Finanças pessoais

4 maneiras de transferir dinheiro para o estrangeiro

Bancos, entidades especializadas ou telemóveis? Transferir dinheiro para o estrangeiro é cada vez mais fácil—saiba como fazê-lo.

Luísa Santos Luísa Santos , 12 Junho 2020

Quando falamos em transferir dinheiro para o estrangeiro, torna-se impossível não referir a importância da tecnologia, que tanto contribui para aproximar fronteiras. Descubra as várias soluções para transferir dinheiro para outros países neste artigo.

1. Transferências através do banco

Esta será, talvez, a forma de transferir dinheiro para o estrangeiro mais comum. A verdade é que, independentemente do destinatário (e do local em que se encontre), o seu primeiro pensamento é sempre recorrer ao banco para dar início ao processo.

Mas será esta a melhor forma de o fazer? Para sermos honestos, há vários "mas" quando se debate este tema, mas a verdade é que - por mais cliché que soe - cada caso é um caso.

Qualquer instituição bancária está apta para desencadear um processo destes, por isso não precisa de procurar pelo "melhor banco" para o efeito. Cada banco vai cobrar a sua taxa, é certo, mas todos eles têm este serviço disponível.

Independentemente do banco e do local, o serviço será cobrado. Desta forma, tanto a pessoa que envia o dinheiro, como a que recebe, vai ter de pagar pelo serviço - caso contrário, a transferência não se concretiza.

Tal como acontece em transferências nacionais, tem de preencher os dados do beneficiário, nomeadamente o SWIFT, ou seja, o código que identifica o seu banco e o distingue dos restantes.

Dependendo do banco utilizado para a transferência, o custo do serviço pode variar entre 20€ e 130€, valor que oscila consoante a quantia enviada.

Leia ainda: Contas de serviços mínimos bancários disparam 75% em 2019

2. Transferências SEPA

senhora com unhas rosa a segurar o telemóvel e um cartão de pagamentos

As transferências SEPA são relativamente recentes e foram criadas no âmbito das transferências bancárias explicadas anteriormente. O SEPA (Single Euro Payments Area) engloba uma área de pagamento única, sempre feita em euros.

Por outras palavras, esta iniciativa pretende facilitar as transferências de dinheiro na União Europeia. Isto quer dizer que, para além de custos reduzidos, as operações são, à partida, mais rápidas e fáceis de fazer.

Esta forma de transferir dinheiro para o estrangeiro é maioritariamente utilizada para fazer pagamentos entre diferentes entidades (sejam elas particulares, empresas ou instituições, por exemplo).

Leia ainda: Extrato de comissões: quais são as informações obrigatórias a serem comunicadas?

3. Entidades especializadas

No que toca a transferir dinheiro para o estrangeiro, não podemos deixar de referir instituições como a Western Union e a MoneyGram, por exemplo. Apesar de diferentes, o seu modo de funcionamento é fundamentalmente o mesmo: enviar dinheiro para fora do país de forma rápida e segura.

No caso da Western Union, o destinatário tem duas opções de escolha no que toca à receção do dinheiro - diretamente na conta dessa entidade ou pessoalmente, caso existam lojas físicas no país de residência. De facto, esta é uma possibilidade que não se vê com frequência e é muito útil para quem não confia nas transferências digitais.

O custo da operação depende do país para onde o dinheiro é enviado. A quantia transferida pode demorar entre 2 a 3 dias a ser recebida.

De igual forma, também a MoneyGram permite transferir dinheiro para o estrangeiro (para uma conta ou para ser levantada pessoalmente). Tal como a Western Union, também esta instituição permite seguir a sua transferência (quase) ao minuto, para que saiba sempre onde se encontra o seu dinheiro.

4. Aplicações móveis

Apesar de mais recentes, as aplicações móveis são uma das maneiras preferidas para transferir dinheiro para o estrangeiro. Consegue adivinhar o porquê, certo? É que só precisa de uma ligação à Internet e de um dispositivo móvel (smartphone ou tablet) à mão.

Pense nestas apps como se fossem um banco online (pois algumas são mesmo bancos). Cada uma implica um custo diferente, mas em qualquer delas vai encontrar uma forma de enviar dinheiro para o estrangeiro rápida, segura e a custos mais reduzidos.

Uma dessas aplicações é o PayPal. Tudo o que precisa de fazer é introduzir o email do destinatário (que tem de estar associado a uma conta PayPal) e definir o montante que quer enviar. Depois, é só esperar uns minutos, sendo que terá de pagar entre 0,99€ e 4,99€ para efetivar a operação.

Outro dos serviços muito utilizados atualmente é o Revolut, conhecido por não cobrar taxas de conversão de moedas - algo extremamente útil para quem quer transferir dinheiro para o estrangeiro. A Revolut só aplica uma taxa de 0,5% em transferências superiores a 6.000€.

Para além do PayPal e da Revolut, existem outros serviços como o N26 e a Monese, que oferecem a mesma possibilidade. Seja qual for a entidade que escolher, só precisa de criar uma conta e pedir ao destinatário da transferência que terá de fazer o mesmo.

Tal como indicado, para transferir dinheiro, deve analisar o seu caso e contemplar o tempo de transferência e os custos associados.

Se procura um serviço que tenha as taxas mais baixas, as aplicações móveis e os bancos online podem ser uma boa alternativa.

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)