Finanças pessoais

Certificados do Tesouro: o que são e qual o risco?

Os Certificados do Tesouro são produtos de poupança escolhidos por muitos portugueses. Neste artigo, fique a saber o que são e qual o risco envolvido.

Finanças pessoais

Certificados do Tesouro: o que são e qual o risco?

Os Certificados do Tesouro são produtos de poupança escolhidos por muitos portugueses. Neste artigo, fique a saber o que são e qual o risco envolvido.

Os Certificados do Tesouro são produtos de poupança escolhidos ainda por muitos portugueses. Neste artigo, fique a saber o que são, qual o risco envolvido e qual a remuneração. 

Pedro Pais é o fundador do financaspessoais.pt e do forumfinancas.pt. O Pedro é um dos maiores promotores de literacia financeira em Portugal contribuindo com centenas de artigos, ferramentas e simuladores que ajudam as pessoas a poupar, a investir ou a decifrar os mistérios da fiscalidade.

Ao longo dos anos, os certificados de aforro têm sido uma forma de investimento que muitas pessoas adoptaram, especialmente por oferecerem protecção do Estado. Contudo, nos anos mais recentes os certificados de aforro têm perdido o interesse dada a baixa remuneração actual.

Uma vez que o Estado Português tem tido necessidade de se financiar e os certificados de aforro já não captavam o dinheiro dos aforradores, foram lançados em Julho de 2010 os Certificados do Tesouro, títulos de dívida pública com uma remuneração interessante. Estes certificados do Tesouro são especialmente interessantes para o investidor prudente e que tenha expectativas de manter o investimento pelo período mínimo de 5 anos.

pessoa a colocar carteira castanha de pele no bolso das calças de ganga

Risco

Actualmente é um pouco difícil avaliar o risco dos certificados de tesouro. Por um lado têm a garantia do Estado Português, por outro os "mercados" têm constantemente subido o risco de incumprimento do Estado. De qualquer forma, e se decidir aderir aos certificados de tesouro, o melhor é diversificar o seu investimento e não colocar os ovos todos na mesma cesta.

Remuneração

A remuneração dos certificados do Tesouro é anual e a uma taxa pré-determinada (que aumenta com o passar dos anos), embora dependa da altura em que se tenha efectuado a subscrição. Isto significa que se subscrever hoje (Setembro 2010) receberá 5,15% anuais se mantiver os certificados pelo período total (10 anos), 3,85% se mantiver os certificados por 5 ou mais anos e menos de 10 e 1,40% se mantiver os certificados menos de 5 anos. Contudo, se subscrever os certificados para o mês seguinte, as taxas serão diferentes.

Imaginando que mantém os certificados por 10 anos, nos primeiros 4 anos recebe a taxa mínima, no 5º ano recebe um valor equivalente a como se a taxa intermédia tivesse sido aplicada durante os 5 anos, do 6º ao 9º anos recebe a taxa intermédia e no 10º ano recebe um valor equivalente a como se a taxa mais elevada tivesse sido aplicada durante os 10 anos.

Ao longo dos próximos dias conto publicar um simulador que o vai ajudar a simular a remuneração que pode obter com os certificados do Tesouro, não perca.

Mobilização antecipada

Os certificados do Tesouro só não podem ser resgatados nos primeiros 6 meses. Depois desse período pode resgatá-los a qualquer altura, sendo apenas penalizado nos juros vencidos e não pagos.

Onde subscrever

Os certificados do Tesouro pode ser subscritos nos CTT ou no site AforroNet.

Mais informações

Consulte o seguinte site para obter mais informações: IGCP.

Dúvidas

Caso tenha dúvidas, sugestões ou correcções, por favor deixe um comentário.

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #certificados do tesouro,
  • #investimentos
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

29 comentários em “Certificados do Tesouro: o que são e qual o risco?
  1. É impressão minha ou toda esta informação sobre os CT é antiga e deve estar desactualizada? Gostava de ter informação sobre as condições actuais para subscrição de CT, ainda para mais porque ouvi (por alto) qulquer coisa sobre os pequenos investidores o poderem fazer directamente, sem necessidade de continuar a pagar comissões aos bancos.
    Aguardo e agradeço o esclarecimento possivel

  2. José e Luís Gouveia,

    Sim é possível o que eu percebi da sua pergunta:
    Dia 30 foi publicada a taxa a vigorar para subscrições em Janeiro de 2011, 6,40% (10 anos). Então poderia hoje e pode amanhã, dia 31, subscrever os certificados com a taxa de 6,50% (10 Anos) que é a que vigora ainda este mês de Dezembro.
    É evidente que em Janeiro já vigora a nova taxa e já é impossível subscrever com taxa antiga.

    Cumprimentos

  3. José,

    Não, não é possível.
    A título de exemplo, foi hoje publicada a taxa a vigorar para subscrições em Janeiro de 2011 (6,40% a 10 anos).
    Mas essa taxa é válida apenas para subscrições feitas a partir do dia 1 de Janeiro de 2011.

  4. Boa noite,

    Tendo em conta que a cotação para subscrições no mês seguinte é conhecida no antepenúltimo dia de um determinado mês, é possível subscrever Bilhetes do Tesouro no período que decorre desde o antepenúltimo dia até ao último dia de um determinado mês, à cotação desse mês?

    Obrigado desde já,
    José.

  5. Pingback: Novidades | alexanderc0499
  6. bom dia

    Gostava de saber se em face de novo orçamento as ajudas de custo para 2011 serao taxadas para seg social e IRS??

    atentamente

    Orlando

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.