Finanças pessoais

Partilha de carro: Como funciona esta alternativa ao veículo próprio

A partilha de carro, amiga do ambiente, pode também ser uma alternativa mais económica ao veículo próprio. Conheça as opções no mercado.

Finanças pessoais

Partilha de carro: Como funciona esta alternativa ao veículo próprio

A partilha de carro, amiga do ambiente, pode também ser uma alternativa mais económica ao veículo próprio. Conheça as opções no mercado.

Ter um veículo próprio, nos dias de hoje, pode ser um "luxo", tais são as despesas associadas. Neste contexto, a opção pela partilha de carro, independentemente da modalidade, pode ser uma solução, tanto para o meio ambiente como para o seu orçamento familiar.

A constante evolução tecnológica, permitiu desenvolver uma economia de partilha, conceito esse que já chegou ao aos transportes.

Logo, qualquer pessoa com carta, mas sem carro ou mota, pode ponderar esta alternativa aos transportes públicos. As vantagens para o utilizador estão na eliminação de custos fixos com seguros, dísticos ou o selo do carro, enquanto contribui para a redução do número de veículos na estrada.

Neste sentido, têm vindo a ganhar importância duas alternativas: “Carpooling” e o “Carsharing”.

Partilha de carro: carpooling vs carsharing

Ambos os conceitos são uma tendência no que toca a serviços de mobilidade alternativa e têm cada vez mais adeptos em Portugal. Através da utilização das novas tecnologias de comunicação, são tidos como uma boa opção para melhorar a mobilidade urbana e, até mesmo, para viver uma experiência social de partilha de histórias. Mas, o que separa estes dois conceitos?

Carpooling - Quando várias pessoas se juntam para partilhar o mesmo carro num determinado trajeto.

Carsharing - Consiste na utilização de um carro que é propriedade de outrem, por curtos períodos de tempo, mediante o pagamento de um dado valor conforme tarifário em vigor.

Ambos os serviços, permitem poupar nos transportes e são alternativas de mobilidade que facilitam a deslocação de pessoas. É importante ter a noção que são serviços partilhados. Afinal de contas, a nossa segurança é também a segurança de todos.

Como funciona o carpooling?

Como já dito, o carpooling consiste em partilhar um veículo próprio e as despesas numa viagem entre vários passageiros. Dessa forma, no mesmo carro, juntam-se pessoas que costumam realizar o mesmo trajeto, seja de casa para o trabalho ou em qualquer outra viagem pelo país.

Ou seja, é uma alternativa a ter carro próprio. No fundo, funciona como uma boleia, mas é pedida através da internet (smartphone, tablet ou computador).

Esta solução é também amiga do ambiente, pois reduz o número de carros a circular nas cidades, diminuindo assim a poluição.

Por outro lado, é uma solução económica de transporte, principalmente para grandes percursos.

De salientar que, existem dois tipos de utilizadores: o condutor e o passageiro. Os utilizadores podem colocar a sua disponibilidade de trajeto para não viajarem sozinhos ou, se preferirem, procurar uma viagem para fazer com outras pessoas.

Se for através de uma aplicação, é necessário realizar o registo na mesma e a partir daí procurar boleias para o destino desejado. Após encontrar a opção adequada para o condutor e passageiro, é feito um contacto para combinar os detalhes do percurso: horário, local de partida, custos, paragens, etc.

Da mesma forma, é possível arranjar este tipo de boleia nas redes sociais (Facebook é o maior exemplo). Para isso, basta entrar em grupos dedicados a este serviço, contactar diretamente o “anunciante” da boleia e tratar de todos os pontos referidos no parágrafo anterior.

Em suma, o principal objetivo deste modelo de mobilidade partilhada é permitir às cidades diminuir o número de carros e ajudar as pessoas a passar menos tempo no trânsito ou à procura de um lugar para estacionar.

Onde posso encontrar os serviços de carpooling?

Estes serviços são utilizados de norte a sul do país. Para além dos referidos grupos no Facebook, pode aceder a este serviço nas seguintes plataformas:

Se gosta de aventuras e de viajar para fora, também pode arranjar boleias para outro país da Europa através do Europe Carpooling. Estas plataformas têm como objetivo facilitar as partilhas de carro dado que aumentam o número de possíveis parceiros de viagem.

