Finanças pessoais

PPR, FPR ou Certificados de Reforma? Qual se ajusta aos seus planos?

PPR, FPR, Certificados de reforma são produtos distintos. Saiba qual o mais adequado para si e para a preparação da sua reforma.

Finanças pessoais

PPR, FPR ou Certificados de Reforma? Qual se ajusta aos seus planos?

PPR, FPR, Certificados de reforma são produtos distintos. Saiba qual o mais adequado para si e para a preparação da sua reforma.

Nunca é cedo demais para poupar e até para planear a sua reforma. Os produtos financeiros como PPR (Planos de Poupança Reforma), FPR (Fundos de Poupança Reforma) ou os Certificados de Reforma (produto financeiro do Estado) podem ajudá-lo a planear esse caminho.

Ao começar a vida ativa há seguramente um sem número de objetivos em mente: compra de casa e de um carro, fazer férias ou planear o futuro dos seus filhos. Logo, amealhar para a reforma é, por esta altura, um objetivo que nem considera urgente.

Porém, esta questão deve merecer mais atenção, já que a pensão de reforma é substancialmente inferior ao valor que se recebe quando estamos na vida ativa. Assim, como vai manter o seu nível de vida nessa fase? O importante é começar a planear o quanto antes.

Orçamento familiar: regra 50-30-20

O planeamento passa por uma gestão cuidada do seu orçamento familiar. Para tal, pode recorrer à regra 50-30-20. Trata-se de uma regra simples e consiste em dividir o seu rendimento mensal em três partes, cada uma com o seu destino fixo:

  • 50% destinam-se a gastos mensais com as despesas da casa, fixas ou não. Inclui assim, a renda ou prestação da casa do crédito habitação, água, luz, telefone e telemóvel, gás, internet, seguros, alimentação e transportes:
  • 30% destina-se aos gastos com o seu estilo de vida. Ou seja, a vestuário, restaurantes, cinema, teatros, concertos, e cuidados pessoais como cabeleireiro e ginásios:
  • 20% destina-se obrigatoriamente a poupança. Destine metade deste valor à constituição de um fundo de emergência (que deverá ter um valor no mínimo idêntico a 6 meses das suas despesas com a casa). Mas depois de ter este valor destine essa metade à poupança para outro dos seus objetivos pessoais, seja ele de educação dos seus filhos ou uma viagem. Os restantes 50% do valor destinado à poupança aplique-os em produtos financeiros destinados à reforma, ou seja em Planos de Poupança Reforma (PPR), Fundos de Poupança Reforma (FPR) ou Certificados de Reforma (CR).

PPR, FPR ou Certificados de Reforma, o que mais se adequa ao meu caso?

Onde investir o seu dinheiro só depende de si e dos seus planos. Depende, concretamente, do seu perfil de risco e dos objetivos que definir.

Se tem um perfil conservador, onde a preservação do capital investido é um objetivo que supera a necessidade de uma maior rentabilidade (que traz sempre consigo um maior de risco), deve optar por produtos de capital garantido.

Se pelo contrário, não se importa de arriscar parte do capital investido em troco de uma potencial maior rentabilidade no futuro, ou seja, se tem um perfil de risco mais agressivo, pode fazer mais sentido um produto com essas características. Mas, lembre-se, também pode encontrar diferenças entre o risco a assumir e quanto maior a rentabilidade potencial prometida maior o risco que vai ter de assumir.

Outro aspeto a ter em conta é a sua liquidez. Ou seja, de que forma pode impactar nas suas contas diárias ou mensais ter de aguardar, ou não, durante um determinado período até poder resgatar o produto.

Leia ainda: “Antes de investir, pense quanto está disposto a perder”

casal sénior viaja de mochila as costas, aproveitando as suas poupanças para a reforma e de reforma antecipada

No que diferem PPR, FPR e Certificados de Reforma?

Planos de Poupança Reforma

Onde subscrever

Bancos, seguradoras e sociedades gestoras de fundos.

