Calculadora descontos em talão

Pedro Pais Pedro Pais , 7 Junho 2012 | 71 Comentários

Nos últimos anos, muitas das superfícies comerciais têm aderido à moda dos descontos em talão, que se bem utilizados trazem boas oportunidades de poupança para os consumidores. Contudo, descontos em talão de 30% ou 50% não são iguais a descontos imediatos de 30% ou 50%, uma vez que na realidade o consumidor paga a totalidade da primeira compra e os descontos só incidem sobre a segunda*.

Para que lhe seja mais fácil perceber qual é o desconto efectivo associado a um desconto em talão e para que consiga comparar mais facilmente descontos imediatos com descontos em talão, colocamos à sua disposição a calculadora de descontos em talão (também em versão Excel mais abaixo).

Calculadora descontos em talão

*Desconto teórico máximo = taxa desconto / (1 + taxa desconto)

Esperamos que esta calculadora lhe seja útil. Se tiver algum comentário a fazer, por favor utilize a caixa abaixo.

Partilhe este artigo

Deixar uma resposta

74 comentários em “Calculadora descontos em talão

  1. entao e se eu comprar um produto de 100euros, fico com 50 euros no cartao.
    Depois compro um produto de 50euros e fico com 25euros no cartão , Qual é o valor do desconto?

    Por norma só compro produtos a 50 ou 75% de desconto…

    Obrigada!
    Leticia

    1. Colocando as coisas de uma forma simples:

      Quanto um hiper publicita um desconto de 50% em cartão, na verdade o desconto é de 33,33%

      Quando publicita um desconto de 75% em cartão, na verdade o desconto é de 42,86%.

      Já tentei fazer ver isto a familiares mas é difícil. O povo é tão bem enganado com estes descontos em cartão.

      Não quero com isto dizer que esses descontos não possam valer a pena.

  2. Pingback: Desconto de 50% em talão REALMENTE é um desconto de 33,33%! | QUE CENA FIXE!!!
  3. Ok. Mas esta teoria para mim só faz sentido para consumidores não habituais. Se eu for lá regularmente com ou sem desconto é indiferente.

  4. Percebi perfeitamente a explicação e concordo plenamente, é de facto uma boa técnica de venda para enganar os consumidores, que a “DECO” (me pareçe) não ter dimistificado/alertado.

    1. Não podemos esquecer que o desconto é apenas na 1º comprar…quando estão a fazer contas às duas compras..

      O desconto é efectivo..e apenas serve para fidelizar o cliente…pago 100 e recebo 50 no cartão…a diferença está que esses 50 terão que ser gastos no mesmo hiper…mas são 50% de desconto…na comprar que fiz…e não nas seguintes…

  5. Boa Noite.
    É importante perceber o seguinte:
    um desconto de 50% em cartão nunca é na realidade um desconto de 50%.
    Se eu investir 100 euros no banco e receber 50% (50 euros) posso utilizar o dinheiro como entender. Neste caso não. Tenho de fazer outra compra, pelo menos de mais 50 euros para receber o valor. Na realidade invisto 150 para receber 50, independentemente do que posso poupar com os últimos 50 euros.
    É importante perceber que estamos perante uma técnica de venda. Devem perceber a razão de existirem diferentes formas de promoção:
    desconto imediato de 50% é melhor que leve 2 pague 1 e este ultimo é melhor que 50% em talão ou cartão.
    1- Para uma compra de 100, com desconto imediato só invisto 50 e fico com os outros 50. (50%) real de desconto.
    2 -Para o caso de leve 2 pague 1 pago 100 (o investimento é maior e fico com mais um produto). invisto mais para receber o mesmo (50 euros em produto).
    3- com um desconto em talão/cartão pago 100 e acumulo 50. Terei de investir mais 50 para ter o mesmo beneficio, mesmo que não pague nada na segunda compra.Teoricamente poderia atingir os 50% de desconto mas realmente fico pelos 33,3% como apresentado. Tive que comprar produtos no valor total de 150, e paguei somente 100. Tenho de comprar mais produtos (invisto mais) para ter o mesmo desconto (50 euros) – 33,3%

    Concluindo
    Se pretendem o melhor beneficio, e se o preço de venda for o mesmo, ganha-se mais com um desconto imediato 50%, em seguida com o sistema de leve 2 pague 1 e só depois com desconto em talão ou em cartão de 50%. Por estranho que pareça as contas estão certas.

  6. Boas.

    este tema dos taloes é muito pertinente, numa epoca em que os taloes de desconto e descontos em cartao tomaram de assalto a carteira dos portugueses em busca da fidelizaçao de clientes sem que eles percebam essa mesma fidelizaçao.

