Carreira e Negócios

10 empregos que não existiam no ano 2000

Nos últimos 20 anos o mercado de trabalho em Portugal sofreu muitas alterações. Conheça 10 dos empregos que não existiam no ano 2000.

Patrícia Neves Patrícia Neves , 25 Fevereiro 2020

Corria o ano 2000. A novela "Jardins Proibídos" passava na televisão, o Scary Movie estreava no cinema, António Guterres estava à frente do governo e a moeda portuguesa ainda era o escudo. O que mudou nos últimos 20 anos? Muita coisa, certamente, principalmente no que toca ao mercado de trabalho.

Hoje há diversos empregos que não existiam no ano 2000. Algumas profissões deixaram de existir, outras sofreram alterações e ainda outras surgiram, fruto das novas necessidades do mercado. 

O papel da tecnologia

O avanço da tecnologia revolucionou a sociedade a uma velocidade alucinante, fazendo chegar a inovação a vários sectores, como ciência, indústria, saúde e informática.

Com a entrada num novo ano, faz sentido olhar para trás e perceber quais foram as grandes alterações ao nível do mercado de trabalho. O conceito de “emprego para a vida” já deixou de ser um sonho comum. Por isso, é importante estar constantemente alerta e pronto para mudar e para adquirir novas competências de forma a não ficar para trás. Há muitas profissões que se poderiam nomear, mas para este artigo fizemos uma seleção de 10 empregos que não existiam no ano 2000 e que hoje são uma realidade.

10 empregos que nasceram nos últimos 20 anos

Não há dúvida que a tecnologia transformou todas as áreas. Não só o marketing, ou a saúde e a agricultura. As formas de fazer tarefas também mudaram: temos computadores, internet e, mais recentemente, inteligência artificial.

Programador de aplicações móveis

Desde que há computadores que existem programadores e engenheiros informáticos, e, apesar de a internet já existir no ano 2000, esta era bastante diferente da internet que conhecemos atualmente.

Os smartphones começaram a ganhar terreno e como estes funcionam com aplicações móveis, as chamadas apps, surge aqui a necessidade de haver pessoas especializadas em realizar este trabalho. Portanto, um programador de aplicações cria aplicações para dispositivos móveis, que podem ser smartphones, tablets ou relógios.

Profissional de marketing digital

Dentro dos empregos que não existiam no ano 2000 encontramos toda uma gama de profissionais ligados ao marketing digital. O marketing percebeu que as pessoas passavam cada vez mais tempo a navegar na internet e, por isso, deu o salto para o digital. Este novo mundo é muito vasto mas nesta área existem hoje em dia uma série de novos empregos:

  • Gestor de redes sociais;
  • Copywriter;
  • Gestor de anúncios;
  • Especialista em SEO e SEM;
  • Criador de conteúdo;
  • Gestor de e-commerce.

Todos estes novos empregos trabalham com ferramentas novas, criadas e desenvolvidas nos últimos anos ao nível do marketing. Este é um dos mercados que mais se desenvolveu nos últimos 20 anos e um dos que possui maior tendência de crescimento. 

Blogger / Influenciador digital

Ainda ligado ao digital e ao marketing começam a surgir os bloggers e mais tarde o termo influenciador digital. Em Portugal, a grande pioneira no que toca à monetização dos blogs foi a Ana Garcia Martins, mais conhecida como A Pipoca Mais Doce. Mas depois dela, muitos outros começaram a trabalhar a full-time nos seus blogs sobre todo o tipo de assuntos. 

Na mesma sequência surgem também os youtubers, ou seja, pessoas que criam vídeos para a plataforma Youtuber, tendo uma forte presença nas redes sociais.

Estes profissionais produzem conteúdo específico de determinadas marcas para recomendar aos seus seguidores, partilhando a sua opinião. É mais um canal de publicidade que as empresas encontraram para chegar aos consumidores.

programadores trabalham em ux design com papeis em cima da secretária

Analista de dados

Dados, dados e mais dados. Não podíamos falar de empregos que não existiam em 2000 sem falar em analistas de dados. Os dados estão a ganhar cada vez mais relevo nas empresas e quem souber lê-los e interpretá-los tem lugar no mercado de trabalho.

