Energia

Fatura da luz aumenta a partir de outubro. Subida pode rondar os 3 euros

O aumento da fatura da luz para a maioria dos clientes domésticos é de 1,05 euros. Mas, numa família de quatro, ronda os três euros.

Energia

Fatura da luz aumenta a partir de outubro. Subida pode rondar os 3 euros

O aumento da fatura da luz para a maioria dos clientes domésticos é de 1,05 euros. Mas, numa família de quatro, ronda os três euros.

Os preços da energia do mercado regulado acabam de ser atualizados e esta atualização na fatura da luz tem efeitos já a partir do próximo dia 1 de outubro.  

Segundo anunciou a ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, face ao aumento de preços de energia no Mercado Ibérico de Eletricidade (MIBEL), o preço da tarifa de energia foi atualizado em cinco euros por MWh.   

Para a maioria dos clientes domésticos do mercado regulado, com potência contratada de 3,45 kVA, o aumento vai rondar 1,05 euros na fatura média mensal. Porém, no caso de uma família com dois filhos, a subida já vai rondar os três euros.

Ou seja, tendo por base os consumidores-tipo do simulador de preços de energia do regulador, o impacto estimado da atualização da tarifa é de aproximadamente mais 3% no total da fatura da luz. Sendo que já está contemplado o IVA.  

Quem está abrangido por este aumento da fatura da luz? 

A atualização da tarifa de energia tem impacto direto nas famílias que optaram por estar no mercado regulado em Portugal continental e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. 

Os consumidores no mercado regulado representam cerca de 5% do consumo total e rondavam, em junho último, os 930 mil clientes. 

Leia ainda: Corte de luz e gás: Proibição prolongada até ao final do ano

Que aumentos esperar na fatura da luz? 

Assim sendo, a partir do próximo mês, a fatura média mensal, no caso de um casal sem filhos que tenham contratado uma potência de 3,45 kVA e com um consumo de 1900 kWh/ano, vai ser de 38,17 euros. Este valor representa um aumento de 1,05 euros

No caso de um casal com dois filhos, que tenha contratada uma potência de 6,9 kVA e o consumo seja de 5.000 kWh/ano, o valor médio da fatura, por mês, vai passar a ser de 95,47 euros, refletindo um aumento de 2,86 euros.  

Até quando se mantém os novos preços? 

A aplicação da nova tarifa de energia produz efeitos a partir de 1 de outubro e vai vigorar até ao final do ano de 2021

Já sobre as restantes tarifas, fixadas a 15 de dezembro de 2020, vigoram durante este ano também e mantêm-se inalteradas. 

Como e porque é feita a atualização dos preços? 

Sobre tarifa de energia, a ERSE explica que reflete o custo de aquisição de energia do Comercializador de Último Recurso (CUR) nos mercados grossistas. E, este custo, é uma das componentes que integra o preço final pago pelos consumidores no mercado regulado.  

Para evitar desalinhamentos excessivos com o mercado livre, com consequências para todos os consumidores, trimestralmente, caso se verifiquem desvios de custo de aquisição do CUR igual ou superior a 10 EUR/MWh, o regulador considera que a tarifa deve ser revista num valor fixo de 5 EUR/MWh, no mesmo sentido do desvio. 

Este mecanismo de atualização do custo de energia, previsto regulamentarmente, foi aplicado pela primeira vez em 2020, no sentido de descida.  

Para 2021, a previsão do custo de aquisição do CUR considerada para a fixação da tarifa de energia aprovada pela ERSE, em 15 de dezembro, foi de 49,52 EUR/MWh.  

Após a atualização da tarifa em julho de 2021, a estimativa para 2021 passou a ser de 52,02 EUR/MWh.  

Leia ainda: Poupar na energia? Siga o mercado e decida se o tarifário spot ajuda

Atualização tem impacto no mercado livre? 

Não. Esta alteração não condiciona o mercado livre a ter a mesma atualização de preços, já que cada comercializador segue a sua estratégia de aprovisionamento de eletricidade e procura oferecer as melhores condições comerciais face à concorrência.  

Assim, mesmo após a revisão em alta das condições para novos contratos de fornecimento de luz, sob pressão das subida dos preços no MIBEL, pode contar com várias ofertas que, segundo o regulador, estão melhor posicionadas que o mercado regulado.  

Se quer reduzir a sua fatura de eletricidade deve analisar a oferta dos vários comercializadores no mercado. Pode ainda consultar o simulador de preços de energia da ERSE, desenvolvido para facilitar a escolha da oferta mais vantajosa. 

Leia ainda: 7 formas de poupar na conta da luz este inverno

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe uma resposta

Insira o seu nome

Insira um email válido