Contas bancárias

Abrir conta bancária para um filho: Quando e porque deve fazê-lo

Abrir conta para o seu filho é um passo importante para a sua vida financeira. Mas quando deve abrir a conta?

Contas bancárias

Abrir conta bancária para um filho: Quando e porque deve fazê-lo

Abrir conta para o seu filho é um passo importante para a sua vida financeira. Mas quando deve abrir a conta?

A abertura de uma conta bancária para o seu filho é um passo importante para a vida financeira dele. Para além de estar a preparar o seu futuro, vai estar também a transmitir-lhe a importância da poupança e da gestão eficiente do seu dinheiro. Desta forma, se ainda não o fez, comece a planear a abertura da conta para o seu filho.

Quando abrir a conta do seu filho?

Quanto mais cedo abrir uma conta para o seu filho, melhor, pois desta forma a probabilidade de aumentar a rentabilidade das suas poupanças é maior.

O processo de abertura de conta é muito simples e não é necessária a presença da criança, basta apresentar o documento de identificação do menor (o titular da conta), o seu documento de identificação (representante legal), bem como o seu comprovativo de morada e profissão.

Leia ainda: Educação financeira: O que ensinar em cada idade

Qual a importância de abrir conta para o seu filho?

Como indicamos anteriormente, a abertura de conta para o seu filho é uma etapa muito importante no desenvolvimento das competências financeiras dele. Primeiro porque está a preparar um pé de meia para quando o seu filho chegar à vida adulta ter algum dinheiro disponível para concretizar determinados objetivos como por exemplo fazer Erasmus, comprar um carro, tirar um ano sabático após a faculdade, entre outros. Depois, porque está a incutir-lhe desde pequeno a importância da poupança e da gestão eficiente do dinheiro.

Se o seu filho tiver mais de seis anos, leve-o consigo ao banco para a abertura de conta e explique-lhe a sua importância. Ele vai sentir-se entusiasmado por fazer parte deste processo.

Para além disso, existem outras ações que podem sensibilizar o seu filho para este tema. Por exemplo:

  • Fale de dinheiro abertamente com ele;
  • Leve-o às compras consigo e explique-lhe as suas decisões de compra;
  • Atribua-lhe uma mesada para ele gerir;
  • Estabeleça-lhe objetivos de poupança;
  • Dê-lhe livros e jogos que abordem o tema da literacia financeira.

Quais as especificidades da conta para um filho?

Regra geral, as contas de menores podem ser abertas em qualquer altura, ou seja, desde que a criança nasce até ter 18 anos e estão isentas de comissão de manutenção de conta. Quanto aos valores mínimos de constituição, dependem das instituições financeiras.

Neste tipo de conta, o titular é sempre o menor, e o pai, a mãe ou ambos os seus representantes legais até a criança completar os 18 anos de idade.

Para depositar dinheiro na conta do seu filho, pode optar por ir ao balcão ou fazer transferências da sua conta para a dele. Para ser mais cómodo para si, pode optar por fazer transferências programadas para a conta do seu filho.

Leia ainda: 8 formas de ensinar os mais pequenos a tomar decisões financeiras

Criança com porquinho mealheiro nas mãos a aprender decisões financeiras

Onde investir o dinheiro do seu filho?

Para rentabilizar as poupanças do seu filho, não basta a abertura de uma conta à ordem, deve ponderar escolher um produto onde investir o dinheiro.

Nos dias que correm, as taxas de juro dos depósitos a prazo tradicionais estão muito próximas de zero, mesmo com a anunciada subida da taxa Euribor, os juro dos depósitos continuam muito baixos e como a taxa de inflação é superior, o dinheiro que coloca nestes produtos desvaloriza. Então onde investir o dinheiro do seu filho?

O segredo é a diversificação, ou seja, pode colocar algum dinheiro do seu filho num depósito tradicional, até porque está protegido pelo Fundo de Garantia de Depósitos (até aos 100.000 euros). Parte do dinheiro pode investir noutros produtos com maior rentabilidade, como por exemplo:

  • Certificados do tesouro. Este produto tem capital garantido e uma rentabilidade um pouco superior à dos depósitos a prazo tradicionais. Neste caso, periodicamente recebe o valor dos juros na conta à ordem e no final do prazo do investimento recebe todo o valor investido na conta.
  • Fundos de investimento. Nesta opção, existe risco de capital, ou seja, pode perder parte do valor investido, no entanto, a rentabilidade pode ser muito superior à dos produtos sem risco. Se decidir optar por este produto lembre-se que o mesmo terá que ficar em nome de um adulto.

Leia ainda: 5 dicas financeiras que os seus filhos não vão esquecer

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.