Vida e família

Abrir uma empresa: saiba quanto custa e o que deve ter em consideração

Saiba quanto custa abrir uma empresa em Portugal, e que despesas pode vir a ter com o seu negócio. Descubra ainda que impostos pode vir a pagar.

Vida e família

Abrir uma empresa: saiba quanto custa e o que deve ter em consideração

Saiba quanto custa abrir uma empresa em Portugal, e que despesas pode vir a ter com o seu negócio. Descubra ainda que impostos pode vir a pagar.

Em Portugal o número de empreendedores tem vindo a aumentar nos últimos anos. No entanto o processo para abrir uma empresa pode gerar algumas dúvidas, principalmente se ainda não está familiarizado com alguns termos legais e financeiros. Este processo é simples, mas deve ser pensado e analisado com antecedência.

Neste artigo explicamos quanto custa abrir uma empresa, e que despesas e procedimentos deve ter em consideração antes de iniciar o seu negócio.

Antes de abrir uma empresa, informe-se sobre o assunto

Abrir uma empresa é um processo cada vez mais fácil em Portugal. Contudo quem nunca pesquisou sobre o assunto pode deparar-se com várias dúvidas na hora de criar a sua empresa.

Uma das primeiras coisas que deve ter em consideração é o tipo de empresa que pretende criar. É muito comum as pessoas ficarem com dúvidas sobre a forma jurídica da sua empresa, pois existem algumas possibilidades.

Por exemplo se vai ser o único sócio da empresa deve analisar bem os prós e contras de uma Sociedade Unipessoal por Quotas ou se é preferível ser Empresário em Nome Individual. No caso de existir mais que um sócio, devem em conjunto analisar a forma jurídica mais vantajosa para todos.

Para além disso deve informar-se sobre as responsabilidades tributárias e financeiras que passará a ter consoante o tipo de empresa e negócio que pretende abrir.

Que tipos de formas jurídicas existem para empresas com apenas um sócio?

Quando pretende abrir uma empresa que ficará apenas à sua responsabilidade, existem duas formas jurídicas que deve ter em conta:

  • Empresário em Nome Individual
  • Sociedade Unipessoal por Quotas
  • Estabelecimento Individual de Responsabilidade Limitada

A escolha entre estas três formas jurídicas deve ser bem analisada, e se possível fale com um contabilista para o ajudar nesta decisão.

Empresário em Nome Individual

No caso de optar por ser Empresário em Nome Individual, deve saber que:

  • Terá que preencher a sua Declaração de Início de Atividade;
  • Precisa de fazer o enquadramento na Segurança Social;
  • Caso o rendimento anual líquido não seja superior a 200 mil euros, pode optar por uma contabilidade em regime simplificado. A sua tributação será feita através da categoria B, do IRS. Neste caso não é obrigado à contratação de um Técnico Oficial de Contas.
  • Se os rendimentos não ultrapassarem os 10 mil euros pode pedir a isenção de IVA, que pode ser vantajoso no primeiro ano de atividade em pequenos negócios, quando os rendimentos são baixos.
  • Não é exigido ao empresário em nome individual ter capital social mínimo para iniciar o seu negócio. No entanto, é importante saber que se optar por esta forma jurídica o seu património pessoal pode responder pelas dívidas contraídas pela sua empresa, caso esta não as consiga pagar.
  • O nome da empresa deve ser o nome completo ou abreviado do fundador. Para além do nome, pode acrescentar uma expressão relacionada com o tipo de atividade.

Sociedade Unipessoal por Quotas

Já no caso de pretender abrir uma Sociedade Unipessoal por Quotas, deve saber que:

  • Será o único sócio da sua empresa, mas a sua responsabilidade é limitada, pois o seu património pessoal não irá responder pelas dívidas da empresa;
  • Este tipo de sociedade é tributada em sede de IRC,
  • Irá necessitar de contratar os serviços de um Técnico Oficial de Contas (TOC);
  • Terá que definir o seu capital social, sendo o mínimo de um euro, e abrir uma conta bancária para a sua empresa;
  • Terá que conseguir o certificado de admissibilidade, fazer o deposito do capital social e realizar o ato constitutivo da sociedade;
  • Para abrir a sua empresa terá que fazer o registo da mesma, e depois do nome deve conter "Unipessoal” ou “Sociedade Unipessoal”, seguida de “Limitada” ou de “Lda.”
  • Abrir atividade numa repartição das Finanças e realizar a sua inscrição na Segurança Social;
  • Após o processo de inscrição da sua empresa pode pedir o cartão da sua empresa.
  • Uma Sociedade Unipessoal por Quotas é um regime mais complexo, mas que pode compensar em relação a ser um Empresário em Nome Individual quando o nível de faturação é mais elevado e o negócio de risco elevado.

