Bem-estar

Reduzir a pegada ecológica: O planeta agradece que siga estas 12 dicas

Numa altura em que as alterações climáticas estão na ordem do dia, reduzir a nossa pegada ecológica pode fazer toda a diferença

Bem-estar

Reduzir a pegada ecológica: O planeta agradece que siga estas 12 dicas

Numa altura em que as alterações climáticas estão na ordem do dia, reduzir a nossa pegada ecológica pode fazer toda a diferença

Reduzir a pegada ecológica deve ser um dos principais objetivos para cada um de nós. Mas, do que falamos, concretamente, quando nos referimos à pegada ecológica?

A pegada ecológica é um indicador da quantidade de recursos consumidos. Isto é, traduz a quantidade de terra e água necessárias para sustentar as gerações atuais. Logo, analisando a nossa pegada ecológica, é possível perceber se o planeta suporta ou não o estilo de vida que levamos.

Portugal tinha em 2021 uma pegada ecológica de 2,75 planetas. Se cada pessoa no planeta vivesse como os portugueses (em média), a humanidade exigiria mais de dois planetas para sustentar as suas necessidades de recursos, segundo apontam os dados da Zero- Associação Sistema Terrestre Sustentável, sendo que, desde o dia 13 de maio de 2021, estamos já a gastar os recursos que deviríamos gastar em 2022.

Sobre estes números, a associação sublinha que a mobilidade e a alimentação são as atividades humanas que mais contribuem para a pegada ecológica.

Assim sendo, importa saber o que podemos fazer para reduzir a nossa pegada ecológica e assim contribuir para deixar um planeta melhor aos nossos filhos e netos. Reunimos 12 dicas relevantes que podem fazer a diferença nesta missão.

1. Use sacos reutilizáveis e reutilize outros sacos

Ir ao supermercado e levar sacos para colocar as compras é já faz parte das rotinas de muitos consumidores. Aliás, a introdução do pagamento dos sacos de plástico nas superficíes comerciais veio impulsionar este hábito na nossa ida às compras.

Mas, temos de ir mais longe. Na zona dos frescos, ainda há sacos de plástico que usamos para colocar a fruta e os legumes, e só os usamos uma vez. Chegamos a casa e deitamos fora. Assim, pondere guardá-los e levá-los também na próxima ida ao supermercado. Vai estar a ajudar o ambiente, reduzindo o seu consumo e diminuindo o lixo.

E que tal fazer como a sua avó? Leve sacos de pano, o planeta agradece.  

2. Leve de casa os sacos para as compras

Hoje em dia, em qualquer loja, seja de produtos alimentares ou de vestuário, tem de pagar o saco, mesmo que seja de papel. O objetivo é simples: reduzir o consumo.

Assim sendo, tente ter sempre na sua mala um saco de pano. Vai poupar dinheiro e ajuda o ambiente, mais uma vez, reduzindo o consumo e o lixo. Logo, vai estar a reduzir sua pegada ecológica.

3. Na farmácia não paga, mas não precise de saco

Quando vai à farmácia não lhe cobram o saco de papel onde colocam os medicamentos. Mas, o que faz com ele depois? Acaba, certamente, o lixo. Tente levar todos os medicamentos na sua mala ou leve um saco.

4. Não desperdice comida

Mais uma regra de ouro. Lembra-se de ir a casa da sua avó e depois de uma refeição ela guardar as sobras em caixinhas?  Nessa altura, a pegada ecológica era menor e ela já tinha este pequeno (grande) gesto. Que tal seguir este exemplo?

Neste contexto, o seu primeiro passo deve ser planear as refeições, adequando as quantidades ao que realmente vai consumir. Mas, de facto, nem sempre é fácil. Por isso, as sobras podem ser guardadas para consumo na refeição seguinte, para o almoço no dia seguinte, no trabalho, ou congelar para aproveitamento noutro prato. Procure na internet, há receitas só dedicadas ao aproveitamento de sobras.

Tenha também em atenção o prazo de validade dos alimentos. Quando estiverem perto do fim, cozinhe-os. Não deite fora. O planeta agradece e está, uma vez mais, a reduzir a sua pegada ecológica.

Leia ainda: Desperdício alimentar: pode ajudar o ambiente e ainda poupar dinheiro

5. Reduza o consumo de carne  

Se nos ficarmos apenas pela comparação do preço da carne com o do preço do peixe, pode não ser uma medida fácil de implementar.

No entantos, os estudos mostram que grande parte dos gases de efeito de estufa são gerados pela produção massiva de carne. Por isso, reduzir o seu consumo, é uma medida por si só amiga do ambiente.

