Bem-estar

Comece 2022 com objetivos traçados. 5 dicas para definir estratégias

Já traçou os seus novos objetivos para 2022? Conheça algumas sugestões de objetivos e dicas para conseguir alcançá-los.

Bem-estar

Comece 2022 com objetivos traçados. 5 dicas para definir estratégias

Já traçou os seus novos objetivos para 2022? Conheça algumas sugestões de objetivos e dicas para conseguir alcançá-los.

Com 2022 à porta, certamente já fez um balanço sobre 2021. Porém, se ainda não o fez, não se preocupe. Vai bem a tempo de fazer a sua reflexão.

Embora a pandemia da Covid-19 tenha condicionado decisões e até o cumprir de certos objetivos, ao longo destes últimos 12 meses também teve oportunidade de atingir algumas metas.

Por isso, é altura de refletir sobre os pontos positivos e negativos de 2021, de forma a traçar as suas resoluções de ano novo. No entanto, para concretizar estas resoluções, precisa de ter uma estratégia definida para cada objetivo.

Para ajudá-lo a começar 2022 com todos os seus objetivos traçados, de seguida, apresentamos-lhe algumas dicas que podem fazer a diferença.

5 dicas para traçar e alcançar os seus objetivos em 2022

1 - Não comece 2022 sem fazer uma análise deste ano

Embora estes últimos anos tenham sido vividos com bastantes restrições devido à pandemia, é fundamental que faça uma análise sobre o que alcançou e ficou por alcançar. Isto porque quando queremos traçar novos objetivos, precisamos de saber o que devemos mudar, melhorar e manter.

Para tal, faça uma autoanálise sobre o seu desempenho ao longo de 2021. Reflita sobre os motivos associados às suas conquistas e insucessos. Desta forma, vai identificar as estratégias que resultaram e as que precisa de rever.

Caso pretenda manter algumas dessas metas em 2022, analise se a melhor opção não é estabelecer micro objetivos. Muitas vezes, traçamos metas quase impossíveis de alcançar num determinado período. Mesmo que seja uma pessoa determinada, a meio do caminho, pode ter de enfrentar alguma desmotivação, muitas vezes apenas porque não está a progredir como esperava.

Nestes casos, pondere traçar um caminho que o leve à sua meta, através de micro objetivos que, ao longo do ano, vão fazer com que se aproxime sem perder a determinação e o foco.

Leia ainda: Pergunta para 1 milhão: Quanto custa ser feliz?

2 - Novos objetivos financeiros em 2022? Veja com atenção as finanças

Se conta com um orçamento é limitado, é natural que ambicione ter alguma estabilidade financeira. Mas, caso não exista um aumento dos rendimentos, essa estabilidade só será possível se conseguir fazer cortes, diminuir alguns encargos, e criar uma estratégia de poupança.

Por isso, antes de estabelecer os seus objetivos financeiros para 2022, deve olhar com atenção para as suas contas e para o estado geral das suas finanças pessoais. Este passo implica analisar os seus rendimentos e despesas ao pormenor.

Ou seja, o primeiro passo é registar todas as suas despesas e rendimentos. Se já tem um orçamento familiar que o ajuda a gerir o seu dinheiro, então esta tarefa será mais simples. Basta confirmar se as suas despesas e rendimentos seguiram o seu orçamento à risca. Caso encontre despesas adicionais, deve acrescentar esse valor ao orçamento.

Se ainda não tem um orçamento familiar, esta tarefa vai levar mais tempo. Deve olhar para as suas faturas e extratos bancários ao longo do ano, de forma a identificar todas as suas despesas e rendimentos.

Depois, é hora de perceber quais as despesas essenciais e as não essenciais. Posteriormente, foque-se nas despesas não essenciais e identifique onde pode poupar no próximo ano.

Esta é uma estratégia simples para ganhar uma folga no seu orçamento. No entanto, existem outros pontos que deve analisar e que podem gerar uma poupança significativa, como por exemplo:

  • Rever os seus hábitos de consumo;
  • Analisar a sua carteira de seguros e perceber se pode poupar ao retirar certas coberturas;
  • Verificar as taxas do seu crédito habitação e seguros associados e procurar soluções mais vantajosas em outras entidades bancárias;
  • Se tem vários créditos, perceba se pode optar por um crédito consolidado.
porco mealheiro nas mãos de uma jovem mulher

3 - Criar um fundo de emergência em 2022

Se está familiarizado com alguns conceitos de literacia financeira, sabe que um fundo de emergência é um pé de meia que permite lidar com despesas inesperadas ou quebras de rendimentos. Esta poupança é essencial para ter estabilidade financeira ou traçar objetivos financeiros, como a possibilidade de rentabilizar o seu dinheiro.

