Crédito

Crédito para Obras – as alternativas mais baratas

Rui Bairrada Rui Bairrada , 6 Setembro 2016
Se vai fazer obras e procura financiamento, deve estudar primeiro as várias opções de forma a escolher aquela que mais se adequa ao seu caso e lhe permite poupar dinheiro. Neste artigo abordamos as duas soluções mais típicas de crédito para obras para que possa tomar uma decisão sensata e ponderada.

Precisa Mesmo Das Obras ? Precisa Mesmo do Crédito?

Antes de começarmos, deixamos algumas questões que costumamos colocar a quem nos contacta:
  1. Será que precisa mesmo de fazer estas obras?
  2. Precisa mesmo de as fazer agora? Não consegue aguardar alguns meses e juntar algum dinheiro para reduzir o montante a financiar?
  3. O seu orçamento mensal permite-lhe acomodar a prestação do financiamento que vai pedir?
Se o conseguir, pode ser sensato aguardar alguns meses para que consiga colocar algum dinheiro de lado, de forma a reduzir o montante do financiamento e com isto poupar dinheiro com juros. Mais importante que escolher a forma de financiamento, é definir estratégias que ajudem a reduzir o montante a financiar.

Quais as opções de financiamento disponíveis?

credito-para-obras-em-casaAs opções de financiamento mais típicas são:
  1. Crédito Para Obras com Hipoteca
  2. Crédito Pessoal para Obras
Conheça abaixo as diferenças entre as duas para que possa escolher a que melhor se adequa ao seu caso.

Crédito Para Obras Com Hipoteca

Esta solução consiste em utilizar a sua casa (e a hipoteca sobre ela) para pedir liquidez adicional. Esta liquidez pode ser utilizada para consolidar créditos, para pagar obras ou para alguma despesa inesperada. O Crédito para Obras com hipoteca tem vindo a crescer em popularidade dado que os bancos estão mais abertos a conceder crédito à habitação.Vantagens As vantagens do crédito com hipoteca consistem no preço e no prazo. No que toca ao preço, a taxa de juro associada a este crédito habitação tem vindo a cair todos os trimestres, sendo que hoje em dia é possível financiamentos com taxas abaixo de 2% ao ano. Relativamente ao prazo, como é possível pagar o crédito em mais anos a sua prestação será mais baixa.Desvantagens As desvantagens desta solução prendem-se com a burocracia, custos formais e com a eventual revisão do spread do seu crédito habitação. É uma solução que implica negociar com os bancos, e que nem sempre é fácil de conseguir. Porém, como o Doutor Finanças negoceia com vários bancos e trata gratuitamente de todas as burocracias por si, acaba por ter a vida facilitada.

Crédito Pessoal Para Obras

paint-933395_1280A segunda solução consiste no tradicional crédito pessoal, podendo dirigir-se a uma ou várias instituições financeiras e solicitar a aprovação do seu pedido de crédito. Pode também solicitar uma liquidez adicional para outras despesas que tenha entretanto.Vantagens As vantagens do crédito pessoal são diversas. É mais prático e menos burocrático, sendo que o processo de aprovação é menos rigoroso e exaustivo do que o crédito para obras com hipoteca. Aqui sugerimos sempre que consulte diversas alternativas para poder negociar as melhores condições. Se não quiser ter este trabalho o Doutor Finanças fará tudo por si sem que tenha de se preocupar e perder tempo.Desvantagens A desvantagem do crédito pessoal face ao crédito com hipoteca prende-se com o preço. O crédito pessoal mais barato tem taxas efetivas perto de 10% e tem de ser devolvido no prazo máximo de 10 anos (alguns bancos só concedem crédito pessoal até 8 anos). Agora imagine o impacto de 8 pontos percentuais em 10 anos... Não só vai pagar muito em juros (devido aos 10%), como terá uma prestação mais alta (devido ao prazo curto).

Tem vários créditos?

Se já possui vários créditos e se um deles for um crédito imobiliário, poderá sempre explorar a alternativa da consolidação de créditos com hipoteca, tentando obter uma liquidez adicional. É possível e poderá ainda reduzir o valor total das suas prestações (aumentando o valor em dívida).

A melhor solução depende do caso

Não é possível dizer que a primeira solução é melhor que a segunda, pois depende muito do caso. Algumas pessoas têm imóveis para dar como hipoteca, o que acaba por facilitar a escolha da primeira opção (taxas mais baixas e prazos mais longos). Outras não conseguem ou não querem fazer hipoteca, pelo que podem preferir optar por um crédito pessoal. Ou, em alguns casos, os custos processuais e a burocracia da primeira opção, podem fazer do crédito pessoal para obras a escolha mais aliciante.O que sugerimos sempre é que consulte o Doutor Finanças para saber qual a alternativa mais adequada à sua situação e às suas necessidades. O fundamental é que faça uma escolha ponderada e responsável que lhe permita suportar a prestação e poupar o máximo possível em todo o processo.
Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #crédito a habitação,
  • #crédito consolidado com hipoteca,
  • #Crédito habitação,
  • #crédito para obras,
  • #crédito pessoal,
  • #obra,
  • #obras

Deixar uma resposta