Finanças pessoais

10 dicas para liquidar “depressa” a dívida do cartão de crédito

Liquidar a dívida do cartão de crédito é possível, mas envolve algum esforço e empenho. Reunimos algumas dicas para acelerar o processo.

Finanças pessoais

10 dicas para liquidar “depressa” a dívida do cartão de crédito

Liquidar a dívida do cartão de crédito é possível, mas envolve algum esforço e empenho. Reunimos algumas dicas para acelerar o processo.

Liquidar as dívidas do cartão de crédito pode significar um alívio significativo no seu orçamento familiar. Contudo, atualmente, para muitos portugueses o recurso ao cartão de crédito é um hábito enraizado e a sua gestão parece difícil de mudar.

Com a inflação a subir e a não ser acompanhada por aumentos nos salários, o recurso ao cartão de crédito tende a ser visto como a solução ideal para manter o nível de vida que tem. Mas será que é mesmo?

Dependendo da gestão que é feita, o recurso ao cartão de crédito pode comprometer o seu equilíbrio orçamental. Em situações extremas pode mesmo gerar sobre-endividamento e insolvência pessoal.

Assim, conhecer as "armadilhas" é o primeiro passo para poder liquidar a dívida do seu cartão de crédito

Cuidados a ter no uso do cartão de crédito

Plafond do cartão não é um rendimento extra

O cartão de crédito tem associado um plafond, por muitos considerados como um rendimento extra. Ou seja, um valor que pode gastar por mês para além do rendimento mensal. Mas, de facto, não é. E pensar que é pode comprometer a sua saúde financeira.

O plafond é "apenas" o valor que a entidade financeira que emite o cartão lhe concede como valor máximo que pode gastar (atendendo aos seus rendimentos). Ou seja, o valor que a entidade considera que pode pagar sem comprometer a sua situação financeira. Ou dito de outra maneira, sem entrar em incumprimento.

Assim, o plafond não é um rendimento extra, já que fazer compras com o cartão, está a adiar pagamentos. Ou seja, está a reduzir o seu orçamento disponível nos meses seguintes.

Se não vejamos: tem habitualmente um rendimento mensal de 1.200€ e fez compras este mês com o cartão de 300€, significa que se pagar na totalidade este valor na próxima data de pagamento do cartão de crédito, no próximo mês fica com um rendimento disponível apenas de 900€.  

Leia ainda: O que são as siglas CVV ou CVC no cartão de débito e de crédito?

Pagamento parcial gera mais dívida

Ao contratar um cartão de crédito é-lhe pedido que indique a modalidade de pagamento. Pode optar por um pagamento total ou parcial (este com várias percentagens de pagamento).

Para aliviar o seu orçamento pode pensar que o pagamento parcial é o melhor, mas vai estar a prolongar o pagamento no tempo, encarecer a compra e a agravar a sua situação financeira.

Lembre-se, se a dívida transitar para o mês seguinte vai pagar juros e estes podem ser elevados.

Mas vamos ao nosso exemplo. Fez uma compra de 300€ com o seu cartão de crédito onde optou por fazer o pagamento mensal apenas de 10% do valor em dívida no fecho de cada extrato. Assim, nesse mês paga apenas 30€, ficando em dívida 270€

Se a taxa de juro do seu cartão for de 15%, ao valor em dívida de 270€ tem de acrescer 3,38€ de juros. Ou seja, a dívida que transita para o mês seguinte será de 278,38€. Nesse mês, paga 27,84€, ficando a sua dívida de 250,54€, mais 3,13€.

Neste contexto, o ciclo repete-se, a compra fica mais cara e a dívida vai continuar por liquidar.

Taxas de juro altas e não são atualizadas

Ao contratar o cartão é fixada a taxa de juro que se aplica ao montante em dívida.

Essa taxa, tem um valor máximo fixado trimestralmente pelo Banco de Portugal, que considera o cartão de crédito como crédito a consumidores. A taxa para o segundo trimestre de 2022 foi fixada em 15,8%.

