Crianças

Conheça os diferentes perfis das crianças em relação ao dinheiro

Sabia que existem diferentes perfis das crianças em relação ao dinheiro? Descubra qual é o perfil do seu filho e saiba como o pode ajudar.

Por vezes, não percebermos porque é que duas crianças que pertencem à mesma família reagem de forma diferente quando o assunto é dinheiro. Afinal, se tiveram o mesmo nível de literacia financeira e foram ensinadas de igual forma, porque é que não encaram o dinheiro da mesma forma? Mas a resposta a essa questão é simples se tivermos em conta que cada ser humano tem a sua própria individualidade desde que nasce. E por isso mesmo, quando começamos a passar literacia financeira devemos ter em conta que existem diferentes perfis das crianças em relação ao dinheiro.

Neste artigo vamos mostrar-lhe como identificar o perfil do seu filho face ao dinheiro e quais são as posturas mais comuns de se observar. Saiba ainda o que fazer para encaminhar o seu filho para um perfil mais equilibrado, transmitindo-lhe as bases necessárias para não ter problemas de gestão financeira em adulto.

Ler mais: Como melhorar a literacia financeira da sua família

Nem sempre as crianças têm o mesmo perfil em relação ao dinheiro

Embora numa análise superficial possa ser estranho dois filhos terem posturas completamente distintas em relação ao dinheiro, a verdade é que é algo bastante comum de se verificar. Se pensarmos um pouco neste assunto, é normal ver os mais novos com uma postura bem vincada quando o assunto é poupar, gastar ou doar. No fundo, antes de começarmos a ensinar conceitos básicos de literacia financeira às crianças, elas já têm um perfil definido em relação ao dinheiro. Isto nasce com elas independentemente do seu contexto familiar.

O problema é que se os pais não estiverem atentos ao perfil das crianças em relação ao dinheiro, podem ter alguma dificuldade na hora de passar certos ensinamentos. Por exemplo, uma criança que tem um perfil gastador vai ter mais dificuldades na hora de poupar e gerir os seus gastos. E não existe mal nenhum no seu filho ter este tipo de perfil em criança. No entanto, na hora de transmitir alguns conceitos vai ter que se debruçar um pouco mais sobre algumas questões, de forma a que o seu filho compreenda os riscos e os problemas desta má gestão financeira.

Claro que muitas vezes esta não é uma tarefa fácil para os pais. As crianças, consoante o seu perfil, oferecem mais ou menos resistência a determinados ensinamentos. O objetivo é tentar ao máximo perceber o seu filho, e encaminhá-lo para uma postura mais equilibrada para não ter problemas no futuro.

Quais são os perfis financeiros das crianças mais comuns?

Quando falamos em perfis das crianças em relação ao dinheiro, é normal que nos ocorram dois ou três perfis que são facilmente identificáveis, como o de "gastador", "pedinchão", ou o "forreta". Afinal, como as crianças não estão habituadas a lidar com dinheiro no dia a dia, o mais comum é quererem gastar em coisas que desejam, pedir aos pais para lhes comprarem coisas ou do lado oposto, guardarem a sete chaves tudo aquilo que recebem. Contudo, a ASFAC, Associação de Instituições de Crédito Especializado, destacou no seu site os 7 perfis das crianças em relação ao dinheiro que são comuns de se observar. São estes os seguintes:

  • Gastador: Uma criança que tem um perfil gastador, por norma, tem tendência de gastar todo o seu dinheiro assim que o recebe. Na cabeça de uma criança com este tipo de perfil, o conceito de poupar dificilmente lhe passa pela cabeça. E por isso mesmo, este tipo de crianças costumam ter dificuldades em controlar-se nos seus gastos.
  • Pedinchão: Se o seu filho está constantemente a pedir-lhe coisas, é bem provável que este seja o seu perfil. Por norma, as crianças que têm um perfil pedinchão nunca estão satisfeitas, e querem sempre mais. E nestes casos, é normal que a criança viva de uma forma mais insatisfeita ou frustrada quando os seus pedidos não são atendidos.
  • Forreta: A criança com o perfil forreta não é muito diferente dos adultos apelidados de tal. No fundo, quando se nasce com este tipo de perfil existe um gosto especial por acumular coisas/dinheiro ou um de medo de gastar ou partilhar . Nas crianças este perfil pode sobressair no gosto que elas têm ao adicionar mais moedas ao mealheiro, mas também através da sua incapacidade de partilha ou doação.
  • Doador: Se o seu filho empresta ou dá dinheiro com bastante facilidade a outras crianças e adultos, então o seu perfil pode ser o de doador. Quando este perfil assume uma postura mais permanente, é normal que a criança sinta dificuldade em dar atenção às suas próprias necessidades em prol dos outros.
  • Despistado: Este é um perfil que também é comum de ser observado em jovens adultos. As crianças com este perfil, por norma, recusam dar atenção ao dinheiro. Mas é importante que saiba que quando esta recusa assume uma regularidade, a criança tem noção que lidar com dinheiro implica responsabilidade. E dado o seu perfil, a criança prefere atribuir essa responsabilidade a outros sempre que possível.
  • Preocupado: As crianças com um perfil preocupado, tal como o nome indica, costumam estar sempre preocupadas com o dinheiro. Ao contrário do que acontece com outras crianças, as que têm este perfil costumam analisar preços e procurar as opções mais baratas. Isto porque sentem a necessidade que sobre sempre dinheiro, de forma a não ficarem sem o mesmo. Por vezes, acabam por ser muito apegadas ao dinheiro, e sentir dificuldades perante algumas situações.
  • Negociador: Por último, as crianças com perfil de negociador costumam ouvir que têm alma de vendedores ou para o negócio. Ou seja, são crianças que detetam uma oportunidade para negociar em quase todas as situações. Na maioria dos casos o objetivo passa por multiplicar o seu dinheiro ou saírem sempre a beneficiar de cada situação.