Idealmente, este fundo cobre todas as suas despesas durante um período mínimo de seis meses. Isto significa que se tem despesas essenciais que rondam os 800 euros, o seu fundo deve ser composto por um valor mínimo de 4800 euros.

Se considera impossível chegar a esse valor, saiba que não tem de fazê-lo num ano. No entanto, é fundamental que comece a poupar para este objetivo já em 2022.

Para ajudá-lo a dar este passo, deixamos aqui algumas sugestões de poupança.

Leia ainda: 8 sinais de alerta: Está na hora de aumentar o seu fundo de emergência

Como conseguir o seu fundo de emergência: dicas para todas as carteiras

  • Cumprir o objetivo a curto prazo: Todos os meses transfira para uma conta bancária associada ao seu fundo de emergência 200 euros. No final de 24 meses, dois anos, terá o seu fundo constituído.
  • Fundo de emergência em 4 anos - Todos os meses deve poupar cerca de 100 euros para o seu fundo de emergência. No final de 4 anos terá conseguido poupar os 4800 euros.
  • Poupança a 5 anos - Durante 5 anos deve poupar mensalmente 60 euros. No entanto, terá que fazer um reforço anual de 240 euros. Ou seja, todos os meses poupa 60 euros. No final de cada ano deverá adicionar ao seu fundo, além dos 60 euros de dezembro, mais 240 euros. E onde é que pode poupar estes 240 adicionais? Pode por exemplo retirar metade do valor do subsídio de férias e a outra metade do subsídio de natal.
  • Fundo de emergência a longo prazo: No caso de ter um orçamento muito limitado, o fundo de emergência tem de ser constituído a longo prazo. Por exemplo, se só pode poupar 35 euros, vai levar cerca de 10 anos até ter o seu fundo de emergência. No entanto, nos meses em que recebe o seu subsídio de férias e de natal deve tentar poupar 70 euros.

4 - Investir em si no novo ano? Também precisa de uma estratégia

Caso esteja a pensar que em 2022 o foco também vai estar em si, saiba que deve igualmente traçar objetivos concretos e definir uma estratégia.

A verdade é que é mais fácil negligenciarmos os nossos objetivos pessoais, por acharmos que os podemos concretizar noutra altura ou porque existem outras prioridades. Mas se está determinado em investir em si, deve definir bem as metas que pretende alcançar.

Por exemplo, se quer fazer uma formação, ir ao ginásio, fazer tratamentos de beleza ou de bem estar, dedicar-se a um hobby ou até fazer umas férias, coloque esses objetivos na sua lista. Depois, estabeleça prazos e encontre soluções para concretizar aquilo que pretende.

No caso de precisar de uma poupança ou de um valor mensal para si, faça contas e encontre um valor fixo que possa suportar mensalmente. Se o seu objetivo depende da gestão do seu tempo, foque-se na produtividade e numa organização metódica da sua agenda.

5 - Um novo desafio profissional em 2022? Comece já a preparar-se

A vida profissional tem um forte impacto na nossa felicidade e bem estar. Por isso, caso não esteja satisfeito com o seu emprego ou não esteja a progredir como gostaria, pondere abraçar um novo desafio.

Mas, atenção, se decidir despedir-se, não tem direito ao subsídio de desemprego, pois não é uma situação de desemprego involuntário. Logo, este tipo de decisão requer alguma ponderação e uma estratégia bem definida.

Dito isto, comece o ano a procurar novas vagas de emprego, nos sites habituais como o Net-Empregos, Portal Emprego, entre outros. Informe-se também sobre as vagas no IEFP, pois pode beneficiar das políticas de contratação em vigor.

Aproveite os primeiros meses do ano para fazer networking e aumentar a sua rede de contactos.

Por fim, não se esqueça que este é um período de alguma contenção financeira. Por isso, deve poupar o máximo que conseguir. Este tipo de poupança pode ajudá-lo durante o período de transição de um emprego para o outro.

Caso já tenha um fundo de emergência, com um montante que assegure a perda de rendimentos durante vários meses, pode ponderar se deve ou não deixar o seu emprego antes de encontrar um novo trabalho. Contudo, saiba que esta será sempre uma decisão arriscada para si e para as suas finanças. Além disso, terá a pressão de encontrar um emprego o mais depressa possível.

Leia aindas: O que nunca deve fazer com o seu fundo de emergência

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.