Habitação

Preço das casas cai em Lisboa, mas continua a ser a cidade mais cara

A quebra no preço das casas não retira a capital do pódio das mais caras, num trimestre marcado pela desaceleração de preços.

Viver em Lisboa está ligeiramente mais barato, mas continua a não ser para todos. Os dados do Instituto Nacional de Estatística mostram que no primeiro trimestre de 2021 houve uma redução no preço das casas de 7,9%, face ao ano passado. É a primeira vez que acontece, desde, pelo menos, 2016.

Porém, ainda que a capital tenha sido a única cidade a ter esta quebra homóloga, continua a ter o preço mediano mais caro. Para ter uma ideia, uma casa com 80 metros quadrados (m2) custa quase 261 mil euros, mais do dobro do preço mediano do país.

Subida de preços das casas desacelera

Primeiro, olhando para os dados nacionais, de janeiro a março o INE regista uma subida homóloga de preços de 3,1% (1.241 euros por m2), mas nota uma desaceleração no preço na maioria dos municípios com mais de 100 mil habitantes. Exceção feita a Oeiras, o único da zona metropolitana de capital cujo preço até acelerou: 12,3%.

Assim, Lisboa está em primeiro lugar dos preços medianos mais altos, com 3.257 euros/m2, seguida por Cascais (2.936 euros/m2), Oeiras (2.536 euros/m2), Porto (2.282 euros/m2) e Odivelas (2.071 euros/m2).

Além disso, a aceleração dos preços incluiu Viseu Dão Lafões (+15,1%), Alto Alentejo (+11,2 %), Douro (+8,7 %) e Baixo Alentejo (+7,7%.)

Por fim, entre os municípios com mais de 100 mil habitantes fora das áreas metropolitanas, apenas Funchal (1.800 €/m2 ) e Coimbra (1.343 €/m2 ) apresentaram preços medianos superiores ao nacional.

Leia mais: E se os preços das casas caírem?

Lisboa campeã dos preços das casas

Duas das 24 freguesias de Lisboa registaram preços medianos de venda de alojamentos superiores a 4.500 €/m2 : Santo António (5.425 €/m2), que inclui a Avenida da Liberdade e Santa Maria Maior (5 .28 €/m2), que inclui a área do Castelo e Baixa/Chiado. 

Por outro lado, as freguesias de Santa Clara, Beato, Benfica, Marvila, Lumiar, Penha de França e Alcântara registaram, no primeiro trimestre de 2021, preços e taxas homólogas inferiores aos da cidade de Lisboa, destacando-se Santa Clara por apresentar o menor preço mediano (2.097 €/m2), entre as freguesias de Lisboa.

Leia mais: Bancos avaliam imóveis ao preço mais alto de sempre

Porto: preços das casas em Campanhã subiram 38%

Por exemplo, no Porto, a freguesia de Campanhã registou o menor preço mediano (1.667 €/m2 ) e também a maior subida em relação ao período homólogo: 38%.

A União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória e de Lordelo do Ouro e Massarelos destacaram-se por apresentarem preço mediano acima do valor da cidade do Porto (2.233 €/m2) .

Leia ainda: Mercado imobiliário 2021: O que antecipam os especialistas?

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)