Utilidades

Simulador de Subsídio de Desemprego

Pedro Pais Pedro Pais , 7 Outubro 2013 | 554 Comentários

Quando o desemprego é iminente ou já uma infeliz realidade, convém saber com o que se conta. Para ajudar, desenvolvemos um simulador para calcular o subsídio de desemprego, que abaixo apresentamos. Com o simulador vai poder consultar a duração do subsídio e os valores a receber durante este período.

De salientar que os dados de remuneração a introduzir referem-se aos primeiros 12 meses dos últimos 14 anteriores à situação de desemprego. Exemplo: se ficou desempregado em Janeiro de 2017, considerará desde Novembro de 2015 até Outubro de 2016, inclusive.

Simulador de Subsídio de Desemprego

Dados contributivos
Dados referentes aos primeiros 12 meses
dos últimos 14
anteriores à situação de desemprego

* Nos primeiros 12 meses dos últimos 14 anteriores à situação de desemprego

Enquadramento em IRS
Situação familiar

Resultado

Valor mensal:
Duração:

Se a 31/03/2012 já tinha 450 dias de descontos nos últimos 24 meses
e é a sua primeira situação de desemprego desde 01/04/2012

Duração:

Nota I: Se já tinha descontos suficientes em 2012 para ter acesso ao subsídio de desemprego com as regras antigas, saiba que o período de duração do subsídio que lhe será atribuído agora será o mais favorável para o seu caso.

Nota II: Os contribuintes que tenham estado desempregados antes e que tenham pedido a suspensão do pagamento do subsídio antes de esgotarem o período que lhes foi atribuído, podem pedir o reinício do seu pagamento se as condições forem mais benéficas do que as atuais. Se é o seu caso, para confirmar se ainda é possível acionar essas condições, contacte a Segurança Social.

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

596 comentários em “Simulador de Subsídio de Desemprego

    1. Olá, Luís.

      Não, não está. Essa redução, que foi introduzida pelo Decreto-Lei 64/2012, sofreu entretanto algumas alterações, tendo sido revogada pela Lei 114/2017 (Orçamento de Estado para 2018).

      Este simulador está desatualizado (de notar que foi publicado em 2013).

      Obrigado pela chamada de atenção, vou passar a palavra para corrigirem o simulador.

  1. Bom dia,

    Tenho uma dúvida em relação a este simulador, quando insiro os valores o resultado do subsidio de desemprego é de cerca de 748 euros.

    Mas utilizando outros simuladores e fazendo as contas segundo o que está no site da SS o valor é de cerca de 900 euros:

    16700/360 = 46,38
    46,38 * 0,65 = 30,15
    30,15 * 30 = 904,58

    Há a possibilidade de o calculo do simulador estar incorreto?

    Obrigado

    1. Olá, Alexandre.

      Há sempre essa possibilidade 🙂

      De qualquer forma, não consigo dar-lhe uma resposta pois não fornece todos os dados necessários para o cálculo. Por exemplo, mudando o estado civil e o número de dependentes, para esse mesmo rendimento médio mensal de 1391,67€, consigo valores a variar entre um valor inicial de 840,76€ (756,69€ após 6 meses) e os 1048,05€ (943,23€ após 6 meses).

      Mas nunca consegui os 748€ que refere…

  2. Boa noite,

    Um pessoa com 60 anos de idade, ajudante de lar, com cerca de 38 de anos de descontos completos (porque houve anos que não foram completos), pode entrar em mútuo acordo com a entidade patronal? Através de que forma? Posteriormente pode requerer subsídio de desemprego?
    Obrigada desde já.

    1. Olá, Ana.

      A rescisão por mútuo acordo é sempre possível, desde que ambas as partes estejam de acordo, naturalmente.

      No entanto, não dá direito ao subsídio de desemprego, uma vez que este só se aplica em situações de desemprego involuntário (e se há mútuo acordo, claramente não se trata de uma situação involuntária).

  3. Boa tarde,
    Tenho a seguinte dúvida, para efeitos de subsidio de desemprego conta o valor do vencimento mais o valor dos prémios ou apenas o valor do vencimento?
    Obrigada!

    1. Olá, Sérgio.

      Contam os valores sobre os quais descontou para a Segurança Social. Pode consultar a sua carreira contributiva na Segurança Social Direta.

