Finanças pessoais

Destralha: Como ganhar dinheiro com o que já não usa

Já imaginou quanto poderia ganhar se vendesse tudo o que já não usa? Saiba como vender a sua destralha e que cuidados deve ter, neste artigo.

Finanças pessoais

Destralha: Como ganhar dinheiro com o que já não usa

Já imaginou quanto poderia ganhar se vendesse tudo o que já não usa? Saiba como vender a sua destralha e que cuidados deve ter, neste artigo.

Tem um móvel em sua casa que está só a ganhar pó? O seu armário está cheio de roupa, malas e sapatos que já não usa? Comprou um computador novo e não sabe o que fazer ao antigo? Saiba que existem várias formas de ganhar dinheiro com a destralha destes objetos.  

O mercado em segunda mão é, hoje em dia com a era digital, um vasto mundo onde se pode encontrar e vender tudo. Tão fácil e vantajoso é agora comprar online, como vender.  

Se fez uma destralha por sua casa e se deparou com inúmeras coisas às quais já não dá uso, ou se simplesmente está a precisar de ganhar dinheiro por alguma necessidade e tem coisas que pode vender, leia neste artigo como o pode fazer e que cuidados deve ter

Pondere o que pode destralhar 

Em primeiro lugar, deve ponderar tudo o que pode destralhar. Existem várias secções a que pode ir: armário, mobília, decoração, brinquedos, bens do seu animal de estimação, aparelhos eletrónicos ou equipamentos de desporto. 

No seu armário, pode rever a sua roupa, sapatos, malas, chapéus, cachecóis e lenços, acessórios de bijuteria.  

Relativamente à mobília e acessórios úteis de casa, para que perceba o que já não utiliza, faça uma visita a cada divisão e abra tudo o que são armários e gavetas. 

Ainda dentro da mobília, pode pensar sobre os acessórios decorativos que tem em casa. Será que ainda faz sentido ter aquela planta artificial? Aquela moldura? 

De seguida, se tiver filhos, pode fazer uma revisão a todos os brinquedos que têm. Muitas vezes, à medida que os filhos vão crescendo e deixam de utilizar brinquedos, esses ficam arrumados e esquecidos. Pois saiba que pode ser uma boa fonte lucrativa, visto que alguns brinquedos são caros, e existem pessoas que fazem coleções e podem ter interesse por eles. 

Por sua vez, se tiver animais de estimação, pode também tentar vender, por exemplo, bens como aquela cama que o seu animal utilizou quando era bebé e agora já não cabe nela. Bens do seu animal que já não são utilizados, mas que podem estar em bom estado para serem reutilizados por outro. 

Reveja também todos os aparelhos eletrónicos que tem em casa. Se tem uma televisão, um computador, um teclado, uma playstation, algum tipo de aparelho que já não utilize, coloque-o à venda. Muitas pessoas optam por comprar este tipo de aparelhos em segunda mão, pois podem estar em bom estado e é uma opção relativamente mais barata. 

Por fim, lembre-se se tem equipamentos de desporto como uns patins, uma bicicleta, uma trotineta, que já não utiliza faz tempo, e se realmente vale a pena manter. Não só isso, bem como aparelhos ou equipamentos de ginásio, como uma bicicleta estática, pesos, entre outros. Podem estar só a ocupar espaço, quando podia ganhar dinheiro com eles. 

Onde posso vender a minha destralha? 

Vendas online 

Existem grupos onde se pode vender todos os tipos de objetos mencionados acima, sendo o caso de aplicações e sites online como o OLX, Ebay, Custo Justo e o Marketplace. 

Porém, existem aplicações, ou mais comummente grupos no Facebook, onde existem vendas para cada tipo individualmente. Por exemplo, grupos só de vendas de mobílias, grupos de roupa em segunda mão, grupos de revenda de aparelhos eletrónicos, entre outros. Basta pesquisar pelo que procura, e existe quase sempre um grupo correspondente. Mas, se não existir, sempre pode criar um do zero. 

Relativamente a roupa, existem outras opções também utilizadas com frequência. Há algumas aplicações direcionadas à venda de roupa em segunda mão, como é o caso da Vinted, que facilita o processo. Os portes são pagos pelo comprador na hora do pagamento, juntamente ao preço colocado pelo vendedor. É apenas necessário que o comprador imprima uma etiqueta enviada pela aplicação, coloque na embalagem da roupa que irá enviar, e deixe a embalagem num dos pontos de venda específico (existe até mais do que um em cada cidade). Este é um exemplo de muitos. Também existem outras aplicações de revenda de roupa como a Micolet, que tem a particularidade de ser a própria aplicação, através de um algoritmo, que atribui o preço às peças que coloca à venda.

