Coronavírus

Como cancelar as viagens de avião e reservas de hotéis?

Devido ao surto do Coronavírus há centenas de pessoas a cancelar viagens e reservas. Caso esteja nesta situação, veja aqui como o pode fazer.

Patrícia Neves Patrícia Neves , 19 Março 2020

Tendo em conta o panorama atual com o Coronavírus a chegar a cada vez mais países e com alguns países a fecharem fronteiras, as recomendações são para ficar em casa. Para todos aqueles que já tinham reservas feitas surge a dúvida de como devem proceder para cancelar as viagens de avião e os alojamentos em hotéis. Saiba como o fazer. 

Como cancelar as viagens de avião e reservas de hotéis

homem sentado na sala de espera de um aeroporto

Quer seja por prevenção ou simplesmente porque não é recomendado viajar para determinados locais, cada vez mais pessoas tentam cancelar viagens de avião ou reservas de hotéis. As próprias companhias aéreas já tomaram a iniciativa de cancelar milhares de voos e nesses casos é reembolsado o valor do bilhete ou então alterada a data da viagem.

Se a iniciativa partir de si, ou seja, se tem uma viagem e optou por não a realizar, saiba o que pode fazer para cancelar essas reservas. 

Contactar a companhia aérea para saber se pode cancelar

O primeiro passo terá que ser o contacto com a companhia aérea em questão. Cada uma possui as suas próprias políticas no que toca a cancelamentos e a alterações de reservas e, além disso, devido ao Coronavírus, muitas companhias estão a alterar essas mesmas políticas. 

Há duas situações possíveis aqui:

  • a sua viagem é para um local afetado pela epidemia;
  • o destino não é, de momento, um dos mais atingidos mas quer cancelar por precaução.

No primeiro caso, se existirem recomendações das autoridades de saúde e do próprio governo para não viajar para determinados locais, tem todo o direito de solicitar o anulamento da viagem ou remarcá-la para outra altura.

A razão que o leva a pedir o cancelamento é algo que o transcende, portanto, tem todo o direito a fazê-lo. No entanto, não existe direito a indemnização, apenas ao reembolso. De qualquer forma, tenha em mente que cada companhia aérea tem as suas próprias regras e, é possível que encontre alguma resistência nesse pedido já que algumas reservas não permitem o cancelamento. Nessas situações, reforce as razões que o levam a solicitar o cancelamento quando estas não são da sua responsabilidade. 

No caso da TAP, a companhia aérea fez um extenso comunicado a passageiros explicando se há ou não pagamento de taxas para alterações de datas de voos.

Relativamente à segunda situação, contacte a companhia aérea e, caso não haja direito a cancelamento, tente remarcar para outra altura ou para outro destino. Em situações extremas as companhias tendem a ser flexíveis como forma de manter os clientes e de minimizar os danos financeiros ao máximo. A verdade é que o vírus continua a expandir-se, portanto, a segurança de determinadas zonas pode alterar-se de um dia para o outro.  

Leia ainda: Voo cancelado ou atrasado: o que posso fazer?

Verificar os custos inerentes

Há muitas situações em que será exigido um pagamento para cancelar ou alterar determinada viagem e reserva. As taxas variam de empresa para empresa e de reserva para reserva mas devem ser tidas em conta na hora de decidir o que fazer. 

Não existe um valor fixo, portanto terá sempre que procurar informar-se junto da companhia em questão. A partir daqui, faça as contas e perceba se é vantajoso pagar para alterar ou simplesmente não realizar a viagem. 

O mesmo se passa com as viagens organizadas por agências. Só é permitido o cancelamento sem custos se tiver sido emitido um alerta por parte do Ministério dos Negócios Estrangeiros para não viajar para determinado local. Estas seriam circunstâncias extraordinárias e, por isso, tem direito ao cancelamento sem custos extra e ao reembolso no prazo máximo de 14 dias. Mas, apenas nesta situação específica, ou seja, não basta haver receio por parte do viajante. 

Leia ainda: Como reclamar nas férias

Reservar com cancelamento gratuito pode ajudar

quarto de hotel com duas camas um quadro com um iceberg na parede

Quando o valor da viagem ou do alojamento for significativo pode ser vantajoso reservar com cancelamento gratuito, mesmo que isso implique pagar um pouco mais. Geralmente os sites de reservas ou agências oferecem essa opção que pode acabar por ser muito benéfica. 

Na verdade, imprevistos podem sempre acontecer, especialmente quando faz uma reserva com meses ou um ano de antecedência. Se possuir esta opção de cancelamento gratuito, será muito mais simples cancelar a viagem ou estadia sem prejuízos financeiros para si. No final, o pagamento extra que fez poderá salvá-lo de perder dezenas ou centenas de euros por ter adquirido uma reserva da qual não poderá usufruir. 

Se estiver a planear uma viagem neste momento mas tem receio de o fazer tendo em conta a incerteza atual, escolher esta opção de cancelamento gratuito poderá ser o mais benéfico para si.

Leia ainda: 5 cuidados a ter em reservas de alojamento no Airbnb

Contactar o hotel e pedir para alterar datas para não perder a reserva

Especificamente no que toca a reservas de hóteis, o princípio é o mesmo das companhias aéreas: contacte o local de alojamento

Não existe uma lei que obrigue o hotel a devolver-lhe o dinheiro, mas é possível que consiga alterar a data das reservas. A resposta será sempre diferente dependendo da empresa em questão, por isso a dica é precisamente tentar alterar as datas, chegando a um acordo vantajoso para ambas as partes. 

E se tiver um seguro, posso cancelar as viagens?

Os seguros de viagem oferecem cobertura para o cancelamento ou alteração dessas mesmas viagens relativamente ao valor pago com o alojamento ou o transporte. Para tal acontecer, terão que se verificar determinadas situações, como: acidente, doença imprevista, falecimento de um familiar, desemprego involuntário, entre outras. Todas estas situações são consideradas motivos de força maior e são aquelas que, geralmente, estão incluídas nas apólices dos seguros de viagem.

Portanto, normalmente não está coberto o risco da pessoa ficar ou não doente. E, tendo em conta a especificidade de cada seguro, não é possível aferir se estes cobrem despesas de saúde implicadas com o vírus se a pessoa for infetada durante a viagem ou se permitem cancelar ou alterar essa mesma viagem. 

Assim, caso tenha feito seguro, informe-se das condições do mesmo para perceber quais são os seus direitos. 

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)