O que fazer em cada caso para ajudá-las a lidar melhor com o dinheiro

Embora muitos destes perfis não sejam negativos se olharmos para o futuro, a verdade é que os pais devem ter alguma atenção para promover uma postura mais equilibrada quando o assunto é dinheiro. Afinal, se as crianças ainda não possuem as ferramentas necessárias nem os conhecimentos básicos podem adotar posturas mais extremas na sua vida adulta. Por isso, deixamos aqui algumas sugestões para cada um dos perfis das crianças em relação ao dinheiro:

  • Gastador: É importante que os pais ajudem as crianças com este perfil a tomarem consciência do porquê de sentirem a necessidade de gastar todo o dinheiro que recebem. No fundo, deve ser efetuada uma análise conjunta das motivações da criança e ao mesmo tempo tentar explicar as vantagens que existem nas poupanças. Também é importante que fale de uma forma simples sobre os riscos de se gastar todo o dinheiro assim que se recebe. Mostre que a gestão do dinheiro é fundamental nas várias fases da sua vida, e o que é que pode obter se adotar uma postura mais equilibrada.
  • Pedinchão: Quando este é o perfil do seu filho é fundamental que lhe mostre a diferença entre coisas que são essenciais e as que não são. Fale abertamente sobre o conceito de necessidade e de luxo, dando sempre exemplos que este possa entender. Explique também os passos que são necessários para adquirir coisas mais caras, como ter rendimentos mais elevados, fazer poupanças e investimentos.
  • Forreta: É importante que as crianças com este perfil sejam incentivadas a gastar esporadicamente em coisas que gostam e valorizam. Não desvalorize a aptidão da criança em poupar, mas mostre-lhe que saber gerir o dinheiro é extremamente importante para tirar partido do dinheiro que se juntou.
  • Doador: As crianças com um perfil doador devem ser incentivadas a valorizar as suas próprias necessidades. Doar e ser solidário é algo extremamente benéfico nas suas vidas. No entanto, se não existir preocupação com as suas próprias necessidades, a longo prazo pode trazer problemas no seu quotidiano, mas também para a sua vida financeira.
  • Despistado: Este é um perfil que necessita de alguma atenção para assumir responsabilidades. E por norma, é importante que os pais ensinem e ajudem a criança a saber fazer contas, mas também a perceber alguns conceitos de gestão e de poupança. Desta forma, a criança terá mais ferramentas para tomar decisões com confiança.
  • Preocupado: Embora este seja um perfil que seja visto com bons olhos, é preciso ter alguma atenção para que a criança não se torne egoísta e nunca queira partilhar ou fazer doações aos que mais necessitam. Por isso, uma boa forma de ajudar a equilibrar o seu filho é incentivá-lo a doar e a estabelecer uma relação afetiva com quem está a ser ajudado.
  • Negociador: Nestes casos é bem provável estarmos perante crianças com algum espírito empreendedor, e não devemos tentar mudar isso nelas. O importante é ajudar a criança a desenvolver uma ética em relação aos negócios e, claro, em relação ao dinheiro. No geral, este pode ser um perfil mais desafiador. No entanto, deve tentar mostrar que todos os negócios tem o seu propósito, e esse sim é extremamente importante. Claro que não devemos desvalorizar o conceito de lucro, mas devemos explicar que existem outros fatores que devem ter em atenção.

Que problemas podem existir se não tiver em consideração os perfis das crianças em relação ao dinheiro

Como temos referido ao longo deste artigo, alguns destes perfis podem levar a uma má gestão financeira na fase adulta se não forem passados alguns ensinamentos de literacia financeira. Por exemplo, num perfil gastador, se não houver alguma atenção em alterar este tipo de comportamento, é bem provável existir dificuldades em gerir dinheiro. Este tipo de postura pode levar a gastos superiores ao ordenado, através de aquisição de créditos pessoais, acabando por existir risco de endividamento.

No caso do perfil pedinchão, se o mesmo não for equilibrado, é normal que a criança cresça a sentir-se mais insatisfeita em relação ao dinheiro, e os seus rendimentos sejam uma fonte de frustração. Já no caso dos perfis forreta e preocupado, o grande risco passa por estas crianças chegarem à fase adulta com dificuldades de doar e ajudar o próximo.

Por fim, nos perfis do doador e do despistado existe risco duma má perceção da importância do dinheiro e da sua gestão. Ajudar os outros é algo extremamente importante, mas é preciso que esta perceba que deve poupar quantias para si e aprender a dizer que não em algumas situações. No caso do despistado, os riscos são maiores por passar a responsabilidade financeira para outros. A falta de interesse pela literacia financeira pode mesmo gerar problemas no futuro, quando chegar a hora de gerir o seu próprio ordenado.

Dito isto, no caso de ter crianças pequenas em casa esteja atento aos seus comportamentos quando estas têm de lidar com dinheiro, consumo e partilha. Desta forma poderá facilmente perceber qual é o perfil do seu filho face ao dinheiro e focar-se em alguns ensinamentos de literacia financeira infantil.

Ler mais: A Literacia Financeira Infantil: porque dar mesada aos meus filhos?

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)