Há uns dias falou-se por aqui que optar pela tarifa bi-horária na electricidade poderia gerar alguma poupança, mas rapidamente nos apercebemos que não é uma verdade absoluta. 

Pedro Pais é o fundador do financaspessoais.pt e do forumfinancas.pt. O Pedro é um dos maiores promotores de literacia financeira em Portugal contribuindo com centenas de artigos, ferramentas e simuladores que ajudam as pessoas a poupar, a investir ou a decifrar os mistérios da fiscalidade.

Decidi então investigar este assunto e desse estudo* surgiu um simulador de tarifas de electricidade (cuja divulgação agradeço) e este artigo. Mas leia primeiro o artigo.

*O estudo reflecte apenas a realidade dos clientes finais em baixa tensão, com potências contratadas entre 2,3 kVa e 20,7kVa, onde a maioria de nós se enquadra.

Tarifa bi-horária: consumo mais barato, potência contratada mais cara

A tarifa bi-horária vem premiar os consumidores que utilizam mais electricidade naquilo que a EDP chama de horas de vazio, ou seja, horas em que o consumo em geral é mais baixo (veja quais são as horas de vazio). Nessas horas de vazio o consumo é facturado segundo uma tarifa que é quase 50% mais baixa, sendo que nas horas normais o preço é o mesmo da tarifa simples.

Como não há bela sem senão, os valores da tarifa bi-horária para a potência contratada (vulgo contador) são mais elevados.

Mas qual é mais barato?

Para tentar perceber qual seria a opção mais barata, fiz um cenário de consumo de 400kW/mês, com uma potência contratada de 4,6kVa. Fui variando a percentagem do consumo efectuada em horas de vazio e cheguei ao seguinte gráfico:

Tarifas de electricidade - comparação

Podemos observar que a partir da altura em que cerca de 15% do consumo é efectuado em horas de vazio, a tarifa bi-horária é financeiramente mais vantajosa. Contudo, quando essa percentagem é baixa (< cerca 15%), a tarifa simples é mais vantajosa.

Em qualquer dos casos, a diferença monetária não é abismal, mas ao fim de um ano ainda são uns trocos significativos (no máximo €4/mês ou €48/ano).

Optar por que tarifa?

Para decidir da melhor forma possível, é preciso saber três elementos:

  1. A potência contratada (que vem na sua factura)
  2. Uma estimativa do consumo mensal (faça a média dos últimos doze meses)
  3. Uma estimativa da percentagem do seu consumo em horas de vazio. Este é o ponto mais difícil de calcular, mas tente comparar os seus hábitos com as horas de vazio

Depois é só pegar nesses valores e introduzir no simulador de tarifas de electricidade. De forma fácil e rápida sabe qual é a tarifa financeiramente mais vantajosa para si.

Existe ainda a hipótese de alterar os seus hábitos de consumo de electricidade, para ter uma maior percentagem nas horas de vazio. Contudo, há que balancear essa hipótese com o possível incómodo que daí pode advir (e.g., pode perder horas de sono para tentar por a máquina de lavar roupa a funcionar mais tarde).

Espero que o simulador de tarifas de electricidade e este artigo o ajudem a tomar uma melhor decisão sobre qual a tarifa que deve adoptar. Deixe o seu testemunho no fórum.

Já agora! Electricidade não é o único bem de consumo em que podemos poupar. Conheça 9 factos sobre o consumos de água e algumas dicas para poupar neste recurso, aqui. 🙂