Capital Garantido

Geralmente sim, dado ser um produto de capitalização associado a um seguro do ramo vida. no entanto, leia atentamente as condições do produto.

Rentabilidade garantida

Sim.

Possibilidade alta rentabilidade

Não.

Como são feitas as entregas?

Por débito na conta bancária que indicar.

Periodicidade das entregas

Podem sem programadas ou não. Deverá ler as condições do produto já que a periodicidade das entregas programas varia de produto para produto.

Valor das entregas

O montante mínimo depende do produto.

Possibilidade de cessar as entregas

Sim, a qualquer altura.

Penalização por falta de entregas

Não existe.

Renovação

Não se aplica.

Liquidez

Sim, embora tenha penalização nos benefícios fiscais.

Resgate

É possível a qualquer altura, mas com devolução dos benefícios fiscais das entregas acrescidos de 10%. Pode resgatar sem penalização no caso de:

  • Reforma por velhice ou invalidez;
  • Apartir dos 60 anos mas só se o PPR já tiver mais de cinco anos
  • Desemprego de longa duração (ou o cônjuge);
  • Doença grave de membro do agregado familiar;
  • Pagar crédito habitação.

Recebimento do valor resgatado

Pode optar por receber o valor total, uma renda vitalícia mensal ou ainda uma combinação de ambas.

Comissões

Terá de apagar comissão de subscrição, gestão, depósito, resgate e transferência se definidas no produto.

Possibilidade de transferência de entidade

Sim, que de PPR quer de entidade.

Benefícios fiscais das entregas

Os valores que entregar num ano permitem dedução à coleta de 20%, mas com limites em função da idade:

  • Se tiver até 34 anos, dedução até 400€, se aplicar 2000€;
  • se tiver entre 35 e 50 anos, pode deduzir até 350€, se aplicar 1750€
  • Mas se tiver mais de 50 anos, pode deduzir 300€, se aplicar 1500€.

Benefícios fiscais no resgate

Se o resgate ocorrer sem penalização apenas incide IRS de 8%, sobre a rentabilidade obtida. Caso contrário a taxa de IRS será maior. Assim, a taxa de IRS será de:

  • 21,5% se o resgate for feito nos antes de cinco anos;
  • 17,2% se for feito do 5.º ano até ao 8.º ano;
  • 8,6% se ocorrer a partir do .8º ano, mas só de pelo menos 35% da totalidade das entregas, tenha sido efetuada na primeira metade de vigência do contrato.

Leia ainda: Existe a idade “ideal” para começar a investir num PPR?

Fundos de Poupança Reforma (FPR)

Embora com muitas semelhanças com os PPR, têm no entanto diferenças substancias quanto aos riscos assumidos e respetiva rentabilidade possível

Onde subscrever

Bancos e sociedades gestoras de fundos.

Capital Garantido

Não, as entregas são convertidas em unidades de participação de um fundo mobiliário.

Rentabilidade garantida

Não.

Possibilidade alta rentabilidade

Sim. Como é um produto de risco, sem garantia de capital, existe a possibilidade de obter uma maior rentabilidade.

Como são feitas as entregas

Por débito na conta bancária que indicar.

Periodicidade das entregas

Podem sem programadas ou não. Para tal deve ler as condições do produto já que a periodicidade das entregas programas varia de produto para produto.

Valor das entregas

O montante mínimo depende do produto.

Possibilidade de cessar as entregas

Sim, a qualquer altura.

Penalização por falta de entregas

Não se aplica.

Renovação

Não se aplica.

Liquidez

Sim, embora tenha penalização nos benefícios fiscais.

Resgate

É possível a qualquer altura, mas com devolução dos benefícios fiscais das entregas acrescidos de 10%. Assim, pode resgatar sem penalização no caso de:

  • Reforma por velhice ou invalidez;
  • A partir dos 60 anos mas só se o PPR já tiver mais de 5 anos
  • Desemprego de longa duração (ou o cônjuge);
  • Doença grave de membro do agregado familiar;
  • Pagar crédito habitação.

