Utilidades

Simulador de Subsídio de Desemprego

Pedro Pais Pedro Pais , 7 Outubro 2013 | 492 Comentários

Quando o desemprego é iminente ou já uma infeliz realidade, convém saber com o que se conta. Para ajudar, desenvolvemos um simulador para calcular o subsídio de desemprego, que abaixo apresentamos. Com o simulador vai poder consultar a duração do subsídio e os valores a receber durante este período.

De salientar que os dados de remuneração a introduzir referem-se aos primeiros 12 meses dos últimos 14 anteriores à situação de desemprego. Exemplo: se ficou desempregado em Janeiro de 2017, considerará desde Novembro de 2015 até Outubro de 2016, inclusive.

Simulador de Subsídio de Desemprego

Dados contributivos
Dados referentes aos primeiros 12 meses dos últimos 14 anteriores à situação de desemprego

1 Nos primeiros 12 meses dos últimos 14 anteriores à situação de desemprego

Enquadramento em IRS
Situação familiar

Valor mensal inicial:

Valor mensal após 180 dias:

Duração:

Se a 31/03/2012 já tinha 450 dias de descontos nos últimos 24 meses e é a sua primeira situação de desemprego desde 01/04/2012, a duração é de
Partilhe este artigo

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

519 comentários em “Simulador de Subsídio de Desemprego

  1. No tarde,
    Este simulador não serve para trabalhadores independentes, certo?
    Boa tarde,

    Gostaria que me facultassem informação sobre o processo de pedido de subsídio por cessação de atividade de trabalhadores independentes economicamente dependentes.

    Cumprindo eu a condição de Trabalhador independente que presta serviço maioritariamente a uma entidade contratante e da qual dependo economicamente, ou seja, desde que 50% ou mais do valor total anual dos rendimentos da atividade independente seja obtido dessa entidade e que determinem obrigação contributiva por parte da entidade contratante.

    Peço Esclarecimento às seguintes questões:
    Necessito de cessar atividade nas finanças antes de iniciar o processo ou posso manter a atividade aberta? Isto depende se pretendo o subsídio pelo total do meu rendimento ou se pretendo o subsídio parcial?
    Para obter o subsídio por 100% do meu rendimento médio, necessito que obter o Modelo RP5064-DGSS (Declaração de situação de desemprego passada pela entidade contratante aos trabalhadores independentes economicamente dependentes), preenchido por todas as entidades às quais passo recibo?
    Se entregar este o Modelo RP5064-DGSS preenchido apenas pela entidade à qual obtenho mais de 50% dos meus rendimentos anuais isso pressupõe poder manter atividade aberta nas finanças e não poder obter o subsídio pelos 100% do meu rendimento médio?

    1. Olá, Helder.

      Efetivamente, este simulador só se aplica a (ex)trabalhadores por conta de outrem, uma vez que são os únicos que têm acesso ao subsídio de desemprego.

      Quanto às outras questões:
      – sim, pode manter a atividade aberta. Nesse caso não tem direito ao subsídio por cessação de atividade mas sim ao subsídio parcial por cessação de atividade.
      – eu acho que faz sentido que a declaração só precise de ser passada pela entidade de que é economicamente dependente.

      Pode ler mais detalhes sobre estes subsídios a partir da página onde a Segurança Social concentra as prestações por desemprego.

      1. Muito obrigado pela sua disponibilidade e rápida resposta.

        Também acredito que se fechar atividade apenas tenha de apresentar a declaração da entidade pela qual dou economicamente dependente. Contudo não encontro essa informação no documento que rege o subsídio por cessação de atividade de trabalhadores independentes economicamente dependentes.

        Outra questão é, se haverá algum problema de num futuro voltar a passar recibos para entidade que me passou a declaração e pela qual sou economicamente dependente.

        Imensamente agradecido

        Cumprimentos

        Hélder Gomes

  2. Boa noite,
    Abri atividade nas finanças em Junho/2018
    Emiti o 1º recibo verde em Julho/2018, no mês de agosto/2018 não emiti e depois de setembro/2018 a setembro/2019 emiti todos os meses o mesmo valor.
    Tive 1 ano de isenção de pagamento da Segurança Social e paguei como Trabalhadora Independente de Julho/2019 a Setembro/2019.
    Em Outubro/2019 comecei a trabalhar por conta de outrem com um contrato de 6 meses e a empresa passou a pagar a segurança social.
    Ontem fui comunicada que meu contrato não será renovado, vão pagar a indenização.
    Minha dúvida: eu terei direito à Subsídio Desemprego?
    Muito obrigada!

    1. Olá, Michelle.

      Não referiu se encerrou ou não atividade. Caso não tenha encerrado atividade é bem provável que não lhe atribuam o subsídio de desemprego, uma vez que está empregada (tem a sua atividade).

      Como não tem 12 meses de contribuições de trabalho por conta de outrem, creio que não tem direito ao subsídio de desemprego. Poderá, no entanto, ter acesso ao subsídio social de desemprego se reunir todas as condições para tal.
      (EDIT: estive a ler melhor a informação e os descontos enquanto trabalhador independente podem ser contabilizados para este efeito, pelo que deverá ter acesso ao subsídio de desemprego, sim)