Que tipos de formas jurídicas existem para empresas com mais que um sócio?

Caso pretenda abrir uma empresa com mais sócios as duas formas jurídicas mais comuns são:

sócios-de-empresa-a-debater-ideias-numa-mesa-de-escritorio
  • Sociedade por Quotas: Pode ser constituída por dois ou mais sócios, que dividem o capital social da empresa. No entanto numa sociedade por quotas o valor mínimo para o capital social é de apenas 1 euro por sócio, e a responsabilidade dos sócios é limitada ao valor da quota que detêm. Para além do nome comercial e expressão que pode ser adicionada, deve conter de seguida “Limitada” ou “Lda."
  • Sociedade Anónima: Neste tipo de sociedade o capital social está dividido em ações, por um mínimo de 5 sócios. A responsabilidade dos sócios é limitada ao valor das ações subscritas, não tendo responsabilidade para além do capital social investido. O capital social total de uma sociedade anónima não pode ser inferior a 50 mil euros. A empresa para além do nome e expressão relativa ao negócio, tem que conter de seguida "Sociedade Anónima" ou "SA".

Para além destas duas sociedades, existe a Sociedade em Nome Coletivo e a Sociedade em Comandita. Caso pretenda consultar as características destas formas jurídicas pode fazê-lo através do Código das Sociedades Comerciais.

Como devo proceder para criar uma empresa?

Para simplificar os procedimentos para abrir uma empresa foi criado o serviço Empresa na Hora, que se encontra nas lojas de cidadão e balcões do instituto de registos e notariado. Este serviço ajuda a simplificar todo o processo, pois dispõe de listas de firmas e pactos sociais pré-aprovados que agilizam a criação de uma empresa.

Para criar uma empresa o primeiro passo, depois de ter decidido a forma jurídica, é consultar o site Empresa na Hora, e ver as listas de firmas e pactos sociais pré-aprovados. Desta forma fica com uma ideia dos nomes e dos pactos já existentes, para quando chegar ao balcão ter várias opções selecionadas. No entanto o nome da firma só será reservado quando registar a mesma ao balcão.

No balcão então irá escolher então o nome da firma, que é diferente do nome comercial da sua empresa, e será seguido da designação da natureza jurídica da empresa (Unipessoal, Limitada, S.A, etc). Depois deverá indicar o pacto social pré-aprovado que pretende. Um pacto social é o contratado da sua sociedade. É neste que estão definidas as regras, sócios, o valor das quotas, sede, atividade, capital social, entre outras normas.

O que pode fazer posteriormente à criação da empresa?

É importante saber que nem tudo tem que ser feito no mesmo dia. Depois de abrir a sua empresa, tem 15 dias para entregar nas Finanças a Declaração de Início de Atividade, que deve ser assinada pelo seu Técnico Oficial de Contas. Para além disso tem 30 dias a contar da constituição da sociedade para pedir o Registo Central do Beneficiário Efetivo.

O prazo mais curto que tem após a criação da sua empresa está ligado ao depósito do valor do capital social na conta em nome da sociedade. O prazo para este depósito é de 5 dias após a constituição da sua empresa. No entanto também poderá optar por fazer a entrega nos cofres da sociedade até ao final do primeiro exercício económico.

Quanto custa abrir uma empresa?

O custo de abrir uma empresa irá depender da forma jurídica e do número de sócios que vão fazer parte da sociedade, mas também dos bens móveis e imóveis associados à mesma. Os principais custos para abrir uma empresa são:

  • Custo do registo através da Empresa na Hora: 360 euros;
  • Certificado de Admissibilidade para a criação da empresa: 70 euros, pedido normal ou 150 euros para pedidos urgentes;
  • Nas sociedades com entradas de imóveis ou participações sociais que tenham que ser registadas: 50 euros por imóvel ou quota;
  • Sociedades com bens móveis: 30 euros por cada bem;
  • No caso de serem associados ciclomotores, motociclos, triciclo ou quadriciplos com cilindradas até 50 cm3. com um limite de 30 mil euros: 20 euros por veículo.

