Utilidades

Abrir um restaurante: 7 aspectos a ter em conta

Abrir um restaurante pode ser um sonho para muitos, mas há certo aspetos de negócio que deve ter em conta, antes de abrir um espaço próprio.

Luisa Barreira Luisa Barreira , 7 Outubro 2019

Abrir um restaurante é um sonho comum a muitos empreendedores portugueses. Contudo, os negócios na área da restauração podem ser exigentes e levar à falência, poucos anos depois da grande abertura. 

Se sonha em abrir um restaurante, pense que está no negócio da alimentação, mas também do conforto e da comodidade. Para além do menu, deve pensar no preço e no atendimento. Deve assim investir na qualidade das refeições, mas também no espaço e na experiência que quer dar ao cliente final.

Por todos estes motivos e apesar de ser uma das ideias de negócio mais procuradas, é também uma daquelas com o risco mais elevado.

Neste artigo, apresentamos 7 aspectos que deve ter em conta antes de abrir este tipo de negócio.

Análise do Mercado

Existe a perceção generalizada de que as famílias portuguesas vão com bastante frequência “comer fora”. Esta mesma perceção é fundamentada pelos dados de um estudo divulgado pela Gira Foodservice em 2009. O estudo revela que, em 2008, cada habitante, em Portugal, consumiu em média 2,2 refeições fora de casa por semana, o que equivale a dizer que aproximadamente 16% das refeições são consumidas fora de casa.

Por outro lado existem algumas tendências que refletem mudanças de comportamento por parte dos consumidores como, por exemplo, do aumento da procura de serviços self service, bem como, o aumento generalizado do take away e fast food. Saiba assim se o seu negócio se pode enquadrar nesta oferta.

Escolher o tipo de Restaurante

Esta escolha parece simples, mas nem sempre é!

A escolha do tipo de restaurante que pretende abrir é muito importante. Isto porque quando as dificuldades chegarem é o facto de se trabalhar no que se gosta que mantém os empreendedores motivados e com força para continuar. Portanto é importante que o tipo de restaurante que decidir abrir entre em linha de conta com a vontade e também com as necessidades do mercado.

Esta definição do tipo de restaurante tem que ficar clara desde o início. Para isso deve fazer a si próprio algumas questões, cujas respostas lhe facilitarão os passos seguintes e ajudarão a definir o tipo de restaurante. Qual o ambiente que pretende adotar? Que tipo de refeições serão servidas? Se o serviço é take-away, buffet ou comida na mesa? Qual a ementa desejada?

Localização do Restaurante  

A escolha do local do seu restaurante é crucial para o sucesso pretendido. Por norma, a escolha prende-se entre um restaurante de rua ou dentro de um shopping. Os dois tipos de localização têm vantagens e desvantagens e dependem também do tipo de espaço que quer criar. A melhor forma de, na hora de optar qual a localização, fazer a escolha mais acertada é estabelecendo algumas premissas base, avaliando os seguintes pontos:

  • Quantas pessoas frequentam o local pretendido?
  • Se for um shopping, quantos visitantes tem por dia? A renda é elevada?
  • Que infraestruturas existem?
  • São necessárias obras? Qual o custo?

Estas são algumas das principais questões que devem ser feitas na hora de escolher a melhor localização para o seu tipo de restaurante. 

Plano de Negócio

É muito importante elaborar um plano de negócios pormenorizado, com especial enfoque nas informações sobre a filosofia do projeto, a análise da concorrência, as despesas iniciais de investimento e as projeções para a rentabilidade do negócio.

Em relação às despesas de investimento, deverá contabilizar o equipamento de cozinha, obras de remodelação e decoração do espaço, sistema de climatização, de som e de imagem, o projeto arquitetónico, licenças e encargos com a constituição da empresa e custos fixos e custos não previstos.

Relativamente aos custos fixos tenha em consideração os vencimentos de colaboradores, renda do espaço, serviços de limpeza, renda do espaço. E também as despesas de água, luz, gás e telefone.

Deve também ter em conta serviços relacionados com o seu negócio, como serviços de limpeza ou serviços de contabilidade. Os seguros e o pagamento de imposto é também um custo recorrente.

Ler mais: Quando devo dar gorjetas?

Legislação a ter em conta

No que trata a legislação que deve consultar e ter sempre presente o Decreto-Lei n.º 234/2007 de 19 de junho. É absolutamente crucial já que dispõe o regime jurídico da instalação e funcionamento dos estabelecimentos de restauração ou de bebida. 

Quanto aos requisitos mínimos de estrutura e funcionamento dos restaurantes estão dispostos no Decreto Regulamentar n.º 20/2008 de 27 de novembro

Por outro lado, o Decreto-Lei n.º 67/98, de 18 de março define todas as questões relacionadas com a higiene e segurança alimentar. 

Se, por alguma razão, o espaço onde pretende montar o seu restaurante necessitar de obras de construção ou modificação, deverá ainda consultar a Lei n.º 60/2007 de 4 de setembro

Licenciamento do Restaurante

Uma das maiores dores de cabeça dos empreendedores desta área foi resolvida com a aprovação, pelo estado, do Decreto-Lei n.º 48/2011 de 1 de abril. Este decreto veio simplificar a abertura e a modificação de determinados negócios, introduzindo um regime simplificado de instalação e funcionamento, denominado Licenciamento Zero. 

Desta forma e com a introdução desta lei, foram eliminadas as licenças, as autorizações, as vistorias e outras permissões necessárias à abertura e ao funcionamento de diversos negócios, incluindo os da restauração. Com o Licenciamento Zero, os proprietários precisam apenas de comunicar, através do Balcão do Empreendedor, a abertura ou modificação do seu negócio e declarar que se comprometem a cumprir toda a legislação a ele respeitante. 
 
Para questões financeiras e fiscais, a forma mais fácil e segura é recorrer a um contabilista para tratar de tudo isso. Vai poupar-lhe tempo e dinheiro. De qualquer modo, irá necessitar dele no futuro quando desejar constituir a sua empresa. Considerar a contratação de um contabilista experiente para guiá-lo em todo este processo é crucial para o sucesso de uma pequena empresa. Assim garante que cumpre todos as obrigações fiscais e legais existentes.

Um contabilista não só o ajudará com as taxas e livros de contabilidade, mas também será um conselheiro financeiro nas decisões de negócios. Portanto, contrate alguém em quem possa confiar.

Ler mais: como receber mais dinheiro no IRS em 2019?

Opções de Financiamento

O financiamento da ideia de negócio é também um ponto fundamental, e na maioria das vezes a área mais crítica de todo o processo. Para financiar o investimento inicial, os bancos não são os únicos recursos dos empreendedores, existem várias opções disponíveis. Enumeramos as principais: 

  • Microcrédito: financiamento alternativo ao crédito bancário; 
  • Apoios IEFP: com acesso a linhas de crédito como Microinvest e Invest+; Capital de Risco; 
  • Crowdfunding: financiamento colaborativo online; 
  • Financiamento para jovens empresários - FINICIA Jovem; 
  • Passaporte para o Empreendedorismo; 
  • Vale Empreendedor. 

Depois de refletir cuidadosamente sobre todos estes pontos, avance com a sua ideia. E muito sucesso!

Leia também: Truques para potenciar o seu negócio sem gastar muito dinheiro

Partilhe este artigo

Deixar uma resposta