A título de curiosidade, o preço das viagens varia consoante o condutor. Ainda assim, uma viagem Lisboa-Porto pode custar, em média,  12€ a 15€, enquanto uma viagem entre Lisboa-Faro pode variar entre 10€ a 15€.

Quais as vantagens do carpooling?

Uma das vantagens, por vezes esquecida, é a partilha de histórias e experiências com outras pessoas. Contudo, existem outras vantagens mais imediatas, nomeadamente:

  • Diminuição dos custos com a manutenção do carro;
  • Redução da emissão de gases poluentes;
  • Diminuição do trânsito rodoviário.

Mas, nem tudo são vantagens. Assim, e para sua segurança, os sites de carpooling aconselham que se registe através de uma rede social para garantir a veracidade do perfil do utilizador.

Outra medida de segurança é o sistema de classificação do utilizador. Além disso, é ainda aconselhável que passe os dados da viagem a um familiar ou a uma pessoa mais próxima.

Partilha de carro: como funciona o carsharing?

Esta modalidade de partilha de carro tem vindo a ganhar cada vez mais seguidores, principalmente nas grandes cidades. Com esta solução pode deslocar-se sem ter um veículo próprio. Existem várias soluções no mercado, mas todas elas trabalham de igual modo. Ou seja, a partir do smartphone pode desbloquear um carro (ou scooter) estacionado num qualquer ponto da cidade e deixá-lo no seu destino, desde que esteja dentro da área de operação do respetivo serviço.

Vantagens

  • Não há despesas com a manutenção do carro;
  • Não tem custos de estacionamento;
  • Facilidade de uso e comodidade;
  • Por fim, ajuda a melhorar o trânsito dado que por cada veículo de carsharing, vários carros são retirados das ruas das cidades.

Leia ainda: como poupar com o carsharing;

jovem mulher, ao volante de uma carrinha, ajeita o espelho retrovisor para partir na sua viagem de carro pela Europa.

Quais as plataformas de serviço carsharing?

O primeiro serviço deste tipo surgiu em 2008, ano em que foi lançado o Mob Carsharing. Contudo, o serviço foi descontinuado por “falta de procura”. Mas, a partir de 2017, este serviço ganhou “asas” com novas plataformas de partilha, mais simples e modernas (apps para telemóvel).

À semelhança de outros setores de atividade, ao longo destes últimos anos vamos assistindo ao aparecimento de novas plataformas, enquanto outras desaparecem do mercado. Afinal de contas, a oferta depende sempre da procura. Seguem-se algumas plataformas ou aplicações para este serviço.

O Gira – Bicicletas e Lisboa

Para quem gosta de pedalar, esta é a solução ideal. Isto é, além de poupar nos custos ainda faz exercício físico. O Gira – Bicicletas de Lisboa, em parceria com a EMEL, possui um sistema onde estão disponíveis bicicletas, tanto clássicas como elétricas.

Quanto ao pagamento, há duas formas:

  • subscrição do serviço (anual, mensal ou diário);
  • ou utilização do serviço (depende do tempo e do número de viagens feitas).

Uber

O serviço de oferta de bicicletas e trotinetes elétricas tem um custo de 20 cêntimos por minuto. No entanto, se estacionar fora da zona de serviço da plataforma, tem custos acrescidos. Tem de se registar para conseguir alugar uma bicicleta.

Bolt Drive

O Bolt Drive é um serviço de partilha de carros que permite aos utilizadores ver num mapa, quais os veículos mais próximos, e reservar um carro através da aplicação.

Logo, para iniciar a viagem, o utilizador deve desbloquear o carro com o telemóvel e pode terminá-la em qualquer ponto da cidade, desde que numa área abrangida pelo serviço.

O preço final por viagem já inclui despesas como o combustível e estacionamento, aumentando assim a qualidade do serviço para os utilizadores. É ainda possível aceder a um carro em qualquer altura, a partir da mesma aplicação que já utilizam para o “ride-hailing”, trotinetas e bicicletas elétricas.

Ecooltra 

A Ecooltra possui uma frota com mais de cinco mil scooters elétricas e está presente em cidades como Lisboa, Barcelona, Madrid, Valência, Roma e Milão. Após a reserva, tem 15 minutos para chegar até à scooter e iniciar a sua viagem. Este período de tempo não tem custos mas, caso não chegue à scooter em 15 minutos, a reserva é cancelada e tem de fazer uma nova.

