Utilidades

Calculadora Segurança Social Trabalhadores Independentes 2019

Sofia Serrano Sofia Serrano , 12 Março 2019 | 157 Comentários

Atualizámos a nossa calculadora de segurança social, para os trabalhadores independentes e empresários em nome individual, de acordo com o novo código contributivo 2019 publicado no Diário da República.

Dados para a simulação

Atividade
Isenções
Rendimento trimestral
Rendimento anual

Resultado da simulação

Sem dados
Insira valores acima para ver os resultados da simulação
Erro de processamento

Rendimento Relevante{[{ result.rr | currency: '€' }]}
Base de Incidência Mensal{[{ result.base | currency: '€' }]}
Taxa{[{ result.taxa ? (result.taxa * 100 | number: '2') + '%' : 'isento'}]}
Contribuição{[{result.contribuicao ? (result.contribuicao | currency: '€') : 'isento'}]}
Valores alternativos de contribuição
PercentagemContribuição alternativa
{[{ alt.variacao }]}{[{ alt.valor | currency : '€'}]}

Esta ferramenta é um simulador para cálculo da base de incidência contributiva para a Segurança Social dos trabalhadores independentes, tendo em conta as alterações significativas no regime de recibos verdes, introduzidas em Janeiro do ano corrente.

Quais são as alterações para quem trabalha a recibos verdes?

São várias as mudanças que ocorreram para quem trabalha a recibos verdes. O rendimento relevante passou a considerar os rendimentos do trimestre anterior, acabaram os escalões, a taxa contributiva reduziu e os trabalhadores independentes passam a ter de preencher uma declaração de rendimentos trimestral.

Quais são os dados necessários para a simulação?

  • Se é trabalhador independente ou empresário em nome individual;
  • Se o regime é simplificado ou contabilidade organizada;
  • Se tem isenções (se sim, quais são);
  • O seu rendimento trimestral.

Garanta o preenchimento correto de todos os campos para o cálculo correto da sua segurança social. Após introduzir toda a informação, esta ferramenta vai lhe apresentar o rendimento relevante, a base de incidência mensal, a percentagem da taxa aplicada, o respetivo valor contributivo e ainda os valores alternativos de contribuição.

Portanto, se é trabalhador independente, é do seu interesse apurar esta informação antecipadamente, para que assim possa fazer uma melhor gestão das suas finanças e, posteriormente, ver a possível poupança que pode fazer.

Outras ferramentas Doutor Finanças:

Partilhe este artigo

Deixar uma resposta

182 comentários em “Calculadora Segurança Social Trabalhadores Independentes 2019

  1. Olá, meus 12 meses de insencao terminaram no final de agosto, passei recibos em setembro e outro, porém comecei um trabalho com contrato em 1 de outubro. No site da segurança social ainda não tinha aparecido nenhum valor pra eu pagar mas agora apareceu que devo 60,40 , creio que 20 por mês mais juros. Está certo isso? Agora que tenho contrato não deveria estar isenta dos recibos que sigo passando?

    1. Olá, Bianca.

      Dá ideia que corresponde aos pagamentos referentes aos meses de agosto, setembro e outubro (a terem sido pagos, respetivamente, em setembro, outubro e agora em novembro).

      Como não havia informação sobre os seus rendimentos (já que não submeteu a declaração trimestral de julho, suponho), foram assumidos os 20€ de contribuição mínima.

      Sugiro contactar a Segurança Social para esclarecer a questão da isenção referente a outubro e se deve ou não pagar a contribuição correspondente a esse mês.

  2. Boa tarde!
    Fechei actividade no final de 2018, e na altura pagava IVA. Perante a hipótese de nova abertura de actividade com rendimento mensal de 800€ estarei isenta de IVA? A retenção na fonte é opcional?
    Muito obrigada!

    1. Olá, Sara.

      Diz o artigo 56º do Código do IVA

      Artigo 56.º
      Mudança de regime

      2 – Não podem beneficiar do regime de isenção:

      a) Nos 12 meses seguintes ao da cessação, os sujeitos passivos que, estando enquadrados num regime de tributação à data de cessação de actividade, reiniciem essa ou outra actividade;

      b) No ano seguinte ao da cessação, os sujeitos passivos que reiniciem essa ou outra actividade e que, se não tivessem declarado a cessação, seriam enquadrados, por força da alínea a) do n.º 2 do artigo 58.º, no regime normal.

