Crédito

Créditos e Penhoras – Tudo Tem Solução

Veja neste artigo as soluções que tem ao seu dispor para a resolução de problemas financeiros.

João Raposo João Raposo , 12 Junho 2015 | 34 Comentários

Tem incumprimentos e atrasos nos seus créditos e parece-lhe que não há solução? Saiba que na relação com os bancos tudo tem uma solução, mesmo que a situação pareça impossível.

Um atraso pode não ser um incumprimento de crédito

O incumprimento de uma prestação é algo que o banco ou instituição financeira reporta à Central de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal. No entanto, um atraso na prestação não é necessariamente um incumprimento. Um devedor pode atrasar o dia de pagamento da prestação e esse atraso não ser reportado ao Banco de Portugal. É necessário que fique sem pagar uma prestação mensal. Atenção que mesmo assim os atrasos têm custos associados, pois é cobrado ao devedor juros de mora que somam ao valor da prestação mensal.

Leia ainda: O que fazer em caso de incumprimento do Crédito Habitação?

O incumprimento de crédito não é uma desgraça

Não defendemos que incumprir com os nossos compromissos é algo bom. Aliás, irá pagar juros e penalizações que certamente não gostará.

A consequência mais direta do incumprimento é ficar reportado no mapa do BDP e isso ser fator inibidor de acesso a novos créditos. Mas assim que regularizar o atraso, ou que chegar a acordo com o credor, a denominação “incumprimento” desaparece do mapa e poderá ter, de novo, acesso ao crédito. Tenha atenção que o mapa do BdP reporta sempre a um mês atrás daquele em que se encontra.

Níveis de incumprimento prolongados levam a penhoras

A expressão popular “o tempo resolve tudo” não é um bom lema para quem está em incumprimentos, pois nestes casos o tempo agrava tudo. Há níveis de incumprimento que chegam a 8, 9, 10 meses e que acabam por seguir vias de execução coerciva. Ou seja, se o devedor tiver um salário este pode ser penhorado o que acaba por implicar numa redução do seu vencimento em 1/3 do valor (até ao limite do valor do salário mínimo nacional).

Penhoras que nunca mais acabam

Quando alguém fica com o seu salário penhorado tem ainda maiores dificuldades em cumprir com as outras responsabilidades de crédito. Nesta situação um credor que não veja a dívida a ser paga pode ficar em “fila de espera” para ser o próximo a penhorar o salário do devedor. Pode acontecer que quando terminar o prazo da penhora de uma dívida comece logo outra referente a outro credor. Há situações tão dramáticas que pode levar uma pessoa a ter o seu salário penhorado até ao final da vida.

Que soluções?

Lendo os parágrafos anteriores pode parecer que cada vez é mais difícil encontrar uma saída para estas situações. Mas a verdade é que tudo tem solução. É possível acabar com dívidas difíceis. Não nos podemos esquecer que os bancos têm como missão fazer negócio. E isso não é escândalo nenhum. O problema é quando a sociedade olha para os bancos como agentes que estão no mercado para nos ajudar. Os bancos não ajudam. Os bancos fazem negócio!

Se não consegue chegar a acordo com os bancos pode fazer sentido chegar a acordos judiciais. Neste caso, os agentes judiciais não vão procurar fazer negócio, mas sim fazer justiça. Se um devedor está num nível tal de incumprimento, em que o seu salário está penhorado para os próximos 10, 15 ou 20 anos, se já não tem qualquer património para vender de forma a libertar-se das dívidas, então poderá recorrer a um Plano de Pagamento Judicial para Pessoas Singulares ou mesmo à Insolvência Particular.

Será seguramente uma situação dura e pouco desejável, mas é uma forma real de acabar com as suas dívidas. Se quiser ver o seu processo analisado em maior detalhe não hesite e conheça o serviço de renegociação de créditos do Doutor Finanças.Saber mais sobre a Renegociação

Leia ainda: Se tem dívidas à Segurança Social, saiba como proceder

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #como acabar com as dívidas,
  • #dívidas fiscais,
  • #incumprimento banco de portugal,
  • #negociação de créditos,
  • #negociar créditos,
  • #sair das dívidas
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

39 comentários em “Créditos e Penhoras – Tudo Tem Solução

  1. Bom dia tive um crédito abatido ao ativo que deixou de aparecer no bdp! Fiz um plano de pagamento com a entidade que ficou com a minha divida! Posso fazer novos créditos ou tenhu que liquidar primeiro o acordo que fiz??? Obrigado

    1. Olá, Tiago.

      Se esse empréstimo deixou de aparecer no seu mapa de crédito é possível que outras entidades credoras deixem de apresentar entraves à contratação de um novo empréstimo.

      Em qualquer caso, se a contratação de um empréstimo já é algo que deve ser sempre bem ponderado antes de avançar, mais ainda numa situação em que há outros empréstimos ainda a pagamento… não se esqueça de calcular e analisar bem a sua taxa de esforço antes de ir por essa via…

  2. Olá, tenho uma portagem que foi para as finanças entretanto pelo site do pagamento de portagens ainda está disponível para pagamento e com um valor bem mais baixo. Caso eu efetue esse pagamento estarei em dia com as finanças??? Obrigada

  3. Boa tarde.
    Tive uma dívida ao banco,mas já a paguei e já recebi a nota quitação.
    Será que ainda tenho o nome no bdp.
    Com os melhores cumprimentos José

    1. Olá, José.

      Pode consultar o seu mapa de responsabilidade de crédito para ficar a saber a informação que é do conhecimento do Banco de Portugal. Este mapa é preenchido com base nas informações prestadas pelas entidades de crédito. Se passado um mês da quitação da dívida continuar a constar a dívida como não paga, deve insistir com o banco para atualizar a informação. Caso o não faça, apresente uma reclamação para o Banco de Portugal.