INTERMEDIAÇÃO DE CRÉDITO

 

Doutor Finanças, Lda. é uma sociedade comercial que exerce a atividade de intermediação de crédito, na categoria de vinculado e exerce a atividade de serviços de consultoria, mediante contrato de vinculação celebrado com COFIDIS, CETELEM, UNICRE, SANTANDER TOTTA, DEUTSCHE BANK, BANKINTER, BPI, BANCO CTT, BNI, NOVO BANCO, EUROBIC e CGD sem exclusividade, encontrando-se registada junto do Banco de Portugal, no Regime Jurídico dos Intermediários de Crédito, com o numero de registo 0000420, para a prestação dos seguintes serviços: apresentação ou proposta de contratos de crédito a consumidores, contratos de crédito à habitação, assistência a consumidores, mediante a realização de atos preparatórios ou de outros trabalhos de gestão pré-contratual relativamente a contratos de crédito que não tenham sido por si apresentados ou propostos e celebração de contratos de crédito com consumidores em nome dos mutuantes.

A Doutor Finanças, Lda. não concede crédito, sendo a sua atividade de mera intermediação, nos termos legais.

Preçário discriminado de serviços e encargos:
Com a ressalva dos casos expressamente previstos na lei, é proibido aos intermediários de crédito receber ou entregar quaisquer valores relacionados com a formação, a execução e o cumprimento antecipado dos contratos de crédito.

Para qualquer assunto conexo com a actividade de intermediação de crédito, por favor, contactar Rui Miguel Teixeira Costa, na qualidade de Gerente, info@doutorfinancas.pt, rui.costa@doutorfinancas.pt, todos os dias úteis, das 09h00 às 17h00 horas.

A actividade de intermediação de crédito encontra-se sujeita a supervisão pelo Banco de Portugal.
Quaisquer reclamações, no âmbito da prestação de serviços de intermediação de crédito, poderão ser apresentadas por correio eletrónico para o endereço eletrónico, info@doutorfinancas.pt, presencialmente na morada, Av. José Gomes Ferreira 11, Edifício Atlas II, piso 3, sala 34, 1495-139 Algés, ou mediante correio postal registado, para a mesma morada, indicando expressa e circunstanciadamente os fundamentos da reclamação. Para o efeito, o intermediário de crédito poderá fornecer um formulário próprio. As reclamações também poderão ser apresentadas directamente ao Banco de Portugal, utilizando, para o efeito, os contactos e instruções que constam do respectivo sítio da Internet da autoridade de supervisão (www.bportugal.com).

O cliente igualmente dispõe da possibilidade de recorrer a meios de resolução alternativa de litígios, junto do CACCL, com sede em Lisboa, ou junto do CNIACC, com sede em Braga, onde poderá apresentar as suas reclamações de forma a impedir conflitos com este intermediário de crédito.