Crédito

Dicas para ter o melhor crédito

João Barbosa João Barbosa , 28 Abril 2015

Quer fazer um crédito mas está com dúvidas ou com receios? Estando consciente da importância deste passo, sabe que tem de fazer uma análise cuidada para tomar a melhor decisão possível. Poderá ler neste artigo quais os critérios do Dr. Finanças para um crédito bom e algumas dicas para tomar a melhor decisão.

O que é um crédito bom?

A utilização que fazemos do crédito é que classifica o crédito como bom ou como mau. Na prática, o crédito pode ser muito bom para a sua vida financeira mas também o poderá levar à crise financeira, a penhoras no vencimento ou penhoras bancárias ou à insolvência. Em linhas gerais, poderá considerar como bom o crédito que:

  • Possibilita comprar um produto ou um serviço considerado essencial à sua vida;
  • Permite a redução de custos mensais;
  • Possibilita fazer investimentos rentáveis e criadores de valor.

Deixamos-lhe então 6 dicas para ter o melhor crédito pessoal do mercado.

1. Estude e analise o seu caso concreto

thoughtful-721507_1280+1

O primeiro ponto em todas as análises consiste em determinar o seu estado atual e a necessidade real de pedir crédito. Poderá estar a comprar um produto de que não necessita ou um produto demasiado dispendioso. Pense sempre duas e três vezes “Preciso mesmo disto?”-

2. Analise a sua taxa de esforço

Um crédito bom é um crédito que sendo necessário respeita o seu orçamento familiar. Na prática, deverá considerar a sua taxa de esforço que mais não é do que a relação entre as prestações dos vários créditos e o rendimento da sua família.

Poderá considerar uma taxa de esforço razoável até 30%. Em alguns casos específicos poderá ter um pouco mais, especialmente se estivermos a falar da preponderância do crédito habitação no total dos créditos (uma vez que a taxa será muito inferior). Procure manter a taxa de esforço perto de zero para garantir que consegue poupar todos os meses e ganhar dinheiro.

Se não consegue determinar ao certo o valor de todas as prestações e das restantes despesas essenciais à sua vida poderá descarregar o Boonzi, um software de gestão de finanças pessoais que vai marcar a diferença na sua vida (acredite que é verdade).

3. A negociação é palavra de ordem para poupar

O Dr. Finanças é adepto da negociação em tudo o que envolva custos (mas mantendo a justiça). Aliás, a génese do Dr. Finanças é a negociação das condições de créditos de modo a acabar com dívidas.

No contexto do crédito, sugerimos sempre que depois da sua análise se foque na consulta a diversos bancos. Recolha toda a informação para ter maior poder negocial. Foque-se em “vender-se” e pense sempre naquilo que o banco quer ouvir (a palavra garantia é a mais utilizada na banca).

Contacte diversos bancos e instituições financeiras. Negoceie e esteja na disposição de aumentar o envolvimento com o banco de modo a obter descontos comerciais. Faça diversas simulações e tenha em atenção o ponto seguinte.

Se deseja a ajuda do Doutor Finanças para conseguir as melhores condições para o seu crédito pessoal, clique no botão abaixo para simular o seu crédito.

businessman-598033_1280

4. Olhe para todos os custos

O custo total de um crédito não se resume ao que paga de juros todos os meses. Na prática, existem diversos custos e comissões que terá de minimizar quando negoceia com o seu banco. Por exemplo, falamos de seguros de vida (com prémios exorbitantes e facilmente eliminados), comissões de dossier, de gestão, cartões de crédito. Há até bancos que lhe vendem vinhos e a trotinete do Ruca. Todos estes custos são repercutidos na Taxa Anual Efetiva Global (TAEG), taxa esta que permite comparar a oferta de diversos bancos.

5. Cuidado com o crédito pela internet

Existem diversas instituições financeiras que cobram comissões de análise prometendo a pré-aprovação de contratos de crédito, mesmo antes de estarem na posse de todos os documentos. Fuja dessas instituições pois a grande maioria apenas existe para ficar com o valor da comissão de análise. Para ter uma ideia, considere que a aprovação de créditos ronda os 3%-4% do total de processos carregados… logo, a probabilidade de perder o seu dinheiro é muito perto de 100%.

6. Tenha calma

Os pedidos de crédito melhor sucedidos (em termos de custo e de conveniência) são os créditos que são planeados e estruturados com tempo. Por norma, quando estamos apertados de tempo tendemos a aceitar as primeiras propostas que nos apresentam sem nos ocuparmos da negociação. Aliás, muitas vezes a “falta de tempo” faz-nos descurar a comparação de propostas. A nossa sugestão passa por atuar em antecipação. Planeie o futuro. A pressa é inimiga!

Precisa de ajuda?

Se quiser ter uma opinião imparcial e isenta de custos por que não submeter o seu processo ao Dr. Finanças para que simule o seu caso específico? Basta enviar-nos o seu IRS e o seu mapa de responsabilidade de crédito e em 48 horas terá uma resposta ao seu pedido.
Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #cartão de crédito,
  • #crédito,
  • #crédito pessoal,
  • #negociação de créditos,
  • #negociar créditos,
  • #taxa de esforço

Deixar uma resposta

2 comentários em “Dicas para ter o melhor crédito