Utilidades

Carros híbridos: vantagens e desvantagens

Neste artigo vamos explicar se realmente compensa ter um automóvel híbrido, enumerando algumas vantagens e desvantagens relativamente a este modelo auto.

Rui Aspas Rui Aspas , 8 Agosto 2019

Nos últimos tempos o mercado automóvel tem sofrido grandes alterações com o surgimento dos carros elétricos e híbridos. No entanto, poucas são as pessoas que se encontram devidamente informadas, sobre as verdadeiras vantagens e respectivas desvantagens de ter um destes modelos.  

É certo que a maior parte dos fabricantes automóveis têm apostado cada vez mais na tecnologia para desenvolvimento de carros híbridos, quer seja como forma de complementar a potência do tradicional motor de combustão, quer seja como maneira de redução dos consumos.

Devido aos vários regimes de incentivos para a aquisição deste género de carros, que as marcas têm trazido para os seus clientes, as mesmas têm conseguido cativar o seu público-alvo. Estudos comparativos já feitos entre os carros a diesel, gasolina, elétricos e híbridos permitiram chegar à conclusão, que os carros híbridos são a melhor opção para quem pretende ter um modelo automóvel com alguma potência, baixos consumos, e sem paragens constantes para abastecimento.  

Neste artigo vamos explicar se realmente compensa ter um automóvel híbrido com a enumeração de algumas vantagens e desvantagens relativamente a este modelo auto.  

Mas mesmo antes de avançarmos para as vantagens e desvantagens de ter um carro híbrido, comecemos por explicar qual o modo de funcionamento de uma viatura híbrida.

Leia ainda: Crédito automóvel: tudo o que precisa saber

Como funciona um carro híbrido? 

Os carros híbridos são carros que possuem um duplo sistema aliando componentes de veículos a gasolina ou a diesel com componentes de viaturas elétricas. Os carros híbridos têm dois ou mais motores (os de combustão e um ou mais elétricos cujo funcionamento em conjunto permitem alimentar o carro e com isso gerar uma significativa poupança de combustível.

Quando em modo aceleração, estes dois géneros de motor atuam em sinergia com o propósito de oferecer o melhor desempenho de estrada. Na travagem, os carros híbridos efetuam uma regeneração da chamada energia cinética para evitar que grande parte dela seja perdida no efeito de travão, fazendo com que este tipo de automóveis seja mais eficiente que os automóveis tradicionais.  

Quando os carros híbridos se encontram no modo de paragem, ao iniciar a marcha, os motores elétricos dão um impulso de energia que contribui para o andamento do carro, aliviando assim o motor a combustão no período em que ele costuma ser menos eficiente.  

E que tipos de carros híbridos se conhecem atualmente?  

Híbridos combinados: os mais conhecidos e os que se veem com mais frequência. Tanto podem andar em modo elétrico como também como o motor de combustão. Aqui importa fazer a distinção entre os híbridos plugin (os carros híbridos nos quais tem de existir a ligação com uma tomada para que este carregue a bateria), e os híbridos convencionais (nestes o motor a combustão e a energia que é recuperada nas travagens evitam que seja usada a intervenção humana para o carregamento das baterias).  

Híbridos em paralelo: aqui o motor a combustão assume o protagonismo sendo que o motor elétrico atua como elemento em permanência agindo com um aliado para dar maior potência ao motor térmico, fazendo com que a circulação não ocorra apenas no modo elétrico. 

Híbridos em série: é o tipo de carros híbridos menos comuns e que atuam em oposição ao funcionamento dos carros híbridos em modo de funcionamento em paralelo, isto é, o motor elétrico assume uma função principal, ficando o motor em combustão a gerar apenas energia para alimentação e carregamento do do motor elétrico.  

Vamos então agora às vantagens e desvantagens de ter um carro híbrido.  

Quais as vantagens de ter um carro híbrido?

