Crédito

Reduzir as suas dívidas em 2021? A solução pode estar no crédito consolidado

Gastou mais do que devia no Natal? Contratou novos créditos ou quer reduzir a prestação dos empréstimos que já tinha? Saiba como o crédito consolidado o pode ajudar nestas questões.

À incerteza económica originada pela pandemia da Covid-19 juntam-se ainda, em muitos casos, as dívidas contraídas anteriormente ou no decorrer deste ano. Isto porque a chegada de um novo ano, não faz apagar as dívidas antigas.  E é aqui que o crédito consolidado pode ter um grande impacto na sua carteira. Esta trata-se de uma solução cada vez mais procurada não só para quem precisa reduzir as suas dívidas, como também para aqueles que estão confortáveis economicamente, mas que pretendem poupar algum dinheiro ao final do mês.  

Neste sentido, reunimos alguns contextos onde o crédito consolidado o pode vir a ajudar este ano de 2021. Conheça também o caso da Helena e do João (nomes fictícios).

Comece a pagar menos em créditos todos os meses

Este é o principal objetivo do crédito consolidado: reduzir os encargos com créditos. Uma vez que esta é uma solução financeira que permite juntar vários créditos num só, com melhores condições, numa única prestação mensal mais baixa e um prazo de pagamento fixo. 

A taxa de juro final do crédito consolidado é, normalmente, mais baixa do que a média das taxas de juro de todos os créditos, ou mesmo muito mais baixa se já tiver um crédito à habitação e quiser tirar partido da sua hipoteca

Reequilibre o seu orçamento familiar 

Na verdade, o crédito consolidado não é só para sobreendividados. O crédito consolidado é para todos aqueles que têm, pelo menos, dois financiamentos, além do crédito habitação.  

Ao reduzir o total das mensalidades pode contar com uma folga mensal de dinheiro que pode aproveitar para criar um fundo de emergência para eventuais necessidades - despesas de saúde, do carro ou qualquer outro evento inesperado - ou até mesmo para recuperar alguns bens essenciais que teve de cortar das suas despesas mensais, como por exemplo o seguro de saúde.  

Para além de passar a pagar menos todos os meses, vai também conseguir controlar todos os créditos que tem e não falhar com o pagamento de nenhum, evitando assim entrar numa situação de incumprimento.  

Aconselhamos ainda sempre a que faça um planeamento e que seja consciente no destino deste dinheiro, não contrair novos créditos, nem fazer despesas desnecessárias.  

Aumente a sua poupança 

O crédito consolidado é, por si só, uma solução que permite reduzir o peso das prestações de crédito no orçamento do agregado familiar. Mas a verdade é que pode ter esse efeito em duplicado. Ou seja: poupando de forma imediata, todos os meses, na prestação e somando essa poupança para mais tarde amortizar o próprio crédito consolidado. Isto pode acontecer de forma parcial ou total. E uma vez sendo parcial, pode refletir-se no valor mensal a pagar ou no prazo no crédito. 

Diga adeus às suas dívidas  

Como esta é uma solução que vai gerar poupança, pode aproveitar liquidar o seu crédito, através da sua amortização, acabando assim com as suas dívidas (ou parte delas). Deixamos apenas a chamada de atenção para que verifique as cláusulas relativas à amortização de cada um dos créditos que possui, pois, em alguns casos, amortizar traz custos associados, como por exemplo o pagamento de comissões.  

O casal que passou a poupar 12 780€ por ano com o crédito consolidado 

Helena e João (nomes fictícios) procuraram o Doutor Finanças para reduzir o seu encargo mensal com créditos. A sua taxa de esforço era de 67% e por isso sentiam uma grande dificuldade em pagar todas as despesas que tinham por mês.  

Entre cartões de crédito, créditos pessoais e um crédito automóvel, este casal tinha mensalmente uma despesa de 2 153€.  

Depois de consolidarem os créditos, Helena e João, passaram a pagar uma prestação única de 1084€ por mês. Isto traduziu-se numa redução da taxa de esforço para 33% (valor recomendado).  

O prazo para o pagamento destes créditos também passou a ser um prazo único de 84 meses. Significa que a poupança que este casal conseguiu foi de 1065€ por mês e de 12 780€ por ano. 

Se pretender, pode contar com a ajudar do Doutor Finanças para analisar o seu casocalcular qual a poupança mensal que conseguirá obter, e isto sem pagar qualquer custo por este serviço.   

A equipa do Doutor Finanças já ajudou milhares de famílias a reduzirem os custos com os seus créditos. Faça a sua simulação para saber quanto pode poupar juntando todos os seus créditos em apenas um! 

Preencha o formulário para podermos ajudá-lo a rever os seus encargos com créditos

O nome é necessário O nome não é válido Apenas são suportados nomes com até 120 caracteres
O email é necessário O email não é válido Apenas são suportados email com até 100 caracteres
O telefone é necessário O telefone não é válido Apenas são suportados telefone com até 15 caracteres
O valor total é necessário Insira um valor até 999 999€ O valor total não é válido
Indique o número de anos para o empréstimo Insira um número válido
Indique o salário total do agregado Insira um valor até 99 999€ Insira um número válido
Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)