Bem-estar

8 dicas de poupança com a saúde que deve considerar

Há várias dicas de poupança com a saúde que pode aplicar para evitar que estas tenham um peso demasiado grande no seu orçamento.

Há várias dicas de poupança com a saúde que pode aplicar para evitar que consultas, análises, exames, seguros de saúde e idas à farmácia tenham um peso demasiado grande no seu orçamento mensal, e muitas destas passam pela prevenção.

É importante salientar desde já que poupar na saúde não implica um acesso menor a cuidados de saúde, mas pelo contrário, um acesso mais regular que ajude a prevenir futuras complicações que podem acabar por ser bem dispendiosas.

1. Foque-se num estilo de vida saudável

Entende-se que optar por um estilo de vida saudável implica benefícios para a sua saúde física e mental, o que leva a menos gastos com a saúde. São várias as recomendações que pode seguir para se focar em ter um estilo de vida saudável, e há muita informação sobre isso disponível.

As recomendações da Direção Geral de Saúde (DGS) neste campo passam por várias áreas como a alimentação, o sono, a moderação do consumo de bebidas alcoólicas, a atividade física, gestão do stress, prevenção de acidentes, e cuidados a ter com o sono.

2. Vá ao médico com regularidade

Visitar o seu médico de família com regularidade para vigiar a sua saúde, através dos famosos check-ups anuais, é fundamental para prevenir o aparecimento de situações inesperadas.

O acesso ao médico de família pode ser feito através do seu centro de saúde, e implica o pagamento de apenas 4,50 euros em taxas moderadoras para consultas de medicina geral, ou de 7,00 euros para consultas de especialidade de acordo com a Portaria n.º 64-C/2016 – Diário da República n.º 63/2016.

Este é um valor simbólico a pagar pela sua saúde. Se não tem médico de família terá de se inscrever no centro de saúde da sua zona residencial para que lhe seja atribuído um. Atenção que a não comparência em consultas durante três anos seguidos leva à perda do médico de família.

3. Analise antes de contratar um seguro de saúde

Mesmo indo ao médico regularmente e tendo um estilo de vida saudável podemos ter problemas neste campo. Nestes casos, ter um plano ou um seguro de saúde é conveniente e fazer os trabalhos de casa antes de contratar um é essencial.

Há várias questões que deve analisar antes de contratar um seguro de saúde: deve analisar as coberturas e períodos de carência, ter atenção às exclusões, rever o questionário clínico que deve ser preenchido, e recorrer a um especialista.

Uma boa análise vai ajudá-lo a poupar tempo e dinheiro com um seguro de saúde, pois além de evitar coberturas desnecessárias vai conseguir verificar a franquia (valor da despesa que ficará a seu cargo) mais vantajosa, e encontrar o seguro ou plano mais económico.

É importante aproveitar outros pequenos “truques” para conseguir poupar no seu seguro de saúde, como pagar o prémio de uma só vez anualmente para que este seja menor, e renegociar quando terminar a duração do seguro ao reavaliar coberturas que tinha contratado.

4. Doe sangue

Doar sangue é sempre nobre pois é um pequeno gesto que ajuda a salvar vidas. Existem, no entanto, incentivos que trazem ao dador alguns benefícios que ajudam esta causa a entrar em qualquer lista de dicas de poupança com a saúde.

De acordo com o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) o dador de sangue tem vários direitos que incluem a isenção das taxas moderadoras no acesso à prestação de cuidados de saúde no Serviço Nacional de Saúde (SNS), e acessibilidade gratuita a estabelecimentos do SNS quando vai doar sangue.

5. Opte por medicamentos genéricos

Optar por medicamentos mais baratos é uma das mais conhecidas dicas de poupança com a saúde: os genéricos são por norma mais baratos e acabam por ter o mesmo princípio ativo que os seus equivalentes de marca.

Por vezes há até vários medicamentos com o mesmo princípio ativo, mas os preços variam bastante. Para o ajudar a poupar nas visitas à farmácia o Infarmed criou uma app chamada “Poupa na receita” que indica, entre outros, o medicamento mais barato com o princípio ativo prescrito pelo médico.

A app permite também consultar o folheto informativo dos medicamentos e consultar alertas sobre os mesmos. Esta informação pode também ajudar a evitar tomar dois medicamentos com o mesmo princípio ativo.

6. Evite a sobretratamentos

Evitar a sobredosagem através da chamada prevenção quaternária é outra dica a considerar. Em conversa com o Doutor Finanças o Dr. João Ramos, médico de medicina geral e familiar e apresentador da rúbrica “Diga, Doutor” que passava na RTP 1, apontou que muitas vezes são prescritos medicamentos que mais tarde não são necessários.

A prevenção quaternária tem como objetivo evitar o sobrediagnóstico e o sobretratamento. Segundo o Dr. João Ramos chega a haver casos onde os pacientes tomam dois ou três medicamentos com o mesmo princípio ativo, mas nomes diferentes.

“Eu acho que muitos médicos, se for feita a pergunta ‘Doutor, eu tenho gasto muito em medicação, não há aqui nada que eu possa descansar?’ eu garanto que os médicos vão encontrar [algo].”

Dr. João Ramos

O Dr. João Ramos salientou, no entanto, que é importante perguntar ao seu médico antes de parar de tomar qualquer tipo de medicamento. Para procurar uma folga fale com o seu médico para saber se há onde cortar nos medicamentos que toma.

7. Vá ao dentista regularmente

A saúde oral também é importante e acaba por muitas vezes ser negligenciada, o que é um erro. Deixar um pequeno problema desenvolver-se pode ser a diferença entre ter de ir ao dentista fazer um simples tratamento e ter de fazer vários para resolver o mesmo problema.

8. Peça fatura com NIF

Como última dica de poupança com a saúde, não se esqueça de pedir fatura com o Número de Identificação Fiscal (NIF) quando tiver alguma despesa relacionada com a saúde. Estas despesas podem ser deduzidas à coleta do IRS (ao imposto a pagar) em 15% até um montante máximo de 1.000 euros.

Podem ser incluídas despesas suportadas por qualquer membro do seu agregado familiar e englobam consultas, internamentos hospitalares, tratamentos, medicamentos, próteses, aparelhos ortodônticos, seguros de saúde, intervenções cirúrgicas, e até óculos e armações.

No caso de óculos, armações e outras despesas de saúde com IVA a 23%, estas terão de ser acompanhadas de receita médica que deverá ser associada à respetiva fatura na sua página pessoal do e-Fatura.

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)