Literacia financeira

Revolut – o que é e como funciona?

Saiba o que é, como obter e quais as vantagens e desvantagens.

Luisa Barreira Luisa Barreira , 7 Novembro 2019 | 5 Comentários

Se é um viajante assíduo, especialmente para países fora da zona euro, sabe que, sempre que usa o seu cartão de débito numa ATM para levantamento de dinheiro, é-lhe cobrada uma taxa nunca inferior a 5% por cada levantamento mais as habituais taxas de câmbio e impostos de selo. Para solucionar esta situação e poupar vários euros nas suas viagens fora da União Europeia, existe um cartão (e uma app) que serve este propósito dos viajantes – o cartão Revolut

O que é “Revolut”?

A Revolut é uma empresa britânica, criada em 2015 por dois ex-banqueiros de investimento do Credit Suisse e do Deutsche Bank, que surgiu como uma alternativa digital à banca tradicional, criando um conjunto de soluções de baixo custo que permitem ter uma conta exclusivamente online e um cartão de débito associado – o Revolut da rede Mastercard, que pode ser utilizado gratuitamente, ou com valores reduzidos, em mais de 130 países, tornando o sistema bancário mais transparente.

A Revolut está presente em países como Estados Unidos, Canadá, Singapura, Japão, Austrália e Nova Zelândia e também em Portugal.

O serviço permite a criação e carregamento de uma conta online, a partir da qual pode fazer pagamentos e compras online no estrangeiro. Tem acesso à sua conta digital através da aplicação nos seus dispositivos móveis e é com essa app e através da criação de um cartão virtual, que realiza todas as operações, desde transferências a pagamentos. Caso queira realizar pagamentos da forma tradicional pode, através da app, requerer sem custos um cartão físico.

Como posso criar uma conta e obter este cartão?

Site Revolut

Para criar uma conta Revolut siga estes passos:

  1. O passo é ir ao site da Revolut – www.revolut.com – e indicar o seu número de telemóvel;
  2. De seguida ser-lhe-á enviada uma mensagem com o link para descarregar a aplicação para o seu smartphone;
  3. Após instalação, preencha os dados que lhe são pedidos: nome, data de nascimento, morada e e-mail;
  4. Após o registo pode optar por um dos três planos de serviço: Standard (gratuito), Premium (custo mensal de 7,99 euros) ou o Metal (custo mensal de 13,99 euros);
  5. De seguida pode efetuar a ativação da conta bancária online, que terá um IBAN europeu e para a qual pode fazer transferências a partir da sua conta habitual;
  6. Neste momento ser-lhe-á pedido um top up (depósito de dez euros), para ativação da conta. Este valor pode ser transferido da sua conta à ordem habitual, através de um cartão da rede Visa, Mastercard ou Maestro, ou mesmo através do Google Pay, ficando disponíveis para utilização imediata,
  7. A aplicação solicita o envio de uma cópia do cartão do cidadão e de uma foto do utilizador.

Quais as principais características dos principais planos disponibilizados pelo serviço?

Revolut Standard: Nesta conta o cliente tem direito a uma conta bancária corrente grátis no Reino Unido; a um IBAN europeu gratuito; a fazer compras em mais de 150 moedas à taxa de câmbio real; não cobra taxas em câmbio envolvendo as 29 divisas, até 6.000 euros por mês de gastos, nem comissões por levantamentos em caixas automáticas (até 200 euros por mês).

Revolut Premium: Para além das vantagens de uma conta Standard, permite também o câmbio entre as 29 divisas sem limite de gastos mensais; não cobra taxas nem comissões em levantamentos em ATM's até um máximo de 400 euros por mês; oferece seguro médico no estrangeiro; seguro contra voos e bagagem atrasados; acesso instantâneo a cinco criptomoedas, entre outras…

Revolut Metal: Para além de englobar todas as vantagens da Premium, oferece um cartão contactless em metal, bem como cashback de 0,1% em compras feitas com cartão Revolut Metal na Europa e de 1% nas compras feitas fora da União Europeia.

cartão Revolut na mão

Quais as vantagens associadas a esta conta / cartão Revolut?

