Imagem de um smartphone onde se vê o programa Conversas sem Preço com a entrevista a Luís Martins Simões, CEO da MS Leadership
ícone do formato do post video
Carreira e Negócios

Tratar as pessoas como recursos “é um dos graves erros”

Luís Martins Simões, CEO da MS Leadership, faz a distinção entre motivação e satisfação. O coach defende a importância de manter as pessoas motivadas.

Luís Martins Simões, CEO da Leadership, defende que tratar as pessoas como recursos "é um dos graves erros" da maioria das empresas. Em entrevista com Irene Vieira Rua, diretora de Recursos Humanos do Doutor Finanças, fala sobre alguns dos problemas mais frequentes no que toca à gestão organizacional.

O convidado afirma que muitas chefias optam por satisfazer os seus colaboradores ao invés de os motivar. "Por exemplo, eu tenho uma pessoa desmotivada e vou aumentá-la, mas isso só vai funcionar durante um mês", refere.

Luís Martins Simões faz ainda a distinção entre motivação e satisfação. "O mais importante para as pessoas é estarem motivadas, não é estarem satisfeitas", aponta.

Veja ou reveja o episódio na íntegra: Conversas sem Preço com Luís Martins Simões

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #conversas sem preço,
  • #gestão organizacional,
  • #liderança,
  • #motivação,
  • #satisfação
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.