    Uma compra com desconto em cartao obriga a uma nova deslocaçao á superficie omercial onde serao novamente comprados produtos com e sem desconto em cartao em que as margens de lucro diferem gerando mais receita e ao mesmo tempo mais visitas ao local para novas compras.

    Qaundo as pessoas compram um produto com desconto em cartao, o raciocinio automatico é:

    Comprei 100 euros, tenho um desconto de 25% , ora , 25% de 100 euros é 25 euros. ganho 25 euros. Isto seria totalmente verdade se o volume de dinheiro gasto fosse 75 euros(desconto imediato), mas, como ja foi muito bem explicado nao é assim.

    Na realidade gasta se 100 euros e nao 75 euros, e mesmo que depois compremos 25 euros de compra do talao(trazendo o produto sem qq custo para casa), trouxemos um total de 125 euros de compras para casa , gastamos 100 euros. Sendo assim, o que temos é de ter em conta 25% do valor total de bens conseguidos(gastamos 100 euros, trauxemos 125euros em bens) que vai dar um desconto efectivo de 20%.

    A reter , temos que, nao sao 25% de desconto sobre o que gastamos mas sim sobre o valor total em bens gerados. Só assim ficamos a saber qual o desconto efectivo. è assim?

    Um outreo aspecto a ter em conta é que, o valor dos produtos em desconto geralmente está inflacionado . assim gera se uma ideia de desconto que nao existe. basta olhar para o mesmo produto numa outra superficie e verificar que se encontra ao preço que temos na superficie que faz o desconto com este ja incuido.

    Há muita manipulaçao com os numeros no mercado de bens e serviços.

    Muito obrigado pelo serviço que nos prestam , anos , meros consumidores , leigos em assuntos tao vitais como economia e finaanças.

  7. Permitam-me discordar das opiniões acima.
    A calculadora está correcta e esclarece a visão que todos deveriamos ter.
    Resumindo… numa hipotética compra de 100€ com 50% de descontos em talão (para aproveitar um exemplo simples), sendo que na vez seguinte que visita o hipermercado compra mais 50€ e nada paga.
    Tal como indica a calculadora, o desconto é de 33,33%.

    Repare: Levou para casa mercadoria no valor de 150€, pela qual pagou apenas 100€.
    Para o desconto ser de 50%, das duas uma:
    Ou levava para casa 100€ em compras e pagava apenas 50€, ou
    leva para casa 150€ em compras e paga apenas 75€.
    Isto seriam descontos de 50%.

    Espero ter sido claro.

  8. Boas,
    Tenho a mesma percepção do Armando. Tudo depende de como é oferecido o desconto e qual o objectivo da 2a compra (ou seguintes).
    Se o desconto for em cartão, então a 2a compra (ou seguintes) será usada para comprar bens que muito provavelmente nos serão necessários.
    Se for em talão, aí é mais complicado. Muitas das vezes não usamos esse talão ou teremos que comprar algo em pouco tempo que, a meu ver, serve mesmo só para o usarmos ou gastar “de impulso”.

    Cumps.

  9. Gostaria de dar uma visão, meia maluca e um pouco diferente, mas sem querer tirar mérito a quem colocou esta calculadora e a quem também fez aqui alguns comentários.
    Vamos partir do mesmo pressuposto, que faço a 1ª Compra no valor de 100 euros e com desconto em cartão de 50%, fico com 50 €. Certo? Então poderá dizer-se que ao fazer uma segunda compra no valor de 50 € terei um desconto de 100%!
    Não me parece que as coisas sejam assim tão lineares e estes descontos (em cartão ou talão) passam por uma tentativa de fidelização/obrigação de comprar ali, que obriga a que o cliente esteja muito atento.
    Não esquecer também que alguns descontos vão por sua vez ser abatidos em segundas compras que contemplam situações de descontos também e então a percentagem acaba por ser completamente baralhada.
    Cumprimentos

    1. Concordo com a sua visão.
      Eu utilizo o cartão de um hipermercado, que utilizo para comprar as mercearias por exemplo.
      Regra geral só compro produtos com desconto se precisar mesmo deles e se o seu preço na altura do desconto não estiver inflaccionado relativamente ao normal.
      Costumo também utilizar o saldo do cartão para comprar outros produtos com desconto e poder aumentar o desconto global.
      É também importante perceber se o desconto é atribuido no cartão ou em talão, uma vez que são coisas totalmente diferentes.
      cumprimentos

    2. Não concordo. Não tiveste 100% de desconto. Para poderes fazer a segunda compra com desconto já tiveste que fazer uma antes para teres direito ao respectivo desconto, certo?
      Logo, na verdade, gastaste 100 euros mas adquiriste bens no valor de 150 euros. Na globalidade, tiveste 33,33% de desconto. Não podes dissociar as duas compras porque para teres o desconto na segunda tiveste que fazer a primeira, obrigatoriamente.