  3. Boa tarde,
    Tenho atividade aberta, mas não passei nenhum recibo em 2018 (0€) nem em 2019 (0€).
    Por outro lado, tive sempre rendimentos de trabalho dependente, onde desconto para a SegSocial.
    Tenho que fazer a declaração trimestral? E que pagar alguma contribuição pelo trabalho independente?

    1. Olá, Isabel.

      Desde que cumpra as condições para ter direito à isenção de contribuição pelo regime de trabalhadores independentes, não precisa de entregar a declaração trimestral nem de pagar contribuições pelo trabalho independente.

      As condições para ter direito à isenção são as que estão descritas no artigo 157º do Código Contributivo e que estão sumariadas na nota informativa correspondente aqui na calculadora da seguinte forma:

      Desde que:i) O exercício da atividade independente e a outra atividade devem ser prestados a entidades empregadoras distintas e que não tenham entre si uma relação de domínio ou de grupoO exercício de actividade por conta de outrem deve determinar o enquadramento obrigatório noutro regime de protecção social que cubra a totalidade das eventualidades abrangidas pelo regime dos trabalhadores independentesO valor da remuneração mensal média considerada para o outro regime de proteção social seja igual ou superior ao IAS (undefined)NOTA:O valor isento é apenas até 4 vezes o valor do IAS. Acima desse valor, a contribuição é calculada sobre a diferença. Neste caso não há hipótese de optar por valores de contribuição alternativos

  4. Boa tarde. A cada recibo que passo de prestação de serviços faço retenção na fonte de 25%. O valor do rendimento trimestral que colocamos na tabela deverá ser o bruto ou líquido? Outra questão, tenho um apartamento arrendado, o valor que recebo trimestral tambem entra na tabela? Se sim, em que parte (outros rendimentos?). Obrigada

    1. Olá, Andrea.

      Deve indicar o valor bruto. E apenas dos rendimentos obtidos com a atividade independente (se esse arrendamento estiver relacionado com a atividade independente deve ser incluído; caso contrário não).

  5. Boa noite! Eu trabalho para um empresa e tenho contrato de trabalho com a mesma! Foi-me proposto um part time noutra empresa onde terei que passar um recibo de 500€ por mês! Gostaria de saber se terei que pagar segurança social… e se sim, qual o calor sff. Muito obrigada!

    1. Olá, Daniela.

      Depende de alguns fatores. Se nunca teve atividade aberta por conta própria, tem direito a 12 meses de isenção só por esse facto.

      Devido ao facto de acumular com atividade por conta de outrem, provavelmente terá também direito a isenção, desde que cumpra todos os requisitos impostos pelo artigo 157º do Código Contributivo

      Quanto ao valor a pagar de contribuição, pode simulá-lo preenchendo os campos desta calculadora (que prevê também as situações de isenção)

      1. Boa tarde.estive a trabalhar por conta de outrem. Agora Iniciei atividades como trabalhador independente sei que estou isenta do IVA por receber 600€ mesais. Gostava de saber se vou ter que pagar a segurança social e qual será o valor. Obrigada

      2. Olá, Alessandra.

        Durante os primeiros 12 meses, e a menos que manifeste a intenção do contrário, não deverá pagar segurança social.

        Quando começar a pagar contribuição, deverá rondar os 90€ mensais. Mas está a ter algum problema com a utilização da calculadora?

  6. O meu marido iniciou este ano uma actividade por conta própria vende materiais e a mão de obra para os instalar. Nas finanças está inscrito como estabelecimento individual com actividade limitada (CAE próprio) mas na Seg Social está como trabalhador independente sem contabilidade organizada. Precisa agora de sub contratar alguém para mão de obra. Mas com este regime ele pode fazer isso? Ele terá que pagar a Seg Social para a outra pessoa? Ou visto que será ele a faturar vai sair nas contas dele?

    1. Olá, Bruna.

      O cenário mais simples será provavelmente aquele em que a outra pessoa tem também atividade por conta própria. Essa pessoa passa depois uma fatura ao seu marido para ele pagar, da mesma forma que o seu marido passa outra ao cliente final.

      Nesse cenário, a segurança social, seguro contra acidentes de trabalho, etc, fica tudo por conta dessa terceira pessoa.

      Já agora, como o seu marido está no regime simplificado, não pode deduzir os encargos com essa sub contratação como despesa de atividade, uma vez que é assumida uma percentagem fixa da sua faturação como despesas (de acordo com o artigo 31º do Código do IRS.

  7. Boa noite.
    Vou iniciar no inicio do próximo mês actividade como trabalhador independente na área do Pladur onde irei prestar serviços a uma empresa. Irei auferir rendimento liquido mensal de 830€. quanto irei descontar para a segurança social?