Recebimento do valor resgatado

Pode optar por receber o valor total, uma renda vitalícia mensal ou uma combinação de ambas;

Comissões

Tem de apagar comissão de subscrição, gestão, depósito, resgate se definidas no produto.

Possibilidade de transferência de entidade

Sim, quer de FPR quer de entidade.

Benefícios fiscais das entregas

Os valores que entregar num ano permitem dedução à coleta de 20%, mas com limites em função da idade:

  • Se tiver até 34 anos, dedução até 400€, se aplicar 2000€;
  • Se tiver entre 35 e 50 anos, pode deduzir até 350€, se aplicar 1750€
  • Se tiver mais de 50 anos, pode deduzir 300€, se aplicar 1500€.

Benefícios fiscais no resgate

Se o resgate ocorrer sem penalização apenas incide IRS de 8%, sobre a rentabilidade obtida. Caso contrário a taxa de IRS será maior. Assim, a taxa de IRS será de:

  • 21,5% se o resgate for feito nos antes de cinco anos;
  • 17,2% se for feito do 5.º ano até ao 8.º ano;
  • 8,6% se ocorrer a partir do 8.º ano, mas só de pelo menos 35% da totalidade das entregas, tenha sido efetuada na primeira metade de vigência do contrato.

Certificados de Reforma (CR)

Os certificados de reforma, muitas vezes denominados de PPR do Estado têm diferenças substanciais face a estes que importa conhecer.

Onde subscrever

Na Segurança Social. Poderá fazê-lo presencialmente mas também poderá fazer online na Segurança Social Direta. Terá de preencher o Modelo RPC01-DGGS, formulário existente para o efeito.

Capital Garantido

Não, pois as entregas são convertidas em unidades de participação de um fundo mobiliário.

Rentabilidade garantida

Não.

Possibilidade alta rentabilidade

Sim. Como é um produto de risco, sem garantia de capital, existe a possibilidade de obter uma maior rentabilidade.

Como são feitas as entregas

Por desconto direto feito pela Segurança Social diretamente no seu ordenado.

Periodicidade das entregas

Mensal.

Valor das entregas

O valor será uma percentagem fixa do salário que deverá escolher na adesão. Pode ser de 2% ou 4%. Mas se tiver mais de 50 anos pode também escolher 6%.

Possibilidade de cessar entregas

Só será possível na data da renovação.

Penalização por falta de entregas

Serão cobradas despesas administrativas.

Renovação

Anual, em fevereiro. A renovação é automática, mas nessa data pode alterar a percentagem de desconto ou suspender as entregas.

Liquidez

Não (ver resgate).  

Resgate

Só pode resgatar quando tiver direito a pensão de reforma ou invalidez.

Recebimento do valor resgatado

Pode optar por receber o valor total ou uma renda vitalícia mensal (se o valor da renda dor superior a 2,5% do IAS, ou seja 11,08€ em 2022). E ainda uma combinação de ambas (se o valor da renda for superior a 10% do IAS ou seja 44,32€ em 2022).

Comissões

Não existem comissões a pagar.

Possibilidade de transferência de entidade

Não.

Benefícios fiscais das entregas

Os valores que entregar num ano permitem dedução à coleta de 20%, mas com limites em função da idade:

  • Se tiver até 35 anos, dedução de 400€;
  • Se tiver mais de 35 anos a dedução é de 350€.

Benefícios fiscais no resgate

Apenas incide IRS de 8%, sobre a rentabilidade obtida.

Na hora da decisão

Os produtos financeiros destinados à reforma, PPR, FPR e Certificados de Reforma, têm algumas características idênticas e outras diferentes entre eles. Para escolher o que mais se adequada a si analise atentamente as ofertas existentes e ajuste-os ao seu perfil de risco.

Leia ainda: Subida das taxas de juro: Há vantagens para quem tem poupanças?

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.