Atenção, este valor só se aplica a novos cartões não existindo atualização da sua taxa atual. O que pode ser bom num cenário de subida de taxas de juro, mas prejudicial no cenário de descida de taxas. Ou seja, se quando adquiriu o seu cartão a taxa estava mais alta, ela não se altera. Veja no seu extrato que taxa lhe está a ser aplicada.  

Lembre-se, só no pagamento a 100% não paga juros.

pagamento Cartão de crédito multibanco

Como liquidar a dívida do seu cartão de crédito

Para liquidar a dívida do seu cartão de crédito existem vários caminhos, mas todos exigem empenho e determinação da sua parte.

1. Estabeleça como objetivo liquidar a dívida

O primeiro passo é fixar como objetivo acabar com a dívida e motivar-se para atingir esta meta. Envolva os membros do seu agregado familiar, já que o esforço deve ser de todos. Tenha sempre em mente que todo o esforço deve ser canalizado para acabar depressa com essa dívida.

2. Avalie a dívida

Pegue no extrato do seu cartão de crédito e determine o valor que tem de pagar.

3. Pare de usar o cartão de crédito

Se está a fixar a dívida do cartão e a quer liquidar, não pode aumentá-la com outros gastos no cartão. Pare de usar o cartão. Esta é a regra de ouro: não aumentar a dívida.

Leia ainda: 6 razões para entregar o seu cartão de crédito

4. Avalie a sua capacidade financeira

Se tem um pagamento parcial com o valor baixo, veja se o seu orçamento comporta aumentar esta percentagem. Se não comportar, não se preocupe. Existem outras maneiras de inicialmente baixar a dívida.

5. Avalie os seus gastos mensais

Se quer liquidar a dívida do cartão de crédito o mais rápido possível não pode contar só com os pagamentos parciais, tem de fazer pagamentos extras todos os meses. Só assim baixa a dívida que passa para o mês a seguir, e reduz o valor dos juros a pagar.

Faça um levantamento dos seus gastos mensais para saber onde gasta o dinheiro todos os meses. Desta forma, pode definir onde cortar gastos.

6. Evite gastos desnecessários

Se, por um lado, existem contas que não pode deixar de pagar as contas todos os meses, por outro, pode tentar evitar gastos que possam ser considerados desnecessários.

Se viu numa loja uns sapatos que gostou muito, antes de os comprar, pense se precisa mesmo deles. Se não precisa coloque o dinheiro de lado para amortizar a dívida do cartão de crédito.

Tinha pensado ir jantar fora com os amigos no fim de semana? Opte por um jantar em casa com a contribuição de todos. O que poupou junte ao valor que já tem posto de lado.

No supermercado, compare o preço do produto que habitualmente compra, com o mesmo produto de marca branca. Compre o mais barato e amealhe o que poupou.

No final do mês, pode ficar surpreso com o montante que juntou. Lembre-se, quanto mais juntar mas depressa líquida a dívida.

7. Venda o que não precisa

Neste caminho, aproveite para ver o que tem no roupeiro e que já não usa. Venda essas peças em sites online de produtos em segunda mão. Pondere também vender outro tipo de artigos para a casa, por exemplo, aos quais não dá uso. Será mais um valor a amealhar.

8. Faça um pagamento extra antes da data de pagamento

No extrato do seu cartão vem a indicação de que pode fazer um pagamento extra antes da data pagamento estipulada. Sendo que este não invalida o pagamento parcial.

Assim, antes dessa data, faça as contas ao valor que conseguiu juntar e faça uma amortização adicional ao valor em dívida.

9. Veja o extrato seguinte

No extrato seguinte, vai verificar que a sua dívida já baixou. Anime-se com os resultados e continue neste caminho até a dívida estar completamente liquidada.

10. Após liquidação da dívida mantenha os "bons hábitos"

Se já fez este esforço e teve frutos, porque não continuar? Aplique o valor na liquidação de outras dívidas e viva sem a pressão das dívidas financeiras.

Leia ainda: Quanto pago por usar o cartão de crédito?

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.