O custo é de 26 cêntimos por minuto, mas pode ser inferior se subscrever um "pack". O valor é pago através de cartão de crédito. Com a pandemia, após desbloquear a scooter, encontra no assento dois capacetes, toucas e toalhetes para tornar mais higiénico o uso dos capacetes e da própria mota.

Emov 

Esta plataforma resulta de uma parceria entre o grupo PSA e a Câmara Municipal de Lisboa. Possui uma frota 100% elétrica composta por 150 Citroën C-Zero com capacidade até quatro pessoas.

Para aceder ao serviço, tem de se inscrever no site ou através da aplicação. Em seguida, em menos de 24 horas recebe a aprovação para começar a utilizar o serviço.

Necessita ainda dos documentos de identificação, carta de condução e cartão de crédito ou débito.

O serviço custa 21 cêntimos por minuto, ou seja, 15 minutos de viagem podem custar 3,15 euros. Para já, em Portugal, atua apenas em Lisboa.

24/7 City

Atualmente, este serviço encontra-se suspenso devido à pandemia. Ainda assim, a 24/7 City é um sistema de partilha de carros elétricos que foi lançado através de uma parceria entre a Mobiag e a Hertz Ride.

Tem cerca de uma dezena de carros elétricos BMW i3 que podem ser alugados à hora ou ao dia. Os preços variam entre 9,90 euros (uma hora) e 54,50 euros (um dia), dependendo do modelo de carro que escolher.

Este serviço também está disponível através de uma aplicação móvel. Tal como em outros serviços concorrentes, são cobradas taxas extra em caso de uso indevido.

Existem três zonas de serviço:

  • nas verdes é possível largar o carro sem custo;
  • nas amarelas paga-se 10 euros;
  • nas azuis não se pode terminar viagem.

Booking Drive

Trata-se de uma plataforma de partilha de carros, mas entre privados. Quem tiver interesse, pode inscrever-se e disponibilizar o seu carro para aluguer nos períodos em que não necessite do mesmo. Este serviço está disponível em todo o país. Para poder registar o seu veículo, precisa de ter em dia a inspeção, o seguro e o imposto único de circulação.

Contudo, existem duas condições:

  • Veículos têm de ter no máximo 15 anos;
  • Proprietário deve ter mais de 21 anos.

Quando alguém mostrar interesse por um veículo, abre-se um "chat" automático entre o proprietário e o condutor. Por exemplo, se disponibilizar para aluguer o seu carro dois dias por semana, a 15 euros por dia, pode ganhar mais de 1000 euros anuais.

Parpe

O utilizador pode registar uma viatura para que seja alugada a outros. O preço por dia (o mínimo para reserva, não havendo um período máximo) é definido pelos proprietários, mas a Parpe “faz a sugestão do preço”, através de um algoritmo que é gerado aquando da introdução dos dados. Além disso, os proprietários têm de entregar uma comissão de 20% por serviço à plataforma. Para alugar um carro, o utilizador deve:

  • ter conta ativa no Facebook;
  • mais de 21 anos;
  • carta há mais de dois anos;
  • cartão de crédito.

Share Now 

Em Portugal, presta serviços na área de Lisboa com uma frota de 211 carros (BMW e Mini), dos quais 40 são elétricos. Quanto ao custo, depende do veículo escolhido, ou seja:

  • se for um dos três modelos Mini, o preço é de 29 cêntimos por minuto;
  • para os dois modelos de BMW, a versão elétrica custa 34 cêntimos por minuto;
  • por fim, para a outra versão 31 cêntimos por minuto.

Os veículos têm de ser deixados em locais específicos, mas dentro dessa área pode parar em qualquer estacionamento público de superfície (com ou sem parquímetros). Após o registo, o cliente pode usar os serviços noutras cidades europeias.

Multinacionais rent-a-car

Há cada vez mais multinacionais do setor do rent-a-car a entrarem nesta atividade e a criarem soluções próprias, em parceria ou não com outros: Europcar, Hertz, Sixt, etc.
Por outro lado, este é um mercado em constante atualização. Por exemplo, a Europcar lançou o serviço de longa duração, ou seja, uma solução de renting que inclui:

  • seguro;
  • manutenção;
  • pneus ilimitados;
  • viatura de substituição ilimitada;
  • cobertura de recondicionamento no final do contrato;
  • por fim, possibilidade de contratação de gestão de combustível e de gestão Via Verde − para períodos de tempo até 36 meses. 

Leia ainda: O que é a economia de partilha:

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.