Empresas

Metaverse: Uma revolução tecnológica com potencial de investimento?

O metaverse saltou para o topo da atenção dos investidores devido ao Facebook. Mas, será, realmente, uma tecnologia com potencial?

Empresas

Metaverse: Uma revolução tecnológica com potencial de investimento?

O metaverse saltou para o topo da atenção dos investidores devido ao Facebook. Mas, será, realmente, uma tecnologia com potencial?

O mundo do metaverse ganhou um grande destaque nos últimos tempos, saltando para as primeiras páginas de jornais, devido à alteração do nome da empresa Facebook para Meta Plataforms.

Para além desta mudança de nome, a empresa anunciou ainda grandes investimentos na área do metaverse nos próximos anos. Estes anúncios fizeram crescer muito o interesse por esta área e os investidores passaram a ter um novo foco.

De seguida, conheça mais sobre esta tecnologia que pode mudar as nossas vidas.

O que é o metaverse?

O conceito de metaverse surgiu em 1992 pelas mãos de Neal Stephenson. Na medida em que é uma tecnologia com muito caminho pela frente, os especialistas consideram algo prematuro dar uma definição clara do que estamos a falar.

Ainda assim, em linhas gerais, podemos dizer que se trata de uma combinação de várias tecnologias, em que se cria uma realidade virtual, onde os utilizadores desta tecnologia podem fazer um conjunto de atividades do dia a dia. São exemplos disso, trabalhar, jogar, comprar bens e serviços, fazer viagens virtuais, assistir a concertos, entre outros. A expetativa é que esta tecnologia possa mudar a internet e a forma como o mundo real e o virtual se conjugam.

Desenvolvimento do metaverse

Embora seja uma tecnologia recente e em crescimento, a verdade é que já existem vários exemplos da sua utilização e investimento na área:

  • Lançamento do Second Life, 2003 (plataforma que simulava a vida real);
  • Lançamento do jogo Roblox, 2006 (criação de avatares. Em 2022, ultrapassou os 55 milhões de jogadores diários);
  • Facebook investe cerca de 10 mil milhões de dólares no metaverse, 2021.

Quem está a liderar o investimento nesta tecnologia?

No que diz respeito às empresas que estão a liderar o investimento na área do metaverse, destacam-se essencialmente três formatos e áreas:

  • Grandes empresas tecnológicas, como por exemplo o Facebook, Google, Microsoft, Sony, entre outros. Estas empresas veem o metaverse como uma parte muito importante do seu negócio no futuro;
  • Capital de risco, sendo que a este nível diversas empresas em crescimento têm atraído a atenção dos investidores;
  • Empresas não ligadas à área tecnológica, mas que veem o metaverse como algo importante para fazer crescer o seu negócio. Um exemplo deste tipo de empresas é a marca de moda de luxo Balenciaga que tem, atualmente, uma colaboração com a Epic Games. No âmbito desta parceria lançou uma coleção num espaço virtual. Ou seja, é um exemplo de como o metaverse pode também transformar o mundo da publicidade e marketing.
Um telemóvel no meio de umas mãos, rodeado de icons associados às tecnologias

Áreas que o metaverse pode transformar

O metaverse, no momento atual, é muito associado ao setor dos videojogos. No entanto, esta tecnologia pode fazer a diferença em muitas outras áreas. Assim, destacamos, de seguida, algumas dessas áreas:

  • Serviços financeiros: este é um setor que poe beneficiar muito com o metaverse. Assim, ao nível de custos, pode gerar grandes poupanças nesta área, com a redução do número de agências e do número de trabalhadores ao serviço. Em termos de produtos e serviços oferecidos, o metaverse pode permitir a criação de novos ativos digitais, serviços de apoio online ou ainda tornar muito mais rápida a resposta a pedidos de financiamento por parte de empresas e famílias;
  • Moda: ao nível do setor da moda, o metaverse pode tornar o marketing efetuado pelas marcas muito mais eficaz e com custos mais baixos. Para além disso, pode ser uma arma importante para vender ativos digitais, que têm uma melhor margem, como por exemplo, acessos exclusivos a coleções, entre outros;
  • Educação: o setor da educação é um dos que mais se pode transformar com o metaverse, na medida em que esta tecnologia vai permitir cada vez mais o recurso às aulas à distância e criar ainda novas formas de serem ensinados os conteúdos;
  • Saúde: existe também uma oportunidade nesta área, através do aumento das consultas à distância;
  • Tecnologia: o setor tecnológico é, de facto, um dos que mais tem a ganhar com o metaverse. Tal como referido acima, é possível que muitas atividades passem a ser feitas 100% online. Com esta mudança, vão ser necessárias infraestruturas e softwares, que são fornecidos por empresas de tecnologia. Ou seja, existe uma grande oportunidade para estas empresas.

Qual o real potencial do mercado do metaverse?

Pese embora as dúvidas que existem sobre esta tecnologia, já existem estudos sobre a possível dimensão e peso deste segmento no futuro.

Assim, de acordo com um estudo da consultora Mckinsey, este setor pode gerar cerca de 5 biliões de dólares em 2030, ou seja, um valor superior a toda a riqueza gerada durante um ano no Japão, uma das maiores economias mundiais.

Contudo, as estimativas apontam para que atinja cerca de 120 mil milhões no final de 2022, o que representa um crescimento superior a 100% face ao ano de 2021, ano em que valia cerca de 57 mil milhões de dólares. O crescimento em 2022 deve-se, em parte, à compra da Activision Blizzard pela Microsoft no valor de cerca de 69 mil milhões de dólares.

Ainda de acordo com o estudo da Mckinsey, espera-se que os setores que vão contribuir mais positivamente para o crescimento desta área são o comércio online, videojogos, publicidade e educação.

Quais os riscos deste mercado?

Apesar das previsões acima, existem, contudo, riscos que podem colocar em causa o seu crescimento. Assim, destacam-se como riscos os seguintes:

  • Proteção dos dados: a tecnologia do metaverse tem com base muitos dados pessoais. Assim, uma fuga dos mesmos, pode criar problemas aos utilizadores e às empresas a quem foram fornecidos os dados. Tendo em conta estes riscos, é possível que a legislação ao nível da proteção de dados se torne mais exigente, o que prejudica o negócio das empresas que lidam com dados pessoais;
  • Aumento das doenças mentais: ao tentar transpor a realidade de uma forma virtual, pode fazer com que as pessoas recorram em demasia a estas ferramentas. Deste modo, o menor "contacto real", pode levar a doenças mentais. Caso tal aconteça, pode haver um incentivo a que se recorra menos a ferramentas online;
  • Necessidades de grandes investimentos que podem não ser rentáveis: para o desenvolvimento da tecnologia são necessários grandes investimentos em infraestruturas, rede e outros. Dado que há muitas dúvidas ainda sobre a tecnologia, existe o risco das empresas perderem muito dinheiro.

Em resumo, apesar de todas as perspetivas positivas, não existem certezas de que o metaverse possa ser uma tecnologia altamente utilizada e rentável no futuro. Para além disso, existem um conjunto de questões ligadas à proteção dos dados, que pode colocar barreiras às empresas que trabalham ou pretendem trabalhar esta tecnologia.

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.