Mas, a substituição por peixe pode ser difícil para muitos orçamentos familiares. Logo, pode ponderar recorrer mais a refeições à base de vegetais. Há também muitas receitas disponíveis na internet.

Neste passo, pondere ainda envolver os seus filhos na confeção dos pratos e explique porque estão a comer estes "substitutos". Pode ser uma forma de os incentivar a comer os legumes, que muitas vezes não querem e, ao mesmo tempo, aplicarem hábitos saudáveis e sustentáveis.

pequenos vasos com pés plantadis que fazem uma horta caseira

6. Faça uma horta caseira

O ideal é comprar sempre alimentos cultivados sem pesticidas, ou seja, produtos biológicos. Mas, de facto, os preços voltam a pesar nesta equação. Assim, se o seu orçamento permitir, prefira estes produtos. Compre-os no mercado perto de sua casa.

Por outro lado, se tiver uma varanda, tente fazer uma horta caseira, mesmo que pequena. Plante ervas aromáticas e legumes pequenos. Os seus filhos vão adorar e assim vai dar-lhes produtos sem pesticidas. Com este passo vai estar também a contribuir para a diminuição da poluição do solo e lençóis de água subterrânea.

7. Reduza o consumo de água

Sabia que da água disponível do mundo, cerca de 97,5% é água salgada (só 2,5% é água doce)? E destes, só 22% estão disponíveis para o consumo humano em água subterrâneas ou nos rios e lagos, ou seja 0,55% da água total do planeta? Importa sublinhar que nem toda é potável.

Estes números explicam por si a importância de poupar água. Então, se ainda não o faz, comece por fechar a água enquanto escova os dentes ou ensaboa o corpo, optando também por duche em vez de banho de imersão. Pode ainda reduzir a quantidade de água despejada em cada descarga do autoclismo, ponha a máquina da roupa a lavar perto da sua capacidade máxima.

São pequenos gestos, mas que no futuro vão fazer toda a diferença.

8. Reduza os gastos em energia

Ter eletrodomésticos de baixo consumo energético e com boa eficiência energética é fundamental. Ao comprar uma máquina de lavar roupa ou loiça, ou um frigorifico veja a sua eficiência energética. Irá gastar menos eletricidade e para além de ajudar o planeta o seu orçamento familiar também irá agradecer.

Além disso, tenha em atenção o número de aparelhos que tem ligados ao mesmo tempo – se está a ver televisão, tem de ter o computador ligado? Se tem um portátil, não o tenha sempre ligado à corrente. Quando acabar de carregar o telemóvel náo se esqueça de retirar o carregador da tomada.

Leia também: Certificado energético: Saiba como utilizar para reduzir a conta da luz

9. Cuidado com as luzes

As luzes têm de estar acesas quando não está em determinada divisão? Apague-as e vai ver a sua conta da luz a baixar.

Por outro lado, deve também pensar em por substituir todas as lâmpadas por lâmpadas LED. Duram mais e consomem menos, pelo que só terá vantagens em substituí-las.

Leia também: Tarifa bi-horária: Saiba como ajustar-se e se consegue poupar na luz

10. Ande a pé ou de transportes públicos

No dia a dia, andar de carro é um hábito muito enraízado, e com a pandemia e o receio de contaminação nos transportes públicos levou a que muitos mantivessem esse hábito, ou começassem mesmo a usar o seu carro para ir para o trabalho.

Porém, o uso do automóvel é uma das maiores causas de aumento do consumo de combustíveis fosseis e da poluição.

Assim, pondere reduzir a sua utilização. Se é daquelas pessoas que até para deslocações pequenas usa o carro, mude os seus hábitos. Vá a pé ou de bicicleta. Além de não poluir o ambiente, faz exercício físico.

Na deslocação para o trabalho, vá de transportes públicos. Cumpra com todas as regras sanitárias de combate à pandemia e vai estar seguro enquanto ajuda o ambiente e reduz a sua pegada ecológica.

11. Recicle

Recicle tudo o que puder: cartão, plástico e vidro. Não se esqueça dos óleos usados.

Por outro lado, quando comprar um produto privilegie os que são feitos a partir de produtos reciclados.

12. Reutilize

Dê nova vida a roupas, brinquedos ou outros objetos que já não utiliza, mas que, se se estão em bom estado, podem ser úteis a outras pessoas.

Pondere ainda passar roupa para filhos mais novos, sobrinhos ou filhos de amigos, ou vVenda em sites de segunda mão. Desta forma, vai ainda conseguir obter algum rendimento. Ou então simplesmente decida doar a quem mais precisa.

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.