Nesta secção, outra opção que pode escolher é criar a sua própria página de roupa em segunda mão, quer no Facebook, quer no Instagram (a mais frequente). No Instagram, é comum criar-se estas páginas, uma vez que a procura de roupa em segunda mão nesta rede social é elevada, cada vez mais entre os jovens. 

Leia ainda: Se tem roupa que já não usa, saiba onde e como pode vendê-la.

Cuidados a ter com as vendas online 

Ao vender a sua destralha online, existem alguns cuidados que deve ter e pontos de que deve estar informado.  

Comunicar explicitamente  

O primeiro cuidado que deve ter ao vender algo online é ter uma comunicação explícita, simples e clara. Isto para que não haja mal-entendidos entre vendedor e comprador.  

Se explicar todos os pontos da sua venda de forma clarificada, evita problemas, questões e hesitações por parte do comprador, acelerando assim o processo. 

Portes de envio 

De seguida, deve decidir se quer pagar os portes de envio ou juntar o preço dos portes ao preço final daquilo que está a vender. Isso também deve estar explícito na comunicação inicial que faz ao vender a peça. 

Informe-se sobre o preço dos portes para ter noção de quanto irá custar cada peça que tem para vender e enviar, uma vez que dependerá do tamanho, formato e peso.  

Utilize uma forma fácil de pagamento 

Se puder dar a opção de formas fáceis de pagamento a quem compra para evitar burlas, seria o ideal. O pagamento com cartão de crédito é dos menos seguros na internet. Com as novas formas de pagamento como o Mbway e os cartões virtuais do Mbnet, não existe necessidade de correr riscos. Pode ainda dar a opção da referência multibanco. 

Porém, é importante também estar atento a possíveis fraudes com o Mbway e saber bem como utilizar a aplicação.

Envie o produto depois de estar pago 

Para se precaver, o melhor é sempre enviar o produto depois de saber que já foi pago. É um exercício de confiança de ambas as partes, mas não conhecendo quem está do outro lado torna-se num exercício difícil. Por isso, se enviar o produto antes de ser pago, corre o risco de nunca ver o dinheiro daquilo que enviou. 

Informe sobre trocas, devoluções e prazo de entrega 

Por fim, decida se o comprador pode trocar ou devolver o produto que lhe adquiriu. Se optar por deixar o comprador trocar ou devolver, deve deixar isso, novamente, claro na comunicação inicial que faz no anúncio, bem como o processo para o fazer. 

Indique igualmente o prazo de entrega: quando vai enviar o produto e quantos dias, mesmo que seja um intervalo de tempo, demorará a chegar ao comprador. 

Se fizer a entrega pessoalmente, vá acompanhado 

Pode também optar por dar a possibilidade de entregar o produto pessoalmente. Neste caso, é importante ter cuidado com o sítio da entrega, pois deve ser um espaço público e frequentado, e deve ter o cuidado de ir acompanhado. Mais uma vez, nunca sabemos quem está do outro lado e se, realmente, as intenções são a compra do produto ou algo diferente e perigoso. 

Vender a sua destralha numa feira  

Tem ainda a opção de vender os seus artigos fisicamente. As feiras continuam a estar vivas, mesmo após a pandemia, pelo que continuam a ser uma hipótese. A vantagem de vender numa feira é não precisar de pagar impostos; a desvantagem é ter de pagar para montar uma banca. 

Estas são algumas das regras que deve seguir se quiser vender numa feira

⦁ Em primeiro lugar, deve inscrever-se no Portal das Finanças com o título “Feirante”; 

⦁ Depois, deve registar-se como feirante, com um custo de 15 euros, na Direção Geral das Atividades Económicas (DGAE) ou na Câmara Municipal correspondente (há alguns casos, como na Feira da Ladra, em que é ainda necessário pagar uma licença de venda na via pública, que deve ser pedida na Divisão de Gestão de Feiras, Venda Ambulante e Comércio Não Sedentário); 

⦁ De seguida, faça um pedido à Câmara Municipal de ocupação de espaço através de um requerimento em que necessita do cartão de cidadão, do cartão de feirante e declaração de IRS; 

⦁ Por fim, saiba que ao fazer as suas vendas, é obrigatório passar fatura, que pode ser simplificada caso a transmissão de bens não ultrapasse os 1.000 euros. 

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #destralha,
  • #ganhar dinheiro extra online,
  • #poupança,
  • #poupar dinheiro,
  • #segunda mão
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.