  • Os consumos são mais baixos - apesar de possuírem uma potencia maior, os carros híbridos conseguem ainda assim apresentar um regime mais baixo de consumos do que por exemplo os carros a diesel. A razão de isto se verificar deve-se ao facto de nestes carros os motores a combustão não estarem quase nunca em esforço, uma vez que o mesmo é ajudado pelo motor elétrico que tem o máximo de binário em modo disponível sempre que é accionado. 
  • Potência - o carro híbrido utiliza um motor mais convencional com uma potência muito semelhante ao dos carros que são movidos apenas com os motores térmicos. No entanto, podem funcionar em simultâneo um ou mais motores elétricos que acrescentam cerca de 50 cavalos de potência ao motor a combustão. Isto significa que a potência consegue ser maior e os consumos muito menores.  
  • Uma performance melhorada - a presença de um motor elétrico em sinergia com um motor a combustão permite aos carros híbridos ter uma maior potência acessível assim que carrega no pedal do acelerador, independentemente da velocidade a que circule. Isto acontece porque o motor elétrico tem o binário sempre disponível em modo instantâneo, enquanto que o turbo do motor a combustão precisar de ter o ar para acelerar para o interior do motor e com isso alcançar a potência máxima, enquanto que o motor a combustão precisa de ter ar para acelerar para o interior do motor e com isso alcançar a potência máxima. 
  • Estabilidade e conforto maior - um carro com um motor tradicional de combustão, dispõe de um centro de gravidade ligeiramente alto, fazendo com que o automóvel sogra muitas oscilações nas curvas , havendo só uma maneira de contornar e resolver esta situação quando acontece: usar uma suspensão desportiva. Os carros híbridos temas baterias colocadas em centros e locais estratégicos do carro como forma de melhorar a distribuição de peso, permitindo assim que o centro de gravidade baixe e a suspensão seja mais confortável , não afetando a performance desportiva e de condução do carro.  
  • Segurança maior - a grande maioria dos carros híbridos usa o motor a combustão para mover as duas rodas motrizes, fazendo uso do motor elétrico para mover as outras duas rodas. Significa isto que vai existir uma maior segurança na condução pois vai haver uma tração integral sobretudo em condições de piso molhado uma vez a que nestes casos a aderência a estrada é mais reduzida 
  • Menos poluentes - um carro híbrido que tenha um tamanho familiar emite cerca de 75g de CO2 por cada quilómetro percorrido; um carro familiar a diesel emite cerca de 150 g de CO2. Um carro híbrido polui o ambiente duas vezes menos que um carro a diesel. 
  • Apoios -  além das condições vantajosas que as marcas oferecem aos seus clientes na aquisição de um carro híbrido, o próprio Estado Português contempla nos Orçamentos do Estado uma redução no ISV.   

E as desvantagens?

  • O fator preço - os carros híbridos não são dos mais baratos no mercado automóvel, muito em parte por causa da sua complexa construção e características dos modelos. Apesar da existência de apoios no que respeita a compra deste tipo de veículos, o impacto que este tem no orçamento familiar ainda é considerável e só compensa o investimento se a utilização diária for muito frequente. 
  • Choques elétricos - no caso de ter um grave acidente, tem de ter em atenção aos choques elétricos por causa da grande tensão existente nas baterias e que é libertada muito rapidamente em caso de choque de carros.  
  • Autonomia - dificilmente conseguirá percorrer 1000 quilómetros num carro elétrico tendo apenas um depósito; ao existirem dois tipos de depósitos estes podem colocar em causa a autonomia do carro , pois para poupar peso e espaço, o depósito de combustível é muito mais pequeno. Aqui tudo vai depender de alguns fatores externos como o tipo de condução adoptada, distâncias percorridas e o pavimento onde o carro híbrido circula 
  • Duração e preço das baterias - como em tudo na vida, também as baterias têm um prazo útil de funcionamento, estando a sua durabilidade ligada diretamente ao número de ciclos ( quantidade de vezes que são carregadas e descarregadas). Regra geral, nos carros híbridos com as versões plugin, as baterias terminam os ciclos mais rapidamente e para que o carro continue a dispor de uma boa eficiência , necessitam de permanente substituição o que pode a médio prazo tornar-se uma despesa cara. Já nos híbridos convencionais, as baterias têm uma utilização mais contida e reservada, estimando-se que consigam aguentar toda a vida útil do carro mas em caso de avaria da bateria, a sua substituição é inevitável.  

Conclusão

Agora que já está a par de todas as vantagens e desvantagens dos carros híbridos, cabe-lhe a si tomar a melhor decisão após análise de todos estes prós e contras. No entanto, a aquisição de um carro híbrido compensa em larga medida o investimento feito se percorrer muitos quilómetros com o automóvel.

Leia ainda: 9 dicas para escolher um carro dentro do orçamento

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #carros híbridos

Deixar uma resposta