Finanças pessoais

O seu filho vai sair de casa? Como gerir emoções e o orçamento familiar

Se o seu filho vai sair de casa, deve preparar-se não só para o impacto emocional, mas também para as alterações económicas.

Finanças pessoais

O seu filho vai sair de casa? Como gerir emoções e o orçamento familiar

Se o seu filho vai sair de casa, deve preparar-se não só para o impacto emocional, mas também para as alterações económicas.

Certamente já pensou no momento em que o seu filho vai sair de casa, seja para ir para a universidade ou em definitivo, para ser independente e fazer o seu caminho. No entanto, nem sempre é fácil lidar com esta situação.

São muitos anos com os filhos debaixo das “asas” e quando chega o momento de eles partirem, psicologicamente não é fácil para muitos pais lidarem com a ausência e com a alteração de muitas das suas rotinas diárias. Afinal de contas, os pais acabam por nunca estar preparados para esta situação. É a chamada “Síndrome do Ninho Vazio”.

Além disso, as consequências não são apenas emocionais e sociais. Também economicamente existem alterações. Com a saída dos filhos de casa dos pais, alteram-se as finanças pessoais, quer dos pais quer dos filhos.

Assim sendo, os especialistas sugerem que os pais devem mentalizar-se logo desde o nascimento dos seus filhos que um dia este momento vai chegar. Até lá, os pais devem concentrar-se em guiar os seus filhos e, antes desta saída acontecer, prepará-los para serem autónomos e enfrentarem as dificuldades da vida, quer a nível financeiro quer social.

O que é a "Síndrome do Ninho Vazio"?

A chamada “Síndrome do Ninho Vazio” não é nada mais, nada menos, do que a dificuldade que alguns pais sentem quando os filhos decidem sair de casa e passam a ter de lidar com a sua ausência. Muitos pais têm dificuldade em adaptar-se a essa mudança e perceber que sua missão como pais está cumprida.

A saída dos filhos de casa é a sequência lógica da vida, ou seja, algum dia teria de acontecer. É algo natural, a questão é como os pais lidam com essa situação? Todavia, este problema varia de pessoa para pessoa, depende da personalidade de cada um e da relação que cada pai ou mãe tem com os seus filhos. 

Leia ainda: Comprar a primeira casa com crédito habitação: o que deve saber

Como lidar com a ausência dos filhos: o que fazer?

Se a sua vida e a educação dos seus filhos for planeada, a saída destes de casa será mais fácil de aceitar. Além disso, a saída dos filhos de casa pode ser uma clara oportunidade de desenvolvimento para o casal.  A partir deste momento, é altura de alterar a rotina diária, aceitar esta realidade e aproveitar o momento para redefinir prioridades, estabelecer novas metas e objetivos, fazer coisas que antes eram difíceis ou impossíveis de fazer. No fundo, viver uma nova vida. Contudo, sem deixar de acompanhar a vida dos seus filhos.

A saída dos filhos de casa dos pais, não implica apenas questões a nível social e comportamental. Da mesma forma, a nível financeiro surgem alterações que importa salientar. As finanças pessoais sofrem igualmente claras mudanças, às quais se deve adaptar e aprender a viver esta nova fase da sua vida.

Finanças pessoais: O que muda quando o seu filho sair de casa?

Com a saída dos filhos de casa, as suas finanças ficam mais aliviadas e é altura de fazer contas à vida.

Ou seja, os filhos passam a ter responsabilidades e contas a pagar que antes não tinham. Pelo contrário, os pais libertam-se de “n” despesas que tinham com os filhos. Esta é a regra geral. Claro que cada caso é um caso, e nada impede os pais de poderem continuar a ajudar os filhos, mesmo vivendo em casas separadas. Como é costume dizer-se: "pais e filhos são para toda a vida".

Deve, assim, redefinir o orçamento familiar e adaptar a sua vida à nova estrutura de custos que passa a ter.

