Esteja atento aos 8 tópicos sobre seguros de vida que lhe apresentamos e escolha o ideal para si.

Por vezes, falar de seguros de vida é um assunto que deixamos para depois e sobre o qual evitamos falar, pois este é um tema que nos deixa desconfortáveis.

Na sua essência, o seguro de vida é uma garantia de subsistência para dependentes do segurado (filhos, pais, irmãos, por exemplo) em caso de morte, doença terminal ou invalidez.

Assim, o seguro de vida constitui-se como um tópico fundamental no planeamento financeiro de qualquer pessoa ou família.

Conheça 8 questões essenciais sobre o seguro de vida.

 

1. Se tem alguém dependente de si financeiramente, você precisa de um seguro de vida.

Este visa garantir que, perante um imprevisto de falecimento ou invalidez, os seus dependentes estão protegidos financeiramente. Ideia especialmente válida para quem tem filhos, irmãos, pais que são dependentes de si e que ficariam em dificuldades no caso de uma das situações acima acontecer.

2. Seguro de vida não atribui apenas um valor monetário à sua vida.

Para além de ajudar a “compensar” as inevitáveis consequências financeiras da perda de alguém, estrategicamente esta representa a forma de ajudar a compensar os custos finais, como por exemplo o funeral. Em última instância, trata-se de uma forma de garantir descanso mental a quem subscreve o seguro.

3. Seguro de vida é um contrato.

Não se esqueça deste ponto. Um seguro de vida é um contrato através do qual o segurador assume o risco de morte ou de sobrevivência (ou ambos) de um ou vários segurados.

4. Existem quatro intervenientes no contrato de seguro de vida.

Trata-se da instituição seguradora, o segurado, quem faz o seguro ( e que pode ser também segurado) e, por último, o beneficiário

5. Tipos de seguros de vida.

O de risco de morte, em que a seguradora entrega um capital pré-contratado em caso da pessoa segura morrer durante o contrato de seguro. O de risco de vida trata-se de uma seguro que paga o capital mas apenas quando a pessoa segura está viva no final do contrato.Os seguros de vida Mistos, que combinam as duas possibilidades do seguro em caso de vida e em caso de morte.

6. Seguro de vida não tem de ser extremamente caro.  

Negoceie com a instituição todos os aspectos que conseguir. Manter um estilo de vida saudável, em que evite o consumo de álcool ou tabaco, por exemplo, é um dos argumentos que poderá usar para o ajudar a reduzir o preço do seu seguro de vida. Se for o caso comece já a treinar para o exames médicos que terá de realizar. Quanto melhores forem os resultados, melhor será o preço do seu seguro.

7. Determinar qual o melhor seguro de vida para si não tem de ser complicado.

Como qualquer investimento deverá ser refletido. Antes de contratar um seguro de vida existem três questões fundamentais às quais deve responder e que vão facilitar a sua escolha: qual o capital que quer contratar, quais as coberturas e qual o espaço no orçamento para pagar o prémio. O artigo “Seguro de vida- Como escolher o melhor?” vai ajudá-lo a fazer uma melhor escolha.

8. Considere recorrer a um especialista para o ajudar a planear o seu seguro de vida.

O conhecimento e dedicação de um profissional especialista na área dos seguros pode ajudá-lo a poupar dinheiro e a fazer a melhor escolha do seu seguro de vida.

O Doutor Finanças constituiu uma equipa de seguros, preparada e especializada para o ajudar  e esclarecer as suas dúvidas e a fazer as melhores escolhas.