Catarina Alves de Sousa é uma amante da escrita e da fotografia, bem como apaixonada pela cultura celta. Fique a conhecer a Gestora de Conteúdos do Doutor Finanças.

Todos os dias trabalha para trazer ao site do Doutor Finanças mais e melhores artigos e, consequentemente, para ajudar as famílias portuguesas a equilibrarem as suas contas. Autora do blog Joan of July e do livro “Licenciei-me e agora?”, à Catarina Alves de Sousa nunca faltam palavras.

Conheça a pessoa que está por trás dos artigos do Doutor Finanças, que dicas financeiras aplica na sua vida pessoal e quais os melhores conselhos que tem para si.

Tenho outra dica e que não passa tanto por poupar, mas por gerar (para poupar mais tarde, também pode ser): se têm alguma paixão ou talento, experimentem rentabilizá-los. Sou fã de criar fontes de rendimento alternativas, algo que tenho feito com a minha fotografia, o meu blog, outros trabalhos que faço como freelancer e com os eventos que organizo (excepto o Blogging for a Cause, que é um evento 100% solidário).

Quem é a Catarina Alves de Sousa?

Sou uma pessoa feliz, ambiciosa e sempre com mil e um projetos. Sou apaixonada pela escrita, pelos livros, pela fotografia e por viajar, especialmente para os países de origem celta.
Fora do Doutor Finanças, tenho um blog (o Joan of July), sou uma das organizadoras do projecto e evento Bloggers Camp e Blogging for a Cause, fotógrafa freelancer e – recentemente – escritora. Publiquei o meu primeiro livro em Julho deste ano e chamei-lhe “Licenciei-me… e agora?”. Já estou a trabalhar no próximo livro e estou muitíssimo entusiasmada por ter dado finalmente o salto enquanto escritora.

Qual é o seu trabalho na equipa do Doutor Finanças?

O meu trabalho no Doutor Finanças passa pelo Marketing, Criação de conteúdos (artigos deste blog, newsletters,..) e Gestão de Redes Sociais, bem como pela elaboração de parcerias dentro do Content Marketing.

Qual é a melhor parte do seu trabalho?

Sendo cliché, mas ainda assim verdadeira, as pessoas. O ambiente de trabalho aqui é simplesmente fantástico e todos os dias me divirto imenso, não descurando do trabalho propriamente dito, claro.
Também gosto imenso de poder explorar a minha escrita todos os dias também no trabalho e de aprender mais sobre finanças pessoais todos os dias. Sem querer, tornei-me excecional a gerir as minhas finanças!

Põe em prática os ensinamentos do Doutor Finanças na sua própria vida financeira? Qual é a dica financeira da qual não abdica na sua vida pessoal?

Oh, sim! Para já, utilizo o Boonzi desde 2013, tal como recomenda o Doutor. Em segundo lugar – e é algo que levo muito a sério – estou a construir um fundo de emergência que já atingiu um valor que me está a deixar bastante segura e descansada quanto a futuros (e possíveis) imprevistos.

Qual é o seu pior defeito a gerir dinheiro e que gostaria de melhorar?

O meu pior defeito é não ter mais para gerir (risos).
Posso estar muito enganada, mas não acho que faça muitos disparates. Talvez o pior sejam algumas compras emocionais que faço, mas por outro lado quando as faço tenho plena consciência de que as posso fazer. Em caso de dúvida, consulto o meu orçamento do mês no Boonzi e tiro logo as dúvidas todas!

Em 2018, para já, tenho dois objetivos a nível financeiro:

1. Descontar uma quantia superior todos os meses para o meu Fundo de Emergência;
2. Começar a investir e a levar mais a sério os investimentos, por mais pequenos que sejam. Um passo de cada vez.

Partilhe a sua melhor dica de poupança com os leitores do Doutor Finanças.

Não quero tornar-me demasiado repetitiva, mas… usem o Boonzi, especialmente para os orçamentos e os gráficos que mostram onde andamos a gastar o dinheiro todos os meses.
Para além disso, tenho outra dica e que não passa tanto por poupar, mas por gerar (para poupar mais tarde, também pode ser): se têm alguma paixão ou talento, experimentem rentabilizá-los. Sou fã de criar fontes de rendimento alternativas, algo que tenho feito com a minha fotografia, o meu blog, outros trabalhos que faço como freelancer e com os eventos que organizo (excepto o Blogging for a Cause, que é um evento 100% solidário). Para além de ajudarem a aumentar o meu rendimento, ainda me permitem explorar e melhorar competências que me valorizam a nível pessoal e profissional.

 

Lembra-se do primeiro colaborador que lhe apresentámos? No último mês do ano, fazemos-lhe o convite para espreitar a entrevista a Maria Gabriel Costa, a responsável pela equipa de crédito consolidado.

Etiquetas: