Utilidades

Simulador de Subsídio de Desemprego

Pedro Pais Pedro Pais , 7 Outubro 2013 | 357 Comentários

Quando o desemprego é iminente ou já uma infeliz realidade, convém saber com o que se conta. Para ajudar, desenvolvemos um simulador para calcular o subsídio de desemprego, que abaixo apresentamos. Com o simulador vai poder consultar a duração do subsídio e os valores a receber durante este período.

De salientar que os dados de remuneração a introduzir referem-se aos primeiros 12 meses dos últimos 14 anteriores à situação de desemprego. Exemplo: se ficou desempregado em Janeiro de 2017, considerará desde Novembro de 2015 até Outubro de 2016, inclusive.

Simulador de Subsídio de Desemprego

Dados contributivos
Dados referentes aos primeiros 12 meses dos últimos 14 anteriores à situação de desemprego

1 Nos primeiros 12 meses dos últimos 14 anteriores à situação de desemprego

Enquadramento em IRS
Situação familiar

Valor mensal inicial:

Valor mensal após 180 dias:

Duração:

Se a 31/03/2012 já tinha 450 dias de descontos nos últimos 24 meses e é a sua primeira situação de desemprego desde 01/04/2012, a duração é de
Partilhe este artigo

Deixar uma resposta

373 comentários em “Simulador de Subsídio de Desemprego

  1. Boa tarde,
    Tenho 55 anos 2 anos de descontos desde a minha última situação de desemprego. O valor do que recebia era de 650 €.
    Que valor e durante quanto tempo irei receber o subsídio de desemprego?

    1. Olá, Anabela.

      A razão pela qual a calculadora pede tantas informações é porque elas são mesmo precisas para responder à sua questão.

      Está a ter algum problema com o seu preenchimento?

      1. Não, mas gostaria de saber se está correto em relação à minha situação ou se é um cálculo generalizado.
        De qualquer forma, muito obrigada pela atenção dispensada.
        Anabela

    1. Olá, Viriato.

      Desde que as rendas não sejam recebidas no âmbito de uma atividade independente, por exemplo, diria que sim, que pode acumular as duas coisas.
      No entanto, convém confirmar esta interpretação junto da Segurança Social…

  2. Boa tarde
    Sou trabalhador independente,tenho 62 anos de idade ,desconto para a s.social a 40 anos sob o ordenado de 600€.
    Acontece que o senhorio nós vai por fora e terei que acabar a actividade.qual o valor que irei receber de subsídio da s.social?
    Poderei recorrer a outra entidade?

    1. Olá, Francisco.

      Não é claro da sua exposição se cumpre os requisitos para ter acesso ao subsídio por cessação de atividade. Um dos requisitos é que seja dependente em mais de 50% de uma única atividade contratante e o Francisco não indica se é ou não o caso. Não tem hipótese de alugar um outro espaço e continuar a sua atividade a partir daí?

      Se tiver atividade empresarial, pode ter direito ao subsídio por cessação de atividade profissional.

      Sugiro que contacte a segurança social para saber o que é aplicável ao seu caso concreto…

  3. Boa tarde
    Tenho 51 anos e 30 de descontos.
    Tenho uma incapacidade de 60%.
    Fiquei desempregada a 31/12/2012 e voltei a trabalhar a 18/02/2013.
    No entanto vou ficar desempregada a 31/12/2019.
    Tenho direito a quantos meses de desemprego?
    Cumprimentos

    1. Olá, Susana.

      O subsídio de desemprego devia ter sido pedido até 90 dias após a data do mesmo. Pode ainda ter direito a receber uma parte, caso tivesse direito a mais de 12 meses do mesmo, mas não dá dados suficientes para lhe poder dar uma resposta concreta.

      Do ponto de vista de desemprego existem vários subsídios, dependendo de qual era a sua situação (trabalhadora por conta de outrem, trabalhadora independente dependente de uma única entidade, trabalhadora independente com atividade empresarial ou gerente ou administradora de sociedade). Para cada um destes tipos, existe também o correspondente subsídio social, a que pode ter direito quando tem baixos rendimentos e não tem direito ao primeiro (ou este já terminou o prazo).

      Sugiro que procure o que se aplica ao seu caso concreto e leia com atenção os detalhes da página correspondente para saber se ainda tem ou não direito ao mesmo e o que precisa de fazer para o conseguir.

      Se não tiver direito a nenhum deles e estiver numa situação de pobreza, pode ter direito ao rendimento social de inserção. Mais uma vez, recomendo a leitura da informação para saber se se pode aplicar a si ou não.

      Em caso de dúvidas, recomendo dirigir-se aos serviços da Segurança Social para que possam analizar o seu caso concreto.

  4. É o seguinte. Estou grávida.
    Estou de baixa de risco desde maio2019. O contrato de trabalho terminou em Agosto2019. Mas continuo com a baixa de risco. A bebe nasce fins de novembro2019. Tenho licença de maternidade até fins de Março2020. Sera que depois de Março2020 tenho direito a desemprego?
    Nao sei ao certo quantos dias tenho de descontos antes de engravidar.
    Tenho 21 anos.

    1. Olá, Ana.

      Deve requerer o subsídio de desemprego até 90 dias consecutivos depois da data do desemprego, sob pena de perder direito ao tempo correspondente ao atraso. (pode entregar o pedido através de um representante, se estiver incapacitada de o fazer).

      Estando a receber subsídio de risco clínico durante a gravidez (e mesmo depois, com o subsídio parental), o subsídio de desemprego fica suspenso até deixar de receber esses pagamentos e só começa a contar o prazo de pagamento nessa altura.

      Por exemplo, suponhamos que ainda tem mais 6 meses pela frente com o subsídio de risco clínico e de parentalidade e que tinha direito a um ano de subsídio de desemprego. Esse ano só vai começar a contar daqui a 6 meses, quando deixar de receber os outros subsídios e só terminaria daqui a ano e meio.

      Pode encontrar mais detalhes sobre o subsídio de desemprego e o que precisa de fazer para o requerer no portal da segurança social. Já agora, também lá encontra informação sobre os subsídios relacionados com a maternidade.

  5. Olá, antes de mais obrigado pela simulador e pela dedicação a este tema.

    Tenho uma questão que não tenho conseguido encontrar resposta online.
    Estou desempregado há 2 meses e fiz-lo voluntariamente depois de trabalhar 16 anos numa empresa.
    Neste momento tenho uma oferta de emprego que irei aceitar.
    Se esta nova empresa despedir durante o período experimental, o subsidio de fundo de desemprego que terei irá incluir os 16 anos de descontos?

    Mais uma vez obrigado,
    Melhores Cumprimentos,
    Miguel Rocha

    1. Olá, Miguel.

      Conforme informação prestada na página da Segurança Social, o subsídio de desemprego é calculado com base nos rendimentos dos primeiros 12 meses civis dos últimos 14 a contar do mês anterior ao da data de desemprego.

      Assim, embora possa ser tido em conta o rendimento que tinha no emprego anterior, não são os 16 anos que entram para essa conta…

  6. Boa tarde.
    Sou um prestador de serviços, mas um “falso recibo verde” em regime simplificado, com 40 anos de idade e que foi dispensado após 5 anos de trabalho para a mesma entidade, sendo 100%dependente da mesma.
    O valor mensal sem IVA é de 2814.38, ao qual acresce 647.31 € de IVA, e com retenção na fonte (25%) de 703.70, recebendo no total 2758.09€. A contribuição para a SS durante este ano foi de 316.20 com os 25% de desconto. Porém no ano de 2018 as contribuições para a social eram de 187.07€ ( 2° escalão). A Cessação de actividade poderá ser agora em 31 de Outubro de 2019 ou 31 de Dezembro de 2019, ainda em negociação com a entidade patronal).
    Nesse sentido, gostaria de saber se me poderia ajudar a calcular qual o valor do meu subsídio de desemprego, se cessar actividade em outubro ou se cessar em Dezembro, visto que não estou a entender a fórmula disponível no site da SS.
    Certo que este meu pedido irá merecer a v/melhor atenção subscrevo-me com os melhores cumprimentos,

    José Nascimento

    1. Olá, José.

      De acordo com a Segurança Social, o subsídio por cessação de atividade é calculado de acordo com a fórmula (valor diário):

      (RRx0,65)xP, em que:

      RR = remuneração média diária definida por R/360

      R = total das remunerações registadas nos 12 meses civis que precedem o 2.º mês anterior ao da data da cessação involuntária do contrato de prestação de serviços

      P = percentagem correspondente à dependência económica do beneficiário relativamente à entidade contratante.

      No seu caso, diria que deve considerar:
      até 31/12/2018 o montante correspondente ao escalão pelo qual estava a descontar (cerca de 630€, não fui confirmar o valor exato)
      nos meses deste ano, 75% do montante que recebe (dado que está a optar pelo desconto de 25%), ou seja, 2110,79€.

      Ou seja, se cessar a atividade em 31 de outubro. O 2º mês anterior a outubro é agosto. Os 12 meses que precedem agosto correspondem ao período de agosto/2018 a julho/2019.

      Ou seja:
      RR = (5 * 630€ + 7 * 2110,79€) / 360 = 49,79€ / dia
      Admitindo que no seu caso P = 100%, então o valor diário a receber de subsídio rondará os 32€

      Em qualquer caso, convém confirmar estes valores junto da Segurança Social…

  7. Como é calculada a remuneração de referencia para efeito de subsidio de desemprego tendo estado os ultimos 3 meses com baixa médica?

    1. Olá, José.

      De acordo com o Guia Prático sobre o Subsídio de Desemprego da Segurança Social:

      Os dias em que está a receber subsídio de doença também contam como dias em que descontou para a Segurança Social. Durante esse período, assume-se que os seus rendimentos são iguais ao valor da remuneração de referência.
      No entanto, se a baixa se verificar durante o contrato de trabalho e se entretanto ocorreu uma situação de desemprego e a baixa se prolongar por mais de 30 dias, tem de ser comunicada à Segurança Social e confirmada pelo Sistema de Verificação de Incapacidades para que lhe seja suspenso o prazo de 90 dias consecutivos (seguidos), a contar do dia em que ficou desempregado, que têm para requerer o subsídio de desemprego, caso contrário, retoma-se a contagem dos 90 dias consecutivos (seguidos) do prazo a partir do 31.º dia de doença.