Faltam menos de três meses para o final do ano. Sabe o que significa? Que muitas despesas se avizinham. No Doutor Finanças queremos que o novo ano apenas lhe traga boas surpresas, por isso, fique com um resumo dos gastos mais comuns nesta altura do ano.

A par das festividades que se celebram no final do ano, vem sempre um conjunto de despesas adicionais. Seja porque gastámos um pouco mais nas prendas e Natal ou porque precisámos de renovar ao guarda roupa dos mais pequenos, o orçamento nestes meses parece sempre encurtar. Não seja apanhado desprevenido e fique atento a alguns encargos para os quais deve começar já a preparar-se.

5 encargos que deve começar já a preparar

1. Guarda roupa de inverno

Comecemos pelos essenciais e por algo que provavelmente não se iria lembrar, mas que sim, é uma grande despesa. Com o aproximar do fim do ano os dias ficam mais pequenos e mais frios E por mais que recicle artigos dos anos anteriores existe sempre a necessidade de comprar algo: umas botas para a chuva, um guarda-chuva, um bom casaco, camisolas quentes, etc. Se pensarmos numa família, é só multiplicar pelo número de elementos.

Para que não se perca no shopping, mantenha-se fiel ao objetivo que o levou lá – se ia comprar um casaco não se deixe cair em tentação e desvie o olhar de tudo o que não sejam casacos. Além disso, é sempre útil fazer listas do que precisa mesmo de adquirir e restringir-se apenas a essa lista e nada mais. Outra sugestão é ficar atento a promoções, muitas vezes online, que as lojas fazem no meio da estação e até mesmo antes da época oficial de saldos.

2. Prendas, decorações e tudo o que ao Natal e à Passagem de Ano diz respeito

Sendo que estamos a falar em compras, podemos passar àquelas que serão, umas das maiores (senão mesmo as maiores) despesas do final do ano: o Natal e o Réveillon. São as prendas para a família, para os amigos, para os amigos secretos, para os colegas da empresa, do ginásio, da escola dos miúdos… São os jantares de amigos, os copos, durante e a seguir ao jantar, os jantares, os almoços, os brunches e os lanches do Natal e fim de ano… São tantas contas a somar que, por vezes não há 13º mês que nos valha.

Aqui mantemos a sugestão relativa à roupa: planeie. Defina um teto máximo a gastar e coloque por escrito todas as compras que precisa de fazer. Anote todos os eventos e calcule de antemão o valor final, procurando exaustivamente os pontos onde poderá cortar. Não faça dívidas para o ano seguinte, mais vale deixar em casa o cartão de crédito e usar apenas o de débito.

Releia o nosso artigo “Como comprar prendas para toda a família com menos de 100 euros” e encontre algumas estratégias para poupar nas prendas deste ano.

3. Viagens

Muita gente aproveita para tirar férias em Dezembro. Se tem essa intenção, o ideal é comprar a viagem com muito tempo de antecedência, principalmente se estivermos a falar de avião e hotel. Se não o fez, e se pretende poupar, ir para fora na época festiva pode não ser a melhor opção.

Não deixe de consultar o nosso artigo “3 dicas simples para poupar nas férias”.

4. Despesas relacionadas com as viaturas

Para além das despesas mais óbvias, existem outro tipo de encargos que se podem avizinhar no final de ano, por exemplo a revisão ao automóvel, de pagar o seguro ou mesmo de levar o carro à inspeção. São sempre grandes despesas e inevitáveis. Portanto, o melhor será mesmo ir colocando dinheiro de parte para estas contas. Aponte já estas datas no calendário do telemóvel, uma vez que o serviço de notificações acaba por garantir que não nos esquecemos de nenhuma obrigação e evitamos multas devido ao atraso de pagamento.

5. Acertos nas contas da casa

Muitas vezes os acertos da electricidade, gás e afins são feitos por volta do final do ano. A companhia pode não ter recebido leituras suficientes ao longo do ano e aproveitar para fazer o acerto de contas. Pode ser a seu favor ou não. Para evitar surpresas desagradáveis o melhor é mesmo ir enviando, todos os meses as leituras, dos contadores. Assim paga sempre o valor real, nem mais nem menos.

6. Atualização do valor das rendas, da energia e do custo de vida em geral

A seguir às notícias da passagem de ano, vêm as reportagens acerca dos novos preços. Geralmente os valores têm tendência a subir. Por exemplo, já foi anunciado que as rendas deverão aumentar 1,15% em Janeiro. A par disto, conte também com outros tipos de aumentos: combustível, electricidade, alimentação, etc. Portanto, esteja atento às notícias e organize a sua carteira para que não comece o ano com saldo negativo.

Planear é um passo importante para que tenha finanças mais saudáveis. Antecipe algumas despesas e proteja a sua carteira do final do ano. 🙂