  4. Bom dia, agradecia uma informação.
    Tenho actualmente 51 anos, trabalho desde 1991 sem qualquer tipo de interrupção e requeri subsidio de emprego. Atribuiram-me 840 dias. A 31/03/2012 já tinha 450 dias de descontos nos últimos 24 meses e é a minha primeira situação de desemprego desde 01/04/2012.
    No entanto a Segurança Social está a atribuir-me 540 dias, mais 60 dias por cada 5 anos com registo de remunerações nos últimos 20 anos, e não 900 dias, mais 60 dias por cada 5 anos com registo de remunerações nos últimos 20 anos como está indicado.
    Já reclamei, mas continuam a dizer que os 840 dias estão correctamente atribuídos.
    Partem do principio que em 2012 tinha 43 anos e por isso têm como referencia 720 dias, mais 30 dias por cada 5 anos com registo de remunerações nos últimos 20 anos. Está correcto tomarem em conta a idade que tinha em 2012 para atribuição da duração do subsídio de desemprego?
    Obrigada

    1. Olá, Ana.

      Sim, está correto.

      Como pode confirmar na página da Segurança Social sobre o Subsídio de Desemprego, o que o regime transitório diz é que se em 2012 já tivesse assegurado um período de atribuição do subsídio de desemprego superior ao que for apurado depois dessa data, tem direito ao que teria em 2012. Isto para que as pessoas que entretanto tivessem assegurado um período de cobertura superior e, apesar da alteração das regras na altura da troika, não saíssem prejudicadas com essa alteração (sobretudo num período em que o desemprego estava tão alto e era possível vir a precisar dele).

      Ou seja, em 2012, como referiu, já tinha garantido os 720 + 4*30 = 840 dias.
      De acordo com as regras atualmente em vigor tem direito a 540 + 4 * 60 = 780.

      Como o primeiro valor é mais alto que o segundo, são mesmo os 840.

  5. Agradecia a informação como calcular subsidio com 9 meses de contribuições para segurança social. Contam 9 meses ou só 7? Quais são os primeiros 12 meses? Os restantes meses para prazo da garantia foram trabalhados no estrangeiro. Desde já agradeço a resposta.

    1. Olá, Magda.

      Eu diria que nesse caso, e admitindo que os 9 meses incluem o mês anterior à situação de desemprego, que apenas contam 7 meses.

      Não sei, no entanto, se nesse caso não haverá uma contagem diferente, já que o período de garantia inclui contribuições pagas no estrangeiro, pelo que recomendo que peça mais informações na Segurança Social.

  6. Boa tarde. Os valores que apresentam como resultado já têm o desconto incluído? Como se calcula se os ordenados forem variáveis (neste caso com prémios de incentivo)? Os salários a serem apresentados são o bruto ou liquido? Obrigada!

    1. Olá, Ana.

      Qual desconto?
      O subsídio de desemprego não desconta para a Segurança Social nem está sujeito a IRS, pelo que não estou bem a ver se faz sentido falar em valores brutos ou líquidos. O que tem em mente?

      Se reparar o simulador pede o salário médio dos primeiros 12 meses dos últimos 14. Se os ordenados forem variáveis, soma esses 12 meses e divide por 12 para obter o salário médio.

      1. Bom dia. Obrigada pelo esclarecimento, uma vez que considerava que existia um desconto para a SS e IRS. O recibo de vencimento contempla o vencimento base + subsidio de transporte + prémio de incentivo (que não é mensal) + valor do cartão refeição. Em meses de subsídio de natal e férias contemplam os mesmos. É sobre todos estes valores que temos em consideração? Quando consideramos os primeiros 12 meses dos últimos 14 contabilizamos o mês do despedimento (que neste caso é Maio)? Obrigada.

      2. Mais simples ainda: vá à Segurança Social Direta -> Emprego -> Remunerações -> Consultar Carreira Contributiva. São esses valores que lhe interessam, é só somar e calcular a média.

        “Os primeiros 12 meses dos 14 meses anteriores à situação de desemprego”. Se ficou desempregada em maio, o mês anterior é abril. O 2º mês anterior março e por aí adiante. Deve somar assim as remunerações de 1 de março do ano passado até 29 de fevereiro deste ano.

        Recomendo ainda a leitura do Guia Prático da Segurança Social para esclarecimento de outras dúvidas, ou então contactar a Segurança Social

  7. Boa tarde, gostaria que me informassem, vivo em união facto há nove anos preencho o irs em conjunto, no vosso simulador no enquadramento do IRS não aparece essa hipótese qual das que aparece tenho que colocar

    1. Olá, António.

      Se normalmente desconta pela tabela de casado 2 titulares, por exemplo, é esse o enquadramento que deve indicar aqui.

  8. Boa noite, fiz a simulação aqui e noutro lados e sempre me deu perto dos 500 euros que ficaria a receber… Hoje fui verificar e recebi apenas 338€…
    Será porque fiz inscrição já depois do dia 1 ?

    1. Olá, Mário.

      O melhor é contactar a Segurança Social para uma resposta concreta – eles têm acesso à informação que não facultou aqui.

      Mas poderá ter a ver com o dia em que ficou desempregado (foi logo no início do mês? Ou esteve desempregado apenas uma parte do mês?)