O cartão de crédito pode ser uma ótima ajuda na gestão das finanças pessoais, mas também pode vir a tornar-se na maior dor de cabeça. Antes de solicitar um novo cartão de crédito, verifique se está a considerar todos estes aspetos.

Definir uma modalidade de pagamento

O cartão de crédito permite que tenha disponível dinheiro antes de o ter recebido. Isto é, precisa de comprar ou pagar algum bem ou serviço e pode não ter de esperar por ter esse montante e fazer o pagamento com o cartão. Todos os cartões têm modalidades de pagamento e numa delas não paga mais por esta operação de antecipação de dinheiro e em todas as outras (e muitas vezes, não paga pouco!)

As modalidades dos cartões de crédito variam desde 3% a 100%. Ou seja, pode escolher qual a percentagem do valor em dívida que quer pagar. Se optar pela modalidade de 100% está a assumir que a 1º prestação do seu cartão será a totalidade do valor em dívida. Desta forma, não pagará qualquer cêntimo de juros por ter recorrido ao crédito. É uma grande vantagem, mas precisa de disciplina. Por vezes, acontece que o cliente tenha a intenção de pagar o cartão a 100%, mas como surgiram imprevistos desde o momento da compra até ao pagamento da prestação, o cliente acaba por optar por outras modalidades e assim já vai estar a pagar juros sobre esse valor. Claro, que os bancos estão sempre disponíveis a que pague o valor mínimo de cada cartão, pois é assim que ganham dinheiro.

Plafond até ao seu rendimento

O plafond de um cartão é o limite de crédito que está pré-aprovado para utilizar quando e naquilo que quiser. Ficamos satisfeitos se um credor nos atribui um valor muito elevado, pois estamos habituados a considerar isso como um reconhecimento da nossa importância. Então, se esse valor elevado implicar ter um cartão dourado, ainda mais importante nos sentimos. Mas cuidado! No mundo em que vivemos parece que nós temos de ter mais cautelas do que os bancos têm connosco.

O banco ganha dinheiro com o nosso endividamento. Se tiverem margem para aprovar um limite de crédito mais elevado é esse mesmo que eles vão fazer acreditar que precisamos. Um critério que podemos considerar antes de aceitar um cartão é se esse limite de crédito atribuído é superior ao nosso rendimento. Se seguir um critério mais conservador, então, não aceite limites disponíveis maiores do que o seu rendimento mensal. Se cair na tentação de recorrer com frequência ao cartão e se esse valor em dívida for muito elevado, terá muitas dificuldades em pagá-lo e rapidamente o cartão transforma-se na maior dor de cabeça do seu dia-a-dia.

Contabilizar todas as despesas do cartão

Mesmo que opte por pagar na modalidade dos 100%, dificilmente os bancos deixam de ganhar dinheiro com a atribuição de cartões de crédito. Por norma, um cartão de crédito tem uma anuidade que pode ir dos 14€ a mais de 50€. Tenha atenção que há cartões com isenção de anuidades, mas há outros cuja isenção é apenas no primeiro ano, ou mediante o cumprimento de determinados níveis de utilização. Verifique com detalhe o valor destes custos, de forma a garantir o barato não lhe saia caro.

Vantagens associadas ao cartão

cartao-de-credito-4-fatores-essenciais

Como os bancos ganham muito dinheiro com o endividamento através do cartão de crédito, a estratégia de marketing dos bancos para venderem estes cartões costuma ser muito intensa. Os bancos sabem que os portugueses gostam muito de descontos e de prémios, pelo que quase todos os cartões estão associados a um benefício indireto (descontos gasolina, vouchers, isenção de outros custos bancários, etc). Não se deixe levar pelos benefícios se isso implicar ter um gasto desnecessário. Seja exigente consigo próprio e não decida por impulso. Há pessoas que aceitam cartões de crédito, com uma intenção de nunca vir a utilizar, só para terem acesso a algum brinde. O problema é que em alturas de maior aflição vai recorrer ao cartão, quando provavelmente não terá capacidade para o pagar.

O Doutor Finanças tem apresentado soluções diariamente os seus clientes para corrigirem más utilizações de cartões. É possível reestruturar montantes em dívida com cartões e até fazer um crédito consolidado que liquide o cartão na totalidade. É preciso saber negociar e encontrar as melhores soluções no mercado. Neste aspeto somos especialistas que queremos estar do seu lado.