André Gavino é conhecido por ser uma pessoa determinada, dedicada e sempre pronta a ajudar. É uma pessoa que gosta de desafios e que dá o seu melhor em todos os projectos. Venha conhecer melhor o nosso designer nesta entrevista.

(Gosto de) poder trabalhar com uma equipa que me desafia, me ajuda a atingir objectivos e com quem posso contar para evoluir enquanto pessoa e profissional. Para além disto, ver o trabalho que desenvolvo a dar frutos 🙂 

Introdução e pequena apresentação do colaborador ao estilo de “Como se descreve?” 

Sou determinado, dedicado, trabalhador e sempre pronto a ajudar. Pessoalmente, sou muito motivado pelo desconhecido, ao mesmo tempo que assustado por ele. Procuro sempre o melhor de mim para o poder partilhar com amigos e família. Com um espírito crítico aguçado, gosto de dar o meu melhor desde os projectos mais pequenos aos maiores desafios. 

O que faz ou qual é o seu trabalho na equipa do Doutor Finanças? 

No Doutor Finanças, sou o Designer responsável por “desenhar” toda a comunicação digital da empresa com os nossos clientes. Faço parte de uma equipa no qual desempenho um papel multidisciplinar, desde o Design, Programação, Marketing e Comunicação, etc.. 

Qual é a melhor parte do seu trabalho? 

Poder trabalhar com uma equipa que me desafia, me ajuda a atingir objectivos e com quem posso contar para evoluir enquanto pessoa e profissional. Para além disto, ver o trabalho que desenvolvo a dar frutos 🙂  

Como é trabalhar no Doutor Finanças? 

Tem sido uma experiência fantástica em todos os campos. Profissionalmente sinto que tenho todas as ferramentas (e oportunidades) para evoluir e pessoalmente, sinto que trabalho com amigos com quem posso sempre contar.  

Põe em prática os ensinamentos do Doutor Finanças na sua própria vida financeira? Qual é a dica/prática financeira da qual não abdica na sua vida pessoal? 

Sim, sem dúvida. Leio regularmente sobre finanças e sobre a sua gestão e existem duas coisas que não abdico: Poupar o máximo de dinheiro possível por mês e aplicá-lo (ou investi-lo) com inteligência em algo com retorno.

O objectivo é simples: Não trabalhar por dinheiro e meter o dinheiro a trabalhar por mim, como explica Robert Kiyosaki num dos seus livros “Pai rico, Pai pobre”.  

Qual é o seu pior defeito a gerir dinheiro e que gostaria de melhorar? 

Equilibrar melhor poupança vs qualidade de vida. Em certas alturas, deixar de ser tão exigente com a poupança e perceber que a qualidade de vida e as experiências da vida têm de ser valorizadas de vez em quando 🙂 

Partilhe a sua melhor dica de poupança com os leitores do Doutor Finanças. 

Poupar o máximo que podem, independentemente da vossa situação e na altura de “gastar” 1, 10 ou 1000€, aplicá-los sempre em algo que traga retorno (activos) e não em passivos, que nos consomem dinheiro e nos obrigam a trabalhar para os pagar todos os meses. Usar o dinheiro com inteligência no presente para poder desfrutar no futuro. 

Se gostou desta entrevista, poderá ver a entrevista anterior sobre a Directora de Recursos Humanos do Doutor Finanças