Como já todos saberão, sou um fervoroso adepto da amortização antecipada do crédito habitação, mas nos últimos dias têm surgido algumas questões sobre se será ou não a melhor opção e até notícias muito pouco esclarecedoras. Vamos então analisar neste artigo se valerá ou não a pena amortizar o Crédito Habitação.

Pedro Pais é o fundador do financaspessoais.pt e do forumfinancas.pt. O Pedro é um dos maiores promotores de literacia financeira em Portugal contribuindo com centenas de artigos, ferramentas e simuladores que ajudam as pessoas a poupar, a investir ou a decifrar os mistérios da fiscalidade.

Decidi investir alguns minutos a publicar este artigo, que pretende explicar quais os casos em que de facto mais valerá investir, ao invés de amortizar o crédito. De qualquer forma, deixo o aviso na esmagadora maioria dos casos a opção certa é amortizar o crédito habitação.

Factores decisivos

Os factores decisivos nesta análise são:

  1. Taxa de juro do crédito habitação;
  2. Total das prestações anuais (amortização de capital e juros);
  3. Taxa de juro líquida do melhor investimento garantido alternativo.

Primeiro factor

Quando a taxa de juro do crédito habitação for inferior à taxa de juro líquida do melhor investimento garantido alternativo, então mais vale investir do que amortizar. O que é um caso improvável.

Segundo factor

Quando ocorre o caso contrário, taxa crédito superior à taxa de juro líquida do investimento, então já deverá ter em conta também o total das prestações anuais. E porquê? Porque existe o benefício no IRS para 30% do total de prestações pagas no crédito habitação, com limite máximo de cerca de €530. E aqui, dependendo dos valores envolvidos a decisão pode ser uma ou outra (basicamente tem a ver com a relação entre o benefício fiscal que tenho e o que passo a ter)

Nestes casos é preciso ter em conta também este valor, uma vez que a partir de determinado nível de amortização deixa de se obter essa poupança. A questão é que basta gastar cerca de €1800/ano em prestações para poder usufruir ao máximo dessa poupança. E para ter uma ideia, um crédito a 5% €80 000, 30 anos dá qualquer coisa como mais de €5000 anuais.

Espero ter ajudado a esclarecer este tema, mas caso continue com dúvidas, sinta-se à vontade para as expor.