Na altura da compra de um bem ou na aquisição de um serviço, os consumidores que possuem recursos financeiros limitados comparam preços, características e outros factores sociais. Neste artigo, falamos mais precisamente da compra de um carro e da escolha entre gasóleo e gasolina.

Pedro Pais é o fundador do financaspessoais.pt e do forumfinancas.pt. O Pedro é um dos maiores promotores de literacia financeira em Portugal contribuindo com centenas de artigos, ferramentas e simuladores que ajudam as pessoas a poupar, a investir ou a decifrar os mistérios da fiscalidade.

Apenas comparando é que se pode auferir a verdadeira importância destas características e reflectir se valerá a pena despender de mais alguns euros.

Pretendo neste artigo realizar um pequeno exercício que permite ao comprador, encontrar o ponto de equilíbrio entre dois bens, encontrando sempre a compra ou escolha inteligente.

Exercício prático para uma compra inteligente

Consideremos dois automóveis da marca Mercedes:

  • M1: C 200 Kompressor Classic 4p FL – sendo um carro a gasolina, com um valor no mercado de € 43.745
  • M2: C 200 CDI Classic 4p FL que utiliza o gasóleo como combustível, com um preço € 45.299.

Mercedes C
Existem características diferentes nos dois objectos em estudo: prestações do motor, velocidade, etc. Dadas as diferentes características, o consumidor terá de quantificar quanto estaria disposto a pagar para que o carro M2 (vel. max: 208 km/h) atinja a velocidade do M1 (vel. max: 234 km/h) e assim sucessivamente para todas as características.

Outros factores importantes são os custos variáveis, como por exemplo o combustível Gasóleo ou Gasolina. Sabemos que o Gasóleo cifra-se (em termos simplificados) no €1/litro e a gasolina €1,25/litro (para simplificar vamos assumir que ambos os carros têm o mesmo nível de consumo).

Depois destes dados, aplicamos a seguinte fórmula para escolher qual o tipo de carro ou combustível:

  • Somatório das características do M1 = Somatório das características do M2
  • €43.745 + €1,25 x Kms = €45.299 + €1 x Kms + €1000*
  • €1,25 x Kms – €1 x Kms = €45.299 + €1000* – €43.745 [Coloca-se as incógnitas no mesmo lado]
  • €0,25 x Kms = €2554
  • Kms = €2554 / €0,25 = 10.216 Kms

* €1000 seria, por exemplo, o valor que eu estaria disposto a pagar para que o carro M2 consiga as prestações ao nível do motor do M1.

O resultado obtido significa que caso a distância estimada a percorrer seja de 10.216 Kms os carros se equiparam, atingindo o chamado ponto crítico ou de equilibro.

Conclusão: se pensa em utilizar o veículo em menos de 10.216 Kms compensa mais comprar o carro M1, se pretende realizar mais Kms do que 10.216 será mais vantajoso o veículo M2.

Aplicação no mundo real

O exercício não contemplou (propositadamente) alguns factores importantes, como o valor de cada carro no final de vida ou o consumo e manutenção associado a cada um deles.

Mas a possibilidade que o mesmo tipo de exercício nos apresenta é fantástica, servindo como modelo à avaliação de dois ou mais bens semelhantes e sendo uma forte base de suporte à decisão.

Este exercício pode ser aplicado para comparar impressoras, maquinas fotográficas, etc.

Escrito por Óscar Bernardes em 24 de Abril de 2007.

Etiquetas: