Vida e família

Como escolher o melhor infantário para o seu filho

Conheça 9 fatores essenciais para escolher o melhor infantário para o seu filho.

Natacha Figueiredo Natacha Figueiredo , 4 Dezembro 2019

Escolher um infantário para o seu filho pode ser uma das decisões mais importantes que terá que tomar. A ida de uma criança para um infantário é uma nova fase para toda a família. Por isso, existem vários fatores que deve ter em conta antes de inscrever o seu filho.

O Doutor Finanças apresenta-lhe os 9 fatores essenciais para escolher o melhor infantário para o seu filho, e explica-lhe o que deve perguntar e observar durante as visitas do seu processo de seleção.

Leia ainda: Vai ter um filho? 9 dicas vitais para se preparar financeiramente

1 - Afetividade espontânea entre os profissionais e as crianças

Este é um dos fatores mais relevantes na escolha de um infantário. Quando começar a procurar o infantário ideal para o seu filho deve sempre reparar na forma como todos os profissionais tratam as crianças que ali estão. É importante realçar que a afetividade espontânea deteta-se mais facilmente perante situações de algum stress, como as birras, pedidos constantes e pequenos acidentes. Mas também é fácil detetar pela manifestação afetiva das próprias crianças que ali estão. 

Esteja atento à maneira como o seu filho é tratado. Não se deixe levar apenas pelas palavras demasiado carinhosas, essas nem sempre são sinónimos de afeto espontâneo. No caso de algo não lhe parecer correto ou sincero, e se existe demasiada desconfiança, siga o seu instinto. Lembre-se que o mais importante é sentir-se tranquilo em deixar o seu filho naquele infantário, e não estar constantemente na dúvida se este está a ser bem tratado.

2 - Segurança no infantário

Este é um dos fatores que deve ter sempre em conta antes de tomar a sua decisão final. Todos os infantários devem ter os mínimos de segurança nos espaços de jogos e recreios. Mas também devem ter normas e medidas de segurança escolar. No caso de uma situação de emergência ou de acidente é fundamental perceber quais são as medidas que serão tomadas. Todas as suas dúvidas devem ser bem esclarecidas caso o infantário não tome a iniciativa de abordar este tema abertamente. 

Nota: Não se esqueça que é normal existirem pequenos incidentes, mas o mais importante é a forma como os profissionais irão lidar com a situação.

3 - O espaço

O espaço é um fator determinante para um bom desenvolvimento do seu filho. É ali que irá passar em média oito horas diárias. Ao marcar uma visita a um infantário deve estar atento às áreas que este tem, como foi concebido, a sua decoração, se está bem adaptado para as crianças. Repare também se tem luz natural e se é arejado. Pode observar também o contraste das cores que existem: as áreas onde as crianças brincam devem ter cor mais garridas e as áreas de descanso cores mais suaves.

Lembre-se que é normal que no início do ano as paredes estarem vazias. O importante é essas paredes irem ganhando vida com os trabalhos feitos pelas crianças, e serem renovados ao longo do ano com as temáticas que vão surgindo. É essencial que as crianças reconheçam aquele espaço como seu, demonstrando orgulho e uma ligação afetiva às suas “obras”. Estes são bons indicadores que está a ser feito um bom trabalho com os seus filhos. 

4 - O número e competência dos profissionais 

É essencial que o infantário tenha pessoal suficiente para todas as crianças que ali se encontram. É muito complicado acompanhar e supervisionar várias crianças com pouco pessoal, e ainda dar a estas o máximo de dedicação e carinho. Por isso informe-se sobre o número de profissionais que cada instituição dispõe.

As competências profissionais também devem ser analisadas com calma. Cursos e licenciaturas muitas vezes não representam sabedoria e experiência em lidar com crianças. É importante perceber se aqueles profissionais têm experiência e capacidade de resolução de conflitos com uma postura afetiva, se estão preparados para as situações inesperadas que podem surgir diariamente.

5 - Tipo de projeto educativo adotado no infantário

Quando pensamos num infantário para os nossos filhos devemos focar-nos no projeto educativo que será implementado. E como este pode contribuir para o desenvolvimento pessoal e coletivo do nosso filho como ser humano. Limitar o nosso filho a um infantário onde ele apenas irá socializar com outras crianças sob supervisão de um adulto, não acresce valor à sua aprendizagem. 

Para além da segurança, supervisão e socialização, um infantário deve ter um projeto educativo que estimule os talentos das crianças, que entenda o temperamento das mesmas, e identifique e molde os aspectos negativos da sua personalidade. 

Um bom infantário deve também preparar e dar bases fundamentais para o futuro das crianças, e não se limitar aos aspectos fundamentais que precisam no presente.

jogos de madeira_crianças

6 - As atividades

As atividades e a maneira como são geridas pelos profissionais são muito importantes para o desenvolvimento das crianças. O bom infantário deve ter regras e horários definidos, mas também deve incentivar a liberdade criativa individual das crianças. 

Limitar ou obrigar as crianças a ouvir uma história diariamente não estimula a criatividade individual, principalmente se as crianças estiverem entretidas e divertidas a brincar. Um educador tem que gerir um grupo de crianças, mas deve analisar os gostos, apetências e talentos de cada uma. Promover a criatividade e liberdade deve ser um fator a ter em conta na hora de decisão final.

7 - Visitas de estudo, festividades e projetos interativos

Colocar o seu filho num infantário que promove projetos interativos com familiares ou outras pessoas é uma ótima decisão. Estes projetos espontâneos trazem grandes vantagens no desenvolvimento das crianças. Para além disso, se o infantário apostar em visitas de estudo e celebração de festividades no exterior é um ótimo indicador que a instituição pretende que as crianças explorem novos horizontes fora do infantário. Estes pequenos pormenores por norma revelam bons processos de ensino e aprendizagem. 

8 - Hora de dormir

As “sestas” opcionais são muito importantes para as crianças descansarem e conseguirem absorver toda a informação que lhes é passada. Só com descanso é que as crianças consegue transformar a informação recebido em conhecimento. A idade não deve ser um entrave ao descanso, pois uma criança com 5 ou até 6 anos pode necessitar de um intervalo para descansar. Um infantário que perceba a importância da hora de descansar, sem obrigar ou recusar a mesma, deve ser visto como um ponto positivo na hora da decisão final.

9 - Refeições

Atualmente este tema pode ser um pouco complexo devido aos regimes alimentares que os pais têm. No entanto, o essencial é que o infantário disponha sempre de uma boa alimentação e nutrição para as crianças. Caso os pais tenham outros planos alimentares devem falar com o infantário primeiro.

O ponto mais importante nas refeições é a técnica com que a comida é dada às crianças. Promover a autonomia, ter respeito com as dificuldades de cada crianças, saber lidar com as birras deve ser o foco deste ponto. Ensinar a comer bem, não acelerar as refeições, mastigar pausadamente, manipular bem os talheres, poder conversar e fazer intervalos, deve ser visto como uma mais valia do infantário. 

Na visita ao infantário, questione tudo o que achar necessário

Quando os pais visitam um infantário pela primeira vez podem e devem questionar os responsáveis sobre temas mais específicos. Por exemplo: licenças e fiscalizações, se o infantário é desinfetado todos os anos, quais os períodos em que está encerrado, avaliações e a formação dos funcionários. Deve informar-se também sobre o valor das mensalidades e serviços adicionais, entre outros temas que podem ser relevantes.

Não tenha receio de fazer todas as perguntas que precisa para sentir segurança a deixar o seu filho naquele local. Vai perceber facilmente se existe ou não desconforto por parte do infantário em dar-lhe as respostas que pediu. Lembre-se que todos os infantários devem realizar um programa de desinfeção, logo devem ter o espaço fechado durante um período de tempo para que tal aconteça em conformidade com todas as normas. Tente sempre reparar na conservação do espaço e na limpeza do mesmo. 

Leia também: Sabe qual é a melhor solução de poupança para o seu filho?

crianças a brincar no infantário_crianças

Outros fatores importantes na hora de escolher um infantário

Para além dos aspetos referidos anteriormente, existem outros fatores que serão determinantes para encontrar a melhor solução para cada agregado familiar. Por exemplo:

  • Proximidade e localização. A educação dos nossos filhos deve ser vista como uma prioridade. No entanto, se a distância for um entrave deve equacionar esse fator na hora da decisão. É preferível escolher um infantário onde conseguirá levar o seu filho com calma e boa disposição, do que escolher um infantário muito bom mas que lhe trará stress diário e um cansaço extremo.
  • Preços. Dependendo do estado da vida financeira do agregado familiar, este fator pode ou não pesar muito na decisão final. Deve ter noção que existem infantários privados, os semi-públicos (IPSS), e os públicos. Os preços variam bastante consoante essa escolha. O ideal é fazer primeiro um orçamento de quanto poderá pagar pelo infantário do seu filho, para depois limitar as suas escolhas ao valor que pode pagar mensalmente.
  • Vagas. Antes de começar a procurar o infantário ideal deve saber que muitas instituições têm uma longa fila de espera para conseguir uma vaga. Se começar a procurar com antecedência terá mais opções de escolha.
  • Referências. Muitos portugueses sentem-se mais confortáveis em escolher infantários recomendados por amigos, familiares ou conhecidos. As referências têm peso muito grande na hora da decisão, pois os testemunhos na primeira pessoa sobre os prós e contras de um local deixam os pais mais descansados. Não perca a oportunidade de conversar abertamente com os seus conhecidos sobre as experiências que tiveram, e o que os levou a optar por aquele infantário em vez de outro. 

Após ponderar e analisar os prós e contras dos infantários que selecionou, deixe-se guiar pela sua intuição e tome a sua decisão final. 

Leia também: 2 dicas para assegurar o futuro financeiro dos seus filhos

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

3 comentários em “Como escolher o melhor infantário para o seu filho