a efetuar.

Escritura

A escritura é um contrato entre duas partes: a que vende o imóvel e quem o vai comprar. Só após a assinatura da escritura o imóvel passa a ser legalmente seu.

O ato da escritura pode ter dois momentos distintos: o contrato de compra e venda (a escritura) e o caso de a compra ser com crédito habitação na mesma altura terá de assinar também o respetivo contrato de mútuo com hipoteca. Será neste contrato que constarão todas as condições do seu empréstimo.

A escritura pode realizar-se em Cartórios Notariais, Conservatórias do Registo Predial ou até através do serviço Casa Pronta. O custo da escritura varia em função do preço de aquisição da casa, de ser habitação própria e permanente ou secundária. Assim, não existe um valor certo, mas será a ser cargo, pois vai comprar o imóvel. E também terá de contar com despesas notarias e de registo.

No entanto, para ter uma ideia do que poderá ter de pagar, se optar por ir a um Balcão Casa Pronta conte com um valor até 700€ se tiver recorrido a crédito habitação, e com metade de a comprar com capitais próprios.

Os valores serão diferentes se optar por ir a um Cartório Notarial, tendo cada um a sua tabela própria, pelo que pergunte o preço antes de decidir onde fazer a sua escritura.

Imposto Municipal Sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT)

Este é o imposto a pagar na altura de fazer a escritura. O IMT é variável, dependendo do valor da transação (ou seja, o valor mais alto entre o valor patrimonial e valor da venda), tipo de imóvel, de ser ou não habitação própria e permanente e da localização do imóvel.

O melhor mesmo é usar o simulador do Doutor Finanças para saber quanto vai pagar.

O que vai gastar depois de comprar a sua casa

Depois de ter a chave na mão, não pense que as despesas com a sua casa já acabaram. Terá de contar com despesas recorrentes com a casa e não estamos a falar das contas da eletricidade, água, gás e telecomunicações.

Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI)

O IMI é um imposto anual que incide sobre o valor patrimonial do imóvel. As taxas deste imposto são fixadas anualmente pelo Município onde o imóvel se insere.

Pode consultar a taxa de IMI que vai pagar no Portal das Finanças.

Seguro multirriscos

O seguro de incêndio é obrigatório para todos os imóveis em fração horizontal. Ou seja, que façam parte de um prédio. E por isso mesmo que não tenha comprado a sua casa sem crédito habitação terá de o contratar.

Deve ponderar fazer, pois, em caso de incêndio, será a seguradora a cobrir a reconstrução do imóvel. Mas há mais razões: se do incêndio resultarem feridos, ou outros danos, em caso de não ter seguro todos os custos serão pagos por si. Se o ferido ficar incapacitado de trabalhar, terá de lhe pagar uma indemnização para o resto da vida.

Normalmente ao seguro de incêndio as seguradoras associam outras coberturas, daí o nome de multirriscos. Cobrem por exemplo inundações.

Condomínio

Se mora num imóvel em propriedade horizontal conte com mais este valor. Será fixado anualmente pela Assembleia de Condóminos.

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.