  • -A transparência nos câmbios. É possível converter automaticamente o saldo de uma moeda para outra, entre as 29 divisas mundiais suportadas pela aplicação, sem comissões de câmbio (à taxa de câmbio real);
  • A poupança maior nos câmbios está, se a conversão se fizer dentro da própria app, isto é, imagine que viaja para os Estados Unidos da América, antes de levantar dinheiro deverá converter a quantia que pretende levantar, de euros para dólares, e só então fazer o levantamento numa caixa ATM norte-americana. Neste caso poupará muito dinheiro só pela taxa de câmbio utilizada;
  • Pode levantar dinheiro sem fazer previamente o câmbio na app, dado que este é feito automaticamente no momento em que é preciso, e caso seja preciso. Naturalmente, se a taxa de câmbio tiver piorado entretanto, teria rendido mais fazer o câmbio mais cedo, na app. Mas, pelo contrário, se a taxa de câmbio estiver a evoluir de forma favorável, quanto mais tarde for feito, menos se gasta (e o mais tarde possível é no momento em que se passa o cartão) .Para além disso, o processo de converter primeiro o dinheiro na app é mais moroso que de deixar aguardar pela conversão automática.
  • Não cobrança de taxas e comissões em operações de pagamento de compras, transferências nacionais e internacionais, entre diferentes divisas. Sendo possível transferir dinheiro de forma gratuita para cerca de 130 nações;
  • Efetuar levantamentos nas caixas automáticas do estrangeiro, sem custos, ainda que com limites mensais;
  • Carregamento da conta gratuito, se feito a partir da associação de um cartão de débito;
  • Através da aplicação pode bloquear e voltar a desbloquear o cartão de imediato, em caso de perda ou roubo por exemplo, bem como escolher ou alterar o código PIN do cartão;
  • Pode ativar na aplicação uma funcionalidade que impeça a utilização do cartão se ele estiver afastado do seu telemóvel (por exemplo, se for roubado sem se dar conta disso);
  • Em caso de perda ou roubo do cartão durante a viagem, pode pedir uma segunda via para a morada onde se encontra no momento;
  • As transferências entre contas Revolut são imediatas;
  • Pode adicionar o cartão Revolut à sua app da Uber ou Cabify, por exemplo, e dessa forma, poupar dinheiro nas viagens

Recentemente esta aplicação obteve uma Licença Bancária Europeia e está a anunciar novas funcionalidades para breve, incluindo em Portugal, tais como: implementar até ao final do ano, a domiciliação de vencimentos e a concessão de crédito com taxas de juro, que promete, serem atrativas.

Quais as principais desvantagens?

  • O carregamento da conta Revolut através de transferência bancária pode demorar até 3 dias e dependendo do seu banco, pode ter custos associados; 
  • O carregamento da conta Revolut através de cartão de crédito tem um custo associados de 1% do valor transferido;
  • Nas transferências bancárias internacionais, o dinheiro pode demorar entre dois ou três dias úteis a ficar disponível; 
  • Existem limites nos valores de levantamentos, para não pagamento de taxas, de 200 euros na conta gratuita (Standard), de 400 euros na conta Premium e de 600 euros na conta Metal. A partir destes valores é cobrada uma taxa de 2% (mesmo assim, inferior à taxa cobrada por outros bancos);
  • Apesar de não ser necessário dominar o inglês (pois a empresa já disponibiliza uma versão portuguesa da aplicação), caso algo corra mal, continua a ter de estar preparado para contactar uma linha de apoio ao cliente, em Inglês;

Contas Revolut e Autoridade Tributária: 

Pode dizer-se que, o que começou por ser uma startup se está a tornar num banco digital, no entanto, as respetivas contas são contas de pagamento e, como tal, os contribuintes detentores das mesmas não estarão obrigados a declará-las no Anexo J da Declaração Modelo 3 do IRS.

Em Portugal, a Revolut tem vez mais utilizadores, principalmente na comunidade viajante, sendo por isso o país que é o seu sétimo maior mercado. 

Na Europa, conta já com mais de 4 milhões de clientes, o que faz com que o volume mensal de transações tenha duplicado desde Julho de 2018 até Janeiro deste ano. 

Partilhe este artigo

Deixar uma resposta

5 comentários em “Revolut – o que é e como funciona?

  1. “não estarão obrigados a declará-las no Anexo J da Declaração Modelo 3 do IRS.” – Esta frase não terá um “não” a mais no início? Obrigada

    1. Olá, Anabela.
      Não, a frase está correta. Aliás, pode encontrar esse mesmo entendimento neste Ofício Circulado das Finanças.

      Mas mesmo que declare a conta no anexo J não terá qualquer influência no cálculo do IRS. É apenas uma informação prestada às Finanças (que, neste caso concreto do Revolut, não é obrigatório prestar), o saldo da conta não entra nas contas do imposto.

  2. Outro problema associado, é não se conseguir ter uma conta Revolut, por motivo de falta de acordo nos bancos portugueses, se por exemplo uma pessoa que tem uma conta na caixa geral de depósitos, não consegue fazer o registo e por conseguinte criar a conta!!! Ao que parece os bancos estão a ficar receosos com estás novas alternativas!

    1. Olá, José.
      Pode detalhar um pouco mais? Já fiz o meu registo na Revolut há muito tempo mas, que me lembre, não tive de dar qualquer indicação sobre se tinha conta noutros bancos e muito menos em quais.