Finanças pessoais

Soluções de poupança: Uma análise às ofertas dos Depósitos a Prazo

Nos dias de hoje, obter rentabilidade com elevada garantia de preservação de capital é um desafio muito grande.

Muitas pessoas questionam-se o que podem fazer com as suas poupanças para que elas cresçam, mas sem correrem muitos riscos. Contudo, o contexto económico dos últimos anos tem dificultado a missão de fazer crescer as poupanças, sem se correrem grandes riscos. Uma das soluções de poupança para quem está à procura de produtos sem risco é o depósito a prazo. Ainda que o ambiente de taxas de juro baixas tenha tornado estas soluções pouco atrativas.

Neste artigo vamos mostrar que taxas de juro estão a ser praticadas e que cuidados deve ter na altura de escolher.

Juros dos depósitos a prazo "afetados" pelo BCE

Olhando para o início de 2020, num cenário ainda pré-pandemia, verifica-se que as taxas de juro de referência para depósitos na Europa já se encontravam em território negativo. Isto porque a política monetária dos últimos anos colocou as taxas de referências em valores muito baixos. O Banco Central Europeu (BCE) adotou medidas para ajudar a economia europeia a recuperar da crise financeira e da crise de dívida que espoletou em 2008, com a falência do americano Lehman Brothers.

Entretanto, o cenário pandémico vivido, obrigou os Banco Centrais, entre os quais o BCE não só a adiar qualquer medida mais restritiva (que podia passar pelo aumento das taxas de juro), como a tomar medidas ainda mais expansionistas, com vista a incentivar o consumo e o investimento, agravando um cenário já de si bastante complexo para quem procura rentabilizar as suas poupanças.

Com a taxa de refinanciamento do BCE a 0% e a taxa de juro de depósitos a -0,5%, conseguir “encontrar” no mercado taxas atrativas para Depósito a Prazo é quase uma impossibilidade. De realçar que esta taxa de depósito aqui referida é a taxa praticada pelo BCE para os depósitos feitos pelos próprios bancos. Ou seja, o BCE cobra juros aos bancos pelo dinheiro que estes “guardam” no banco central, com o intuito de os incentivar a não deixarem este dinheiro parado no banco central e a disponibilizarem-no na economia.

Esta política de juros baixos, seja no crédito seja nos depósitos, acaba por influenciar o que os bancos oferecem aos seus clientes. Ora, se as taxas de juro estão baixas, e os bancos não conseguem gerar grandes receitas a partir delas, também não podem oferecer taxas de juros muito atrativas aos seus clientes.

Há mesmo instituições financeiras que deixaram de disponibilizar prazos curtos nos depósitos, como sejam um mês ou três meses. Outras, por estratégia comercial, optam por negociação casuística no momento de apresentar taxas. Ou seja, fazem propostas individuais, o que significa que um cliente pode conseguir condições mais atrativas do que outro.

As taxas de juro dos depósitos a prazo anunciadas

Para percebermos quais as taxas de juro que estão a ser oferecidas pelos vários bancos em Portugal, consultámos a informação disponibilizada pelos bancos nos seus sites.

Fazendo uma análise às taxas publicadas nos sites públicos dos bancos para os vários prazos, chega-se à informação resumo constante dos quadros infra (data de referência 01.04.2021):

Oferta de Depósitos a Prazo em Euros:

Prazo/BancoBanco BestBanco BAI EuropaBanco InvestBIGBNI EuropaBPA EuropaCGDEuro BICFinantiaNovo BancoTaxa máxima observada
1 mês0,05%0,05%n.d.n.d.0,07%0,10%n.d.0,03%n.d.n.d.0,10%
3 meses0,08%0,15%0,10%0,10%0,12%0,15%n.d.0,10%n.d.0,00%0,15%
6 meses0,08%0,20%0,20%0,15%0,22%0,20%0,02%0,15%0,35%0,00%0,35%
12 meses0,08%0,35%0,30%0,15%0,30%0,30%0,02%0,35%0,55%0,04%0,55%
24 mesesn.d0,50%0,50%0,35%0,35%0,50%n.d.0,40%0,65%n.d.0,65%
36 mesesn.d.0,60%n.d.0,40%0,50%n.d.0,02%n.d.0,70%0,10%0,70%
60 mesesn.d.0,70%0,55%0,50%0,52%n.d.n.d.0,45%n.d.n.d.0,70%
As taxas indicadas são as TANB identificadas pelos bancos nos seus sites.
n.d. - Não disponível

Nota: A análise apresentada não inclui todas as instituições financeiras por falta de informação pública ou pela complexidade na análise e consistência da oferta.

Oferta de Depósitos a Prazo em Dólares:

Prazo/BancoBanco BestBanco BAI EuropaBanco InvestBIGBNI EuropaBPA EuropaCGDEuro BICFinantiaNovo BancoTaxa máxima observada
1 mês0,05%0,05%n.d.0,10%0,50%0,30%0,00%0,15%n.d.0,04%0,50%
3 meses0,10%0,15%0,25%0,25%0,60%0,35%0,00%0,20%n.d.0,07%0,60%
6 meses0,10%0,30%0,25%0,35%0,80%0,40%0,01%0,25%n.d.0,07%0,80%
12 meses0,15%0,50%0,25%0,45%1,00%0,50%0,04%0,35%1,40%0,09%1,40%
24 mesesn.d.0,60%n.d.n.d.1,15%0,60%n.d.n.d.1,50%n.d.1,50%
36 mesesn.d.0,70%n.d.n.d.n.d.n.d.n.d.n.d.1,60%n.d.1,60%
60 mesesn.d.0,80%n.d.n.d.n.d.n.d.n.d.n.d.n.d.n.d.0,80%
As taxas indicadas são as TANB identificadas pelos bancos nos seus sites.
n.d. - Não disponível

Nota: A análise apresentada não inclui todas as instituições financeiras por falta de informação pública ou pela complexidade na análise e consistência da oferta.