Que outro tipo de despesas devo ter em consideração ao abrir uma empresa?

As despesas adicionais à criação de uma empresa mais comuns são:

homem a fazer contabilidade da empresa
  • TOC e Advogado: Todas as sociedades são obrigadas a ter um Técnico Oficial de Contas e um software de faturação que seja certificado pela Autoridade Tributária. Por isso se vai criar uma empresa deve ter estes custos no orçamento da sua empresa. No que diz respeito ao advogado, os serviços são mais requisitados em alguns negócios do que em outros. No entanto deve sondar as despesas que poderá vir a ter se precisar dos serviços de advocacia.
  • Sede da empresa e instalações do negócio: A menos que o seu capital seja muito elevado, o mais comum no início de um negócio é alugar o local onde vão ser as instalações e a respetiva sede da empresa. Nesta área deve pensar que terá que pagar a caução, a renda, e equipar o local para que este funcione corretamente, e seja atrativo para os clientes.
  • Fornecedores: Em muitos negócios, os fornecedores representam uma despesa muito elevada, e deve ter isso em consideração desde cedo. Faça bem as contas, analise o que é essencial para começar, e tente ao máximo negociar valores no início do seu negócio.
  • Serviços: Lembre-se que quando tem um negócio existem serviços indispensáveis que têm que ser pagos mensalmente. Destes serviços fazem parte a eletricidade, água, telefone, internet e o gás. Para além destes não se esqueça dos seguros que terá que contratar, as despesas com a segurança e viaturas, caso seja necessárias.
  • Trabalhadores: Os trabalhadores representam um peso financeiro elevado nas despesas de uma empresa. Por isso informe-se bem sobre as suas obrigações enquanto patrão, pois terá que pagar ordenados, subsídios, os descontos para a segurança social, seguros, entre outras despesas.

Para além das despesas anteriormente referidas é importante realçar que muitos negócios precisam de licenças para que o seu funcionamento seja legal. Também não se esqueça que precisa do livro de reclamações. Caso recorra a um crédito no início, avalie bem as taxas associadas ao mesmo, e tenha em conta a prestação mensal que ficará a pagar no orçamento.

Que impostos passarei a ter ao abrir uma empresa?

Para além de todas as despesas aqui referidas, nunca se deve esquecer dos impostos a pagar.

Apresentamos os quatro principais impostos que poderá vir a pagar com a criação do seu negócio.

  • IRC: Quando abre uma empresa através de uma sociedade esta é taxada através do Imposto Sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas, IRC. Este imposto é aplicado sobre os lucros da sua empresa, e representa uma taxa de 21%. As PME´s contam com o benefício de uma taxa de 17% nos primeiros 15 mil euros de lucro. Só quando esse valor é ultrapassado é que a taxa de 21% é aplicada.
  • IVA: As taxas de IVA podem variar entre os 6%, 13% e os 23% em Portugal, dependendo dos bens ou serviços prestados pelo seu negócio. No entanto as empresas suportam IVA e liquidam o mesmo. A diferença entre ambos é comunicada à AT mensalmente ou de três em três meses.
  • TSU: Taxa Social Única é a contribuição que é paga à Segurança Social por cada trabalhador que uma empresa tem. Atualmente a TSU representa uma taxa de 23,75% sobre o salário de cada trabalhador.
  • Derrama Municipal: Este é um imposto que será pago ao município onde esta sediada a empresa. A derrama municipal é aplicada sobre os lucros da empresa, e não pode exceder 1,5%. O valor pode variar de cidade para cidade.

Para além destes quatro impostos, caso existam transmissões de imóveis na sua sociedade poderá ter que pagar o IMT, Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis. Caso o seu negócio tenha lucros superiores a 1,5 milhões de euros, terá que pagar um imposto designado de derrama estadual, que poderá chegar aos 9%.

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

18 comentários em “Abrir uma empresa: saiba quanto custa e o que deve ter em consideração
  1. Boa tarde.

    O meu patrao esta a pensar vender me o negocio por uma quantida de 200 000 € (exemplo) de um negocio que fatura anualmente imaginemos 120 000 € com lucro liquido de 30 000 €. A prestacao mensal paga a ele diretamente é de 2000 €, com alguma margem de ajuste nos meses onde nao faturar.

    Eu nao tenho capital proprio, e gostaria te ter um melhor aconselhamento. Noa posso faver um emprestimo bancario, no entanto qual a melhor forma de prosseguir com o negocio sem condenar a minha familia caso corra mal.

