Crédito Habitação

Dicas para negociar a renda da sua habitação

Rui Aspas Rui Aspas , 20 Fevereiro 2019

No mercado imobiliário em Portugal, a grande maioria das pessoas opta sempre pela compra do imóvel, sendo considerado um investimento a longo prazo para futura rentabilização. Existe, no entanto, outra fatia que prefere arrendar, por várias razões, entre as quais a mobilidade profissional ou pessoal sem ter de estar preso a um crédito habitação.

Com a crise, muitos foram os portugueses, que começaram a ver no mercado do arrendamento, uma oportunidade para terem uma habitação com um investimento acessível sem que para tal tivessem de recorrer à compra.

No entanto, e fruto do crescimento exponencial que tem acompanhado o bom momento que o País atravessa em várias vertentes económicas - sendo o turismo o principal impulsionador -, o mercado de arrendamento sofreu um aumento considerável nas rendas cobradas a quem pretende alugar casa.

Arrendar uma casa

Saiba, no entanto, que pode e deve, sempre que lhe for possível, munir-se de instrumentos que lhe permitam negociar o valor da renda da sua casa com o seu senhorio, sabendo que, como em tudo na vida, existem vantagens e desvantagens nesta negociação.

Antes de partir para a negociação propriamente dita, convém analisar o contexto profissional e financeiro em que se encontra para que assim possa realisticamente, levar as negociações a bom porto. É importante também que o seu senhorio fique a saber da sua realidade presente, pois não se esqueça que ele também tem as suas despesas e gastos com o imóvel arrendado e é sempre bom saber com o que cada um conta.

Ficam aqui algumas dicas para que possa negociar o valor da renda da sua habitação, que poderão ajudar a poupar no presente algum dinheiro para alguma eventualidade a curto, médio ou longo prazo:

Analise o mercado

Antes de arrendar casa, convém efetuar uma atenta e detalhada prospecção de mercado, antes sequer de aceitar a primeira proposta que lhe façam. Visite casas que vão de encontro aos princípios, características e valores que definiu, fale com amigos, familiares ou colegas de trabalho para ter acesso a oportunidades que conheçam na zona onde pretende arrendar, consulte os jornais e imobiliárias para saber quais os preços médios praticados para as zonas em vista e assim ter uma noção de futuros gastos e ter também métodos comparativos.

Leia ainda: Comprar e Arrendar casa em Lisboa: onde é mais barato?

Negoceie o valor da renda

Caso a habitação que pretenda arrendar corresponda aos critérios que definiu na zona pretendida e mesmo assim o valor a pagar pela renda esteja um pouco elevado, faça saber ao senhorio que na mesma zona existem casas semelhantes por um valor inferior.

Opte por contratos de longo termo: 5 anos

Por um lado, o senhorio vai ficar descansado porque sabe que os inquilinos são de confiança e, que para além de pagar a tempo e horas, vão-lhe garantir a estabilidade necessária nos rendimentos auferidos e investimentos que poderá ter de fazer no imóvel. Por outro lado, enquanto inquilinos, a margem para negociação no que diz respeito ao valor da renda fica mais folgada, o que pode ter um impacto bastante significativo no valor a pagar mensalmente.

Leia ainda: Direito de Preferência: saiba os seus direitos quando quiser comprar a casa que está a arrendar

Assinar um contrato

Sinceridade acima de tudo entre ambas as partes

Segundo um estudo recente efectuado pela Deco Proteste , ⅓ dos inquilinos tiveram a necessidade de apresentar um fiador como garantia de que o pagamento das rendas seriam sempre asseguradas. Isto deve se em grande parte a falhas ou atrasos nos pagamentos, o que viola o contrato de arrendamento celebrado. Caso esteja a passar por um momento menos bom a nível profissional ou pessoal, e isso interfira com a regularidade das prestações de renda, fale com o seu senhorio. Se ficar sensível à sua situação pode estabelecer um compromisso consigo de não aumentar o valor a pagar, num prazo definido.

Leia ainda: Programas de apoio ao arrendamento

Firme compromissos

Outra dica para negociar um valor de renda que lhe pareça mais justo e adequado ao momento actual, é dialogar com o seu senhorio no sentido de apresentar soluções para pequenas obras que a casa precise. A flexibilidade nestes casos pode ditar uma renda mais acessível em virtude do senhorio poder estar na iminência de perder um inquilino e uma fonte de receita.

Estabeleça as despesas a pagar

Por exemplo: pode pagar só a renda e os restantes encargos ficam sob a responsabilidade do senhorio como água, luz, condomínio, etc. Caso isso não seja possível, não desespere. Este facto pode fazer com que ganhe espaço de manobra numa possível negociação do valor da renda a pagar.

Conheça a Lei que rege o mercado de arrendamento

Por último e não menos importante! Saiba que a actualização dos contratos de arrendamento, não é igual para toda a gente. Nos contratos celebrados depois de 1990, a actualização dos valores das rendas é feito de duas maneiras: ou o valor da actualização é acordado entre senhorios e inquilinos ficando por escrito no contrato de arrendamento ou o valor das rendas tem como base o coeficiente de actualização ( um indicador que tem como referência a taxa de inflação) que é publicado todos os anos, no Diário da República.

Resumindo: tudo na vida é negociável. Até o valor da renda.

Leia ainda: Comprar ou arrendar casa: o que compensa mais atualmente

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #arrendamento,
  • #crédito habitação para arrendamento,
  • #negociar rendas

Deixar uma resposta