Carreira e Negócios

Como renovar o património para arrendar

Saiba como pode valorizar o seu imóvel e aumentar o rendimento ao renovar o seu património para arrendamento.

Enquanto senhorio, deve promover a manutenção da sua propriedade. Muitas vezes as obras são essenciais para o bem estar de quem habita o imóvel. No entanto, fazer obras para renovar o património pode não ser apenas uma necessidade mas também uma oportunidade de investimento.

As remodelações podem ir desde mudanças estruturais e modernização de instalações, a elementos estéticos. Contudo, seja qual for o tipo de obra, acrescenta sempre valor ao imóvel. Estas melhorias traduzem-se em melhores condições de arrendamento que podem trazer benefícios monetários. Se é proprietário de um imóvel arrendado ou pretende investir para este fim, mostramos neste artigo como pode planear a renovação e aumentar o seu rendimento.

Leia também: Arrendar um imóvel: prós e contras para senhorios e inquilinos

Definir a renda esperada

Antes de iniciar o plano de renovação, deve considerar alguns elementos para definir o valor da renda que espera obter. Por exemplo, considere caraterísticas que adicionam valor ao imóvel ou que condicionam a sua utilização:

  • Área útil: Quantos quartos disponíveis? Tem varanda? Tem sótão ou cave?
  • Localização: O imóvel é perto ou longe de escolas, supermercados, serviços ou transportes públicos?
  • Público-alvo: As condições do imóvel são ideais para um casal sem filhos, estudantes universitários, apto a pessoa com dificuldades de locomoção?

Depois deve listar todas as caraterísticas relevantes e calcular a renda que pretende obter. Posteriormente, deve também comparar a sua expetativa com o valor praticado no mercado. Assim, pode verificar qual o custo-benefício da renovação e quanto dinheiro está disposto a investir para atingir o retorno que espera.

Criar uma lista de prioridades

Visite a casa ou apartamento que vai renovar para analisar o espaço e poder definir quais as prioridades. Deste modo, pode verificar quais são as obras que considera essenciais e quais as que são acessórias, considerando o valor que tem disponível para investir.

Pode começar por avaliar as zonas de maior desgaste, como a cozinha ou a casa de banho, e verificar se os móveis ou as loiças precisam de ser substituídas. Esteja também especialmente atento às condições das instalações de eletricidade, canalização da água e fornecimento de gás. Principalmente se o imóvel for antigo, procure saber se é necessário modernizar as instalações para cumprir as normas de segurança em vigor.

Outras questões que podem chamar a atenção são as infiltrações, manchas de bolor ou fissuras nas paredes. Pode ser necessário chamar um técnico para averiguar a causa destes problemas e indicar a melhor solução para resolvê-los. Caso exista condomínio, pode ser necessário comunicar situações cuja origem venha de outras frações.

Leia também: Vou fazer obras de melhoramento, preciso da autorização do condomínio?

Deve ter em conta que, apesar de poderem ser dispendiosas, as obras são muitas vezes necessárias para manter a integridade da sua propriedade. Ao renovar o património, também deve considerar melhorias que previnam futuras intervenções. Depois de satisfeitas todas as condições essenciais pode dar asas à imaginação e planear mudanças estéticas.

Veja um resumo dos aspetos a ter em conta:

  • Instalações de eletricidade, água e gás: atenção ao cumprimento das normas de segurança;
  • Zonas de maior desgaste: cozinha, casa de banho, pavimento, revestimento, porta de entrada;
  • Identificar situações problemáticas: manchas de bolor, infiltrações, rachas nas paredes, azulejos soltos;
  • Outras renovações: mudanças estéticas, remoção de papel de parede, alteração na cor da pintura, instalação de novos eletrodomésticos, remodelação de espaços exteriores, entre outros.

Renovar o património além da manutenção

Fazer obras de modernização não só facilita o aluguer como valoriza o imóvel. É muito mais apelativo para o inquilino arrendar um espaço recentemente renovado, estando certamente disposto a pagar mais por isso. Para um arrendamento de longo prazo, um imóvel renovado dá uma sensação de segurança pois, em princípio, as condições de habitabilidade foram melhoradas e é menos provável haver necessidade de obras brevemente.

Enquanto senhorio, adapte as obras ao inquilino que espera ter. Se está a considerar arrendar um apartamento a estudantes e transformar a sala em mais um quarto, certifique-se, por exemplo, de que o número de casas de banho é compatível com a quantidade de pessoas que lá irão morar.

Se por outro lado pretende arrendar uma moradia, por exemplo, mas os acabamentos são antiquados, considere obras de modernização para corresponder às expetativas do público que quer atrair. Para o efeito, pode contratar um profissional de design de interior para executar um plano ou pesquisar on-line outras propriedades semelhantes.

Orçamentar despesas

Depois de definir quais as obras essenciais e as melhorias que vai implementar, deve orçamentar as despesas com diferentes profissionais. Relativamente à mão de obra, pode optar por procurar empresas de trabalho por empreitada ou contactar técnicos especializados para cada serviço necessário. Se estiver na dúvida, a Habitissimo é uma plataforma on-line onde pode pesquisar profissionais do ramo e pedir orçamentos.

No que diz respeito aos materiais, pode também orçamentar em diversas lojas, desde grandes cadeias a armazéns locais. Não se esqueça de considerar a despesa de transporte e entrega ao domicílio.

Também pode adquirir os materiais e serviço de montagem/instalação na mesma loja. Lojas como Leroy Merlin oferecem descontos em compras de elevado volume nos packs de projeto para remodelação de áreas como a cozinha, casa-de-banho, mas também pavimentos, janelas, portas, jardim e até decoração.

Leia também: 11 aspetos a ter em conta antes de fazer obras em casa

Fazer melhorias e renegociar a renda

Não deixe de executar obras por ter inquilinos a morar no local. Verifique, claro, quais as condições previstas no contrato de arrendamento e comunique antecipadamente aos moradores as alterações que pretende fazer. Naturalmente, quando o imóvel está habitado o processo de renovação tem de ser faseado. No entanto, este fator até pode ser positivo em termos de gestão de orçamento.

Ao renovar o património com pequenas obras, vai melhorando aos poucos e valorizando a sua propriedade. Deste modo, sem levar um grande rombo nas suas finanças pessoais, pode melhorar as condições em que vivem os seus inquilinos e manter a casa, ou apartamento, em bom estado.

Também pode renegociar o valor da renda apresentando como justificação as melhorias que as obras trouxeram. O aumento mensal pode não ser muito elevado mas, a médio e longo prazo, acaba por pagar o investimento ou até compensar para além desse valor. Lembre-se que um imóvel bem cuidado tem sempre maior probabilidade de lucro seja através do arrendamento, seja futuramente na sua venda.

Leia também: O senhorio pode alterar as condições do contrato de arrendamento?

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)