    O negocio esta pago, assim como o espaço.

    Obrigado

    1. Olá, Rui,

      Obrigada pela sua pergunta.

      Lamentamos não ter conseguido responder a esta questão em tempo útil, mas tivemos um pico muito grande de comentários e não nos foi possível responder a todos. Sugerimos que, caso ainda considere pertinente, deixe um novo comentário no nosso portal. Neste momento já estamos a conseguir normalizar a capacidade de resposta.

      Recordamos que o nosso portal é atualizado diariamente com muita informação sobre variados temas.

      Se tem interesse por algum tema específico, pode sempre utilizar a caixa de pesquisa do site para limitar os resultados aos temas que mais lhe interessam.

  2. Existe um valor máximo para quanto um Trabalhador Independente pode ter de lucro? E depois precisar de se registar como Empresa? Ou não existe penalização ou limite máximo de lucro para nenhum cargo?

  3. A partir de que quantia anual devo pensar em registar-me como empresa? As Finanças poderão penalizar se eu fizer um valor demasiado elevado a cargo de Trabalhador Independente e não de Empresa?
    E eu terei de dispensar aproximadamente 60% do lucro total nos impostos como é referido no artigo?

    1. Olá, Manuel.

      Sim, pode criar uma sociedade unipessoal por quotas apesar de ser trabalhador por conta de outrem.

  4. Sou emigrante num pais da união Europeia e prentendo investir no ramo imobiliario em Portugal, a questão é debo abrir empresa para gerir os arrendamentos ou continuar como como individuo singular.
    Quais os beneficios de um e de outro.
    Obrigado

    1. Olá, Bruno,

      Obrigada pela sua pergunta.

      Lamentamos não ter conseguido responder a esta questão em tempo útil, mas tivemos um pico muito grande de comentários e não nos foi possível responder a todos. Sugerimos que, caso ainda considere pertinente, deixe um novo comentário no nosso portal. Neste momento já estamos a conseguir normalizar a capacidade de resposta.

      Recordamos que o nosso portal é atualizado diariamente com muita informação sobre variados temas.

      Se tem interesse por algum tema específico, pode sempre utilizar a caixa de pesquisa do site para limitar os resultados aos temas que mais lhe interessam.

    1. Olá, Maria.

      À partida a loja estará registada nas Finanças, portanto não estará isenta de IVA.

  5. Para abrir um espaço para apoio ao estudo e consultas de psicologia registei a minha atividade CIRS nas finanças, mas agora estou na dúvida se tenho de criar uma empresa em nome individual por causa de poder ter livro de reclamações, por exemplo?

  6. Neste caso, as empresas não “suportam” IVA, deduzem. Também o podem suportar sim, em determinadas circunstâncias, mas não creio que fosse essa a intenção aqui visto que logo a seguir dizem: “a diferença entre ambos…” referindo-se obviamente ao apuramento entre dedutível e liquidado. A terminologia é importante para não passar uma mensagem incorreta.

    1. Olá, Eduardo,

      Obrigada pela sua pergunta.

      Lamentamos não ter conseguido responder a esta questão em tempo útil, mas tivemos um pico muito grande comentários e não nos foi possível responder a todos. Sugerimos que, caso ainda considere pertinente, deixe um novo comentário no nosso portal. Neste momento já estamos a conseguir normalizar a capacidade de resposta.

      Recordamos que o nosso portal é atualizado diariamente com muita informação sobre variados temas.

      Se tem interesse por algum tema específico, pode sempre utilizar a caixa de pesquisa do site para limitar os resultados aos temas que mais lhe interessam.

  7. Eu consegui poupar um pouco mais na constituição, porque abri uma sociedade porquotas directamente online, defini a minha própria denominação fiscal e paguei apenas 220eur. 🙂
    O processo implica muita atenção aos passos, ter leitor de cartão do cidadão, fazer a certificação digital de documentos (um processo muito simples e conveniente) e termos a certeza que estamos a submeter os documentos correctos/esperados. Mas é mais económico e funciona.

    1. Já que teve essa experiência, deixe-me pergundar. Algum site onde possa pesquisar as obrigações fiscais/legais na abertura uma empresa? Incentivos que eventualmente existam para arranque de actividade?

      1. Melhor que um site é falar com um contabilista. Em princípio a informação é mais de fiar.

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.