Como se pode observar, a oferta pode ser materialmente diferente de instituição para instituição. Inclusive, dentro da mesma instituição, podem observar-se diferenças significativas de posicionamento entre maturidades mais curtas e mais longas ou mesmo nas diferentes moedas.

Taxa de juro vs inflação

Quando pensamos em aplicar o nosso dinheiro devemos ter em atenção outros fatores que vão para além da taxa de juro que nos é oferecida.

É sempre importante comparar a taxa de juro da aplicação com a taxa de inflação estimada. Segundo as previsões do Governo inscritas no Orçamento do Estado para 2021, a estimativa de inflação é de 0,3% para o ano corrente. Não obstante ser possível obter rentabilidade marginalmente positiva mesmo em prazos curtos, ajustada à inflação, acabamos muitas vezes por verificar que se acaba por perder poder de compra.

Tendo em consideração que a taxa de inflação se situe nos 0,3%, uma taxa de juro igual ou inferior a este valor implica que não esteja a ter um retorno positivo. A acrescentar a esta questão, não nos podemos esquecer que os juros pagos nos depósitos estão sujeitos ao pagamento de impostos. No caso dos particulares a taxa a aplicar (que é deduzida pela instituição antes de pagar ao cliente) é de 28%.

Perpetuar uma estratégia de poupança reinvestindo sempre em prazos curtos revela-se destruidora de valor nas atuais condições de mercado. Por outro lado, investindo em prazos mais longos, em alguns casos conseguem-se rentabilidades positivas mesmo quando ajustadas para a inflação estimada, mas corre-se o risco de fixar uma taxa perto dos mínimos históricos, facto que se pode revelar prejudicial se o contexto macroeconómico e de política monetária se alterar significativamente durante os próximos meses/anos.

Promoções para novos clientes

Além das ofertas generalizadas dos bancos para os seus clientes, estão também disponíveis no mercado, alguns depósitos promocionais, normalmente limitados a novos clientes.

Prazo/BancoBanco BestBanco InvestBIGFinantia
3 meses1,50%1,00%1,50%n.d.
4 mesesn.d.n.d.n.d.1,60%
6 mesesn.d.1,00%n.d.n.d.
As taxas indicadas são as TANB identificadas pelos bancos nos seus sites.
n.d. - Não disponível

Há, no entanto, que ter atenção às condições de acesso e às características específicas dos mesmos.

O Banco Invest publicita o DP Invest Choice a 3, 6 ou 12 meses, exclusivo para novo capital e clientes particulares, com uma taxa de 1% TANB (taxa anual nominal bruta). O máximo de constituição está fixado em 75.000 euros e há 100% de penalização de juros em caso de mobilização antecipada. Ou seja, se precisar de resgatar o seu dinheiro antes do final do prazo, não receberá qualquer valor de juros.

O Banco BIG tem em oferta o Super Depósito 3 meses com taxa de 1% TANB, exclusivo para clientes particulares (um titular e um beneficiário). O valor máximo de constituição é de 50.000 euros. Não penaliza juros em caso de mobilização antecipada e é limitado a uma constituição por morada registada.

O Banco Best tem em comercialização o DP Novos Clientes com uma taxa de 1,5% TANB a 3 meses. O máximo de constituição é de 40.000 euros, não mobilizável antecipadamente e com juro pago no ato da constituição.  Neste caso, o cliente fica sem poder aceder ao capital durante o prazo, quaisquer que seja as condições.

Trata-se de alternativas com taxas interessantes mas há que ver o custo/benefício de abrir conta para efetuar uma aplicação que, por definição não pode ser mantida nas mesmas condições findo o prazo promocional.

Depósitos protegidos pelo Fundo de Garantia de Depósito

Tratando-se de Depósitos a Prazo, estamos a falar de produtos de balanço bancário, ou seja, sujeitos ao risco da instituição emitente. Na prática está a emprestar dinheiro ao banco, pelo qual a instituição lhe paga uma taxa de juro. Contudo, num caso extremo, que implique a falência desta instituição há riscos para os clientes que tenham lá poupanças e investimentos. No caso de ter depósitos a prazo está protegido (se não na totalidade, numa parte, dependendo do valor dos seus depósitos)

Neste contexto, até ao limite previsto na lei, é importante saber que se pode contar com a proteção do Fundo de Garantia de Depósito, que tem como objeto garantir o reembolso dos depósitos constituídos nas instituições de crédito que nele participam, garantindo o reembolso, por instituição de crédito, do valor global dos saldos em dinheiro de cada titular de depósito, até ao limite de 100.000 euros.

Ou seja, se tiver duas contas em bancos diferentes com depósitos, cujo saldo não supere os 100.000 euros, mesmo que as duas instituições colapsem as suas poupanças estão protegidas pelo Fundo de Garantia. O mesmo acontece se tiver duas contas bancárias com dois titulares. com depósitos de 200.000 euros. Como as suas poupanças estão asseguradas ao limite máximo de 100.000 euros por titular e por instituição estes 200.000 euros estariam também salvaguardados.

Para este efeito, considerar-se-ão os saldos existentes à data em que se verificar a indisponibilidade dos depósitos. Esta descrição não é exaustiva. Para mais informações acerca do Fundo de Garantia de Depósitos pode consultar www.fgd.pt.

Ainda assim, de realçar que os depósitos são os únicos produtos que têm esta garantia associada, pelo que o risco implícito nestes produtos é mais limitado.

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)