Ter a chave de uma casa nova na mão, principalmente quando é a primeira, é das coisas mais emocionantes que há. Contudo, garanta que tem tudo em ordem para a aprovação do seu crédito à habitação

Como obter um crédito à habitação

Comprar casa é sinónimo de um nervoso miudinho a cada visita, de amor à primeira vista em cada canto e recanto e ainda sinónimo daquela sensação de “aqui vou ser feliz”.  Contudo, pode é não ser feliz no banco, caso veja o seu pedido de crédito à habitação ser negado. Mas, como não queremos que tenha a sensação de amor não correspondido, temos aqui algumas dicas para si.

Contextualize o seu banco  

Seja claro e transparente com a instituição de crédito. Conte-lhes quais são as suas expetativas, motivações, a sua situação atual e a razão pela qual quer comprar casa. Tente dar o máximo de informação possível, sem omitir factos relevantes para o caso, pois a entidade bancária saberá todos os detalhes ao avaliar o seu processo.  

Reúna toda a documentação necessária  

Garanta que reúne todos os documentos necessários para solicitar o seu crédito à habitação. Assim, acelera o processo e ainda reduz a possibilidade do ver o seu processo ser devolvido por falta de documentação. Para saber ao detalhe o que precisa, clique aqui.

Estabilidade profissional e financeira  

O perfil dos clientes é determinante para a instituição financeira tomar uma decisão. Neste caso, é avaliado se tem um vínculo laboral e um rendimento regular. Quanto mais estável for a situação profissional e financeira dos proponentes e das empresas para a qual trabalham, maior será a possibilidade de ter um perfil financiável.

No caso de possuir outros créditos, aconselhamos a considerar a liquidação dos mesmos antes de avançar com o pedido de empréstimo para não prejudicar a taxa de esforço. O crédito consolidado poderá ser uma boa forma de fazê-lo, reduzindo assim os seus encargos. 

Taxa de esforço baixa 

A taxa de esforço corresponde à percentagem do rendimento destinada ao pagamento das prestações dos créditos contraídos. Este é um dos indicadores utilizados pelas instituições de crédito para avaliarem a viabilidade e a capacidade financeira dos clientes. Para que as finanças sejam consideradas saudáveis, esta taxa não deverá ser superior a 33%, ou seja, um terço do rendimento total do agregado familiar. No entanto, muitos bancos colocam um limite máximo de 40% na taxa de esforço dos titulares para a aprovação do financiamento, condicionado à apresentação de fiadores.  

Pode calcular a sua taxa de esforço a partir da seguinte fórmula:  

Taxa de esforço = (Encargos financeiros / Rendimento Líquido Total do Agregado) x 100 

Tenha um montante disponível para dar de entrada

Sabemos que nem sempre é possível, mas, desde o passado 1 de Julho, o Banco de Portugal veio condicionar o financiamento máximo para 90% do valor da compra, com exceção dos imóveis detidos pelos bancos. Portanto, dar uma boa entrada para o imóvel é uma mais valia para conseguir o seu crédito à habitação. Pois se antes da crise os bancos financiavam a 100%, hoje em dia o montante médio dispensado anda à volta dos 80%. Quanto mais elevada for a percentagem de LTV (Loan to Value), mais difícil é o banco conceder o empréstimo.  

LTV é a relação entre o valor de empréstimo pedido e o valor do imóvel. Por exemplo, se a casa que pretende comprar vale 100.000€ e precisa de 70.000€ o LTV será (70.000/100.000= 70%). 

Com dois titulares poderá ser mais fácil  

O lema “juntos somos mais fortes” também se aplica à questão da aprovação do crédito à habitação. Porque para a entidade financeira o risco é sempre menor se existirem duas pessoas envolvidas no processo. Por exemplo, no caso de uma das partes ficar em situação de desemprego ou sofrer um corte no rendimento, existe sempre uma segunda pessoa que poderá assegurar o pagamento das prestações.  

Com estas dicas, tem grandes probabilidades de conseguir a aprovação do banco. Contudo, nunca se esqueça que está a assumir um encargo para a vida. Ter uma casa pode ser um dos objetivos da maior parte das pessoas, mas os imprevistos podem acontecer. Então, é preferível ser cauteloso e pedir um empréstimo abaixo da sua capacidade máxima de financiamento.    

Outro conselho que damos é que nunca se esqueça que os bancos concorrem entre si. Portanto, é importante que avalie bem e veja qual é a melhor oferta que há no mercado. Se precisar, estamos aqui para ajudá-lo nessa tarefa, sem qualquer custo. 🙂