Resumidamente, nesta situação, o que se altera são as despesas que deixa de ter com os seus filhos. Claro que, pode e deve continuar a ajudar os seus filhos, caso assim entenda, e mediante as suas possibilidades. Ainda assim, cada caso é um caso.

Leia ainda: Entrada no mercado de trabalho: Guia de preparação

Quais as despesas que deixa de ter?

  • Alimentação;
  • Vestuário;
  • Estudos;
  • Transportes;
  • Atividades de lazer;
  • Despesas da casa (água, luz, gás, etc.);
  • Entre outras.
Uma caneta na mão, a fazer contas na máquina calculadora

Refaça o orçamento familiar quando o seu filho sair de casa

Como já abordado, saem os filhos de casa e as despesas diminuem. Assim, é essencial rever as suas contas e redefinir o seu orçamento familiar.

Por conseguinte, verifique quais das despesas que deixa de ter e quais as rubricas em que os custos diminuem. Afinal de contas, são menos pessoas a comer, a gastar água, a consumir eletricidade e gás, entre outras despesas.

Dê novo rumo ao dinheiro que direcionava ao seu filho

De facto, no meio da tristeza de ver os seus filhos partir, a boa noticia é que as suas finanças pessoais agradecem. Existem diversas despesas das quais se liberta quando os filhos saem de casa. A questão que se levanta é: o que fazer a esse dinheiro? Pondere as seguintes opções:

  • Continue a dar esse dinheiro aos seus filhos;
  • Guarde-o no banco para a sua reforma mais tarde;
  • Faça um PPR, por exemplo;
  • Faça um investimento que possa gerar retorno futuramente para si ou para os seus filhos;
  • Cuide de si. Aumente a sua qualidade de vida e aproveite para fazer coisas que provavelmente dantes não podia fazer, pelo menos com tanta frequência. Por exemplo, aproveite para viajar, passear, conhecer novos sítios. Ou então, compre algo para si que gostava de ter e ainda não teve oportunidade para tal.

Leia ainda: Comprar casa aos 30: Será que tem as condições para dar este passo?

Implicações sociais e comportamentais

Aceite esta fase da vida

Encare esta mudança com naturalidade, e pense que faz parte do processo natural da vida. Acima de tudo, o que interessa é a felicidade do seu filho. Assim, ajude-o neste processo de mudança. Mostre que apesar de estar triste, por outro lado, quer apoiar e está disponível.

Quando o seu filho sair de casa mantenha o contacto

A saída de casa não significa que vá deixar de estar e contar com o seu filho. Logo, pode e deve continuar a contactar. Por exemplo, façam programas ao fim de semana juntos ou umas férias quando possível. Faça pequenas visitas, ou vice-versa, ou um simples telefonema para saber como está.

Procure apoio se necessário

Os pais devem procurar ajuda, se necessário. Ter o apoio de familiares ou amigos, pode ajudá-los nesta fase. Se necessário, procure um terapeuta, pois assim é possível falar sobre  o que está a sentir, inclusive junto de outros pais que se encontram na mesma situação. Dessa forma, ao compartilhar a experiência com outras pessoas, pode ser mais fácil lidar e encarar esta nova etapa da sua vida.

Faça atividades

Aproveite para fazer atividades para as quais não tinha tempo. Ou seja, além de cuidar da sua saúde física e mental, vai ajudá-lo a manter a cabeça ocupada e a não sentir tanto a ausência do seu filho. Disfrute de mais tempo em casal. Vá ao ginásio, aprenda a tocar um instrumento, faça uma aula de dança, aprenda a pintar, ou simplesmente combine uma caminhada ou passeio.

Procure realizar sonhos adiados

Faça aquele curso que nunca teve oportunidade de fazer ou aquela viagem que sempre adiou por falta de oportunidade ou para não deixar os filhos sozinhos em casa. Sim, esta é a hora.

Leia ainda: Poupança para jovens: quais as soluções disponíveis?

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe uma resposta

Insira o seu nome

Insira um email válido