O analista de dados interpreta os dados que tem ao seu dispor para dar informações e conhecimentos para campanhas de marketing, vendas e comunicação poderem ser mais eficazes. O objetivo é tirar conclusões a partir dos padrões que encontra e das comparações que faz entre os dados recolhidos a fim de criar novas estratégias, avaliar a produtividade, analisar o crescimento ou não, entre outras. 

Especialista em segurança informática

Os dados são tão valiosos que é preciso protegê-los e, por isso, surgem os especialistas em segurança de redes e computadores. Têm como principal função evitar que a sua rede seja invadida por piratas informáticos, protegendo informação sobre a empresa e os seus clientes. Atuam ao nível da manutenção de todo o tipo de software de proteção da empresa e procuram ativamente possíveis falhas nos sistemas que podem permitir a entrada de intrusos.

Motorista de plataformas móveis 

Desde o nascimento da Uber em 2009 que passaram a existir motoristas de automóvel que trabalham a partir de plataformas móveis. A ideia é simples: um utilizador chama um carro através da aplicação do seu telemóvel e o motorista apanha a pessoa no local onde esta se encontra e leva-a onde deseja. Todo o processo é feito através da aplicação, incluindo o pagamento.

A Uber veio revolucionar o setor dos transportes privados, criando novas oportunidades de trabalho para muitas pessoas que estavam desempregadas e para outras que simplesmente precisavam de um dinheiro extra.

Quem diz motoristas diz estafetas de entrega de comida, com serviços de entrega de comida ao domicílio, disponibilizado também pela Uber e outras plataforma.

Engenheiro de veículos autónomos

Ainda no tema dos transportes, outro novo emprego é o de engenheiro, ou técnico ou especialista em veículos autónomos. O fenómeno ainda é recente e é precisamente por isso que esta é uma profissão com muita saída. 

Um veículo autónomo é um veículo que anda sozinho. Nos últimos anos muitas empresas de automóveis começaram a canalizar esforços para desenvolver estes veículos e todas elas querem ser as primeiras a dar este passo. Por isso, surge a necessidade de contratar especialistas, pessoas altamente qualificadas capazes de trabalhar nesta área. 

Técnico de automação e robótica

A tecnologia transformou a indústria e também aqui tudo é cada vez mais automatizado. As fábricas trabalham com robôs que, depois de serem programados, fazem o seu trabalho sem necessidade de mão humana. Mas, para que todos os robôs, linhas de montagem e demais máquinas funcionem em perfeição é necessário haver alguém responsável pela programação e pela manutenção das mesmas. Este técnico garante que todo o equipamento de uma fábrica funciona na perfeição.  

Engenheiro, técnico e comercial de energias renováveis

Quem é que falava em energias renováveis no ano 2000? Muito poucos. A preocupação com o ambiente é recente, mas é um mercado que tem verificado um grande crescimento. Há cada vez mais procura por soluções mais eficientes e por energias mais amigas do ambiente, em detrimento dos combustíveis fósseis. Já existem até cursos que procuram preparar profissionais para este setor. E assim, surgem engenheiros que projetam, técnicos que instalam e comerciais que vendem o equipamento. 

Agricultor biológico

Também na agricultura, existem hoje novos empregos que não existiam no ano 2000. A agricultura biológica é uma forma de produção diferente da tradicional, na medida em que não utiliza pesticidas, adubos químicos ou organismos geneticamente modificados. Além disso, promove práticas mais sustentáveis e de impacto positivo do ecossistema agrícola. É uma tendência atual, já que nos últimos anos, tem vindo a aumentar a procura por alimentos cultivados sem recurso a produtos químicos. 

O agricultor biológico é aquele que desempenha o seu trabalho debaixo destes princípios, produzindo produtos biológicos. 

Novas profissões para o futuro

Estes são apenas alguns dos empregos que não existiam no ano 2000 e que hoje são uma realidade. Para já, o que se sabe e que é possível de verificar através dos sites de emprego em Portugal, é que as profissões ligadas à informática, ao digital e ao desenvolvimento de ferramentas tecnológicas vão continuar a ser das mais procuradas. 

Leia ainda:

Partilhe este artigo

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)