Crédito Habitação

Avaliação bancária das casas recua pela primeira vez em quatro anos

O valor mediano a que os bancos avaliam as casas para concessão de crédito recuou pela primeira vez em quatro anos. O INE admite reflexo parcial dos efeitos da pandemia.

Sara Fernandes Sara Fernandes , 27 Abril 2020

Os efeitos do Covid-19 parecem ter-se feito sentir na avaliação das casas por parte dos bancos. O valor mediano a que os bancos avaliam os imóveis para efeitos de concessão de crédito habitação recuou, pela primeira vez desde março de 2016.

O valor mediano da avaliação bancária no mês de março foi de 1.110 euros por metro quadrado, menos um euro que no mês anterior, divulgou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Este valor assume um papel determinante para quem está a comprar casa com recurso a crédito, uma vez que é com base neste montante que é calculado o valor do empréstimo (no máximo será 90% do valor da avaliação da casa ou do preço da operação).

No entanto, os dados divulgados pelo gabinete estatístico apresentam algumas alterações. Até então, a avaliação bancária era calculada através do preço médio do metro quadrado. A entidade apresenta agora uma nova série do Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação (IABH), cujas principais alterações são a substituição do valor médio pelo valor mediano e ainda a substituição da área útil pela área bruta para efeitos de cálculo.

De acordo com o INE, estas alterações visam "promover a comparabilidade com outros indicadores sobre o mercado habitacional".

O valor mediano do metro quadrado estava a subir desde março de 2016, sendo esta a primeira vez em quatro anos que se observa um recuo.

Leia ainda: Como é calculada a avaliação de um imóvel?

Preço mediano baixa nas moradias, mas cresce nos apartamentos

A diminuição do preço mediano do metro quadrado, face ao mês anterior, verificou-se apenas nas moradias. O valor mediano da avaliação bancária das moradias foi de 923 euros por metro quadrado em março, menos cinco euros do que em fevereiro.

No caso dos apartamentos, o valor mediano do metro quadrado passou de 1.208 euros em fevereiro para 1.209 euros no mês de março.

O gabinete estatístico ressalva que estes dados já devem refletir "parcialmente efeitos da pandemia COVID-19, quer no comportamento do índice de preços quer na quantidade de informação primária disponível para compilar o índice".

Leia ainda: Qual o impacto que o Coronavírus está a ter no mercado imobiliário?

Lisboa e Algarve com os valores mais elevados

A Área Metropolitana de Lisboa e o Algarve são as regiões onde o valor mediano da avaliação bancária é mais elevado. Ambas apresentam valores 34% acima da mediana (1.110 euros em março).

Nas duas regiões, o valor mediano da avaliação bancária fixou-se nos 1.483 euros por metro quadrado, em março.

A avaliação bancária é um indicador importante para quem pretende recorrer ao crédito habitação. É com base neste valor que é calculado o montante do financiamento. Assim, quanto menor for a avaliação, menor será o valor potencial do empréstimo potencial.

De realçar, que as instituições financeiras só emprestam até 90% do valor da avaliação ou do valor a que é realizada o negócio, pelo que é necessário ter algumas poupanças de parte para dar este passo.

Leia ainda: Imóveis podem ser avaliados através de alternativas tecnológicas

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • ##avaliação bancária,
  • #Crédito habitação,
  • #preço das casas
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

Um comentário em “Avaliação bancária das casas recua pela primeira vez em quatro anos