Por vezes, temos tendência a achar que poupar nas pequenas coisas é um esforço ingrato, pois são pequenos montantes e não representam grandes montantes. No entanto, vários pequenos montantes podem gerar grandes quantias. Fique a saber como poupar em pequenas despesas. 

 Pedro Pais é o fundador do financaspessoais.pt e do forumfinancas.pt. O Pedro é um dos maiores promotores de literacia financeira em Portugal contribuindo com centenas de artigos, ferramentas e simuladores que ajudam as pessoas a poupar, a investir ou a decifrar os mistérios da fiscalidade.

Poupar nas pequenas despesas é difícil e por vezes mesmo contraproducente. A poupança obtida em cada acto é reduzida e ao focarmos a atenção nas mesmas podemos acabar por ignorar outras de valor bem superior. Ainda assim, há casos em que é fundamental poupar nas pequenas despesas, principalmente quando o rendimento é baixo e já não há margem de manobra para poupar nas categorias mais relevantes. Existem também casos frequentes em que pequenas despesas são na realidade grandes despesas mascaradas, pelo que uma análise é premente.

Num rendimento de €1.000/mês líquidos conseguir poupar €50/mês traduz-se numa poupança de 5%, o que quando as coisas estão apertadas não é de descurar.

Método para poupar nas pequenas despesas

  1. Identificar as pequenas despesas;
  2. Ver qual o impacto das mesmas em termos mensais;
  3. Seleccionar as de maior valor;
  4. Cortar ou arranjar alternativa mais económica.

Vejamos em detalhe cada passo:

Antes de mais é necessário obter uma compreensão de quais são as pequenas despesas incorridas no dia-a-dia. A melhor forma é durante alguns dias ou um par de semanas apontar todas as despesas, usando o Boonzi (o nosso software preferido nesta área), guardando as facturas das despesas ou apontando num caderno.

Para cada despesa identificada é então necessário perceber que valor representam em termos mensais. Por exemplo, 3 cafés por dia (€0,60/café) representa 54€/mês (3 cafés * 0,60€ * 30 dias); um lanche diário nos dias de trabalho de €2,50 dá €55/mês (€2,50 * 22 dias de trabalho); uma revista semanal de €3,00 dá €12-15/mês (€3,00 * 4-5 semanas por mês).

Regra geral devemos “atacar” as despesas que representam o maior valor, pois é o onde obteremos resultados mais relevantes. No nosso exemplo, os cafés e lanches diários seriam os alvos.

Com as despesas seleccionadas é agora uma questão de escolher se é possível cortar completamente ou se, pelo menos, é possível obter uma alternativa mais económica, o que requer alguma imaginação. Talvez não seja possível nem saudável eliminar completamente os lanches diários, mas se levar algo de casa que comprou no supermercado pode eventualmente reduzir dos €2,50 diários para €1,00, conseguindo uma poupança de €33/mês. 

Chamada de atenção

Na poupança o foco deve ser antes de mais nas grandes despesas, onde com frequência é possível poupar muito dinheiro sem prejudicar a qualidade de vida. Algumas categorias relevantes nesta área são: alimentação, seguros, serviços de TV/Internet/Telefone ou mensalidades desportivas.

Em relação à poupança nas pequenas despesas, trata-se de uma abordagem mais extrema, que deve ser efectuada com ponderação, pois normalmente exigem um esforço continuado, o que pode gerar algum desgaste pessoal e deitar tudo a perder. Contudo, em tempos de aperto ou quando as alternativas mais significativas estão esgotadas, pode ser ser a única forma